18 abril 2022

As cores do Infinito - Por: Emerson Monteiro


Diante da paz que ora habita em estado latente as consciências ainda assim bem possível será que logo vejamos todas elas, as cores inesquecíveis da Natureza pura. Até quando chegar a tanto, tantas vidas haverá. Contudo a isto viemos e lá certa vez teremos tamanha alegria que nos uniremos de vez à emoção esplendorosa das galáxias. E que, sem sombra de dúvidas, esquecemos, nalgumas ocasiões, pelos caminhos de onde chegamos. Foram as dores das vivências que isto produziram, esse distanciamento de agora, esquecido face aos desatinos e desencantos. De tal modo que os trilhos da perene perfeição nos parecem remotos. Seremos, só então, o elo indestrutível que trará de volta os segredos da Criação.

No íntimo da humana solidão, vive intensa a certeza de tamanha envergadura e realização. Todos os sinais falam nisso, da continuação das horas santas no momento preciso de concretizar o sonho da Felicidade. Isto impera dentro do nosso coração, instinto mágico da existência. São muitas falas vindas de longe, de todos os quadrantes, a dizer da finalidade única de onde possa algo ressurgir na face dos céus, da amplidão e do ilimitado.

Por mais que doa o ímpeto de viver, nessa coerência subsiste a exatidão dos moldes universais, mesmo que pequenos os vejamos a braços com este querer continuar e vencer todos os obstáculos. Que se interponha o senso de resistir às duras penas. Sei que importa o empenho de lutar, porém maior sempre haverá de ser recontar uma história de conquistas inigualáveis.

Daí, a gama do mistério das quantas cores a transformar luz em salvação, aos olhos de todos. A imensidade dos painéis geniais oferecem bênçãos de arte nas dobras do Infinito; aqui prossigamos de alma fiel aos valores da magnitude e jamais desistamos de obter Deus na iluminação do ser pequenino que ainda o somos.

Tudo, por isso, transmitirá a força que nasce desta fonte original que alimenta as jornadas de transformação em que viemos no intuito de revelar a verdadeira Humanidade em cada uma das infinitesimais partículas que em nós representamos.