11 outubro 2021

A exatidão da Natureza - Por: Emerson Monteiro


Toda movimentação das vidas querer explicar os fenômenos e resulta na limitação dos seres humanos, ainda precisando de aprimoramento até chegar ao senso maior do Absoluto. Há muitos bons resultados, sem dúvida no transcorrer das civilizações. Porém a identificar de tudo o que significa perfeição deixa um tanto de percorrer. Nisso, as dúvidas. Os limites que pegam forte diante das horas críticas. Mesmo assim, um rastro de evolução marca o longo itinerário. Às vezes, me pego a considerar: O avião; as pessoas voam. A comunicação; quanta maravilha, às raias da beleza da Natureza. A Medicina, os materiais, as descobertas científicas, as realizações arquitetônicas, os transportes, as artes, tantos valores admiráveis das descobertas, dos sonhos às certezas.

O místico hindu Ramakrishna considera ser Deus a natureza intrínseca da Realidade, o penhor e essência das existências. Dele advêm todas as virtudes. O Tempo, o ritmo dos astros, as cores, a Luz, a Paz, a Verdade, a Justiça, todo o arcabouço dos céus, isto que aqui bem representamos, na compleição das nossas possibilidades, em um corpo de riqueza inigualável, o qual conduz ao mistério da realização do Ser.

Então, nós, viventes, ensaiamos a música da Salvação em nossos próprios passos, autores e senhores da consciência que impera no íntimo de nós mesmos. Sementes, pois, da exatidão da Natureza, somos os seus herdeiros, de tudo quanto há durante todo tempo. Estamos no foco principal da intenção divina. A distância que resta neste caminhar vem ser o que denominam Liberdade.

Tais personagens desse soberano episódio da Criação, que toquemos nossa história por meio da responsabilidade para conosco e partilhemos este poder infinito que transportamos com todos os que seguem ao nosso lado rumo ao Cristo, nos páramos da Eternidade.