14 junho 2021

Doutor Gesteira - Por: Emerson Monteiro


Desde quando cheguei em Crato, na década de 50, que ouço falar nesse médico de reconhecida capacidade profissional, além de humanitário e consciencioso. Dr. Antônio José Gesteira é uma legenda das nossas tradições. Notabilizou-se pelas suas posições políticas nos anos da ditadura getulista do Estado Novo, sendo, inclusive, levado a comparecer ao QG da 10ª. Região, em Fortaleza, no sentido de esclarecer pronunciamentos e manifestações de que fora protagonista, sendo ele também oficial da reserva das Forças Armadas.

Gesteira nasceu em Recife, Pernambuco, no dia 09 de agosto de 1908, filho de Aline Alcoforado Gesteira e Antônio Antunes Gesteira. Graduou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1931, tendo exercido a profissão no Rio; em Teresina, Piauí; Fortaleza e Crato, Ceará. Nesta cidade, trabalhou no Hospital São Francisco e fundou a Casa de Saúde Nossa Senhora da Conceição, juntamente com os médicos Dalmir Peixoto e Valdemar Penna, situada no cruzamento da Rua Santos Dumont com a Cel. Luiz Teixeira, em edifício de bela arquitetura ainda hoje preservada.

Buscou a carreira política em Crato, havendo apresentado candidatura à Câmara Municipal, permanecendo apenas como suplente de Vereador.

Exímio cirurgião, se destacou pelo exercício fiel da Medicina, com louváveis serviços prestados em todo o interior cearense, aonde vinham pacientes dos estados circunvizinhos, o que lhe daria fama de médico excepcional e bem sucedido no ofício que abraçara.

Ao lado de seus atributos de eficiente médico, Dr. Gesteira desfrutava de amplos círculos de amizade, nisto somando uma boemia incorrigível, o que o prenderia ao vício do álcool, até quando, em 27 de dezembro de 1958, viria a falecer na cidade do Crato, causando comoção de largas proporções em toda a sociedade que tanto servira no decorrer da existência.

Dada seu valor e a fama de curador, mesmo depois de morto existem narrativas de verdadeiros milagres por ele praticados. Dada esta razão, o seu mausoléu, no Cemitério Nossa Senhora da Piedade, é dos mais visitados.

Sobre a "motociata" ocorrida em São Paulo, no último sábado, 12-06-2021

 

Inicio da "motociata" em direção à cidade Jundiaí, distante 50 Km de São Paulo

Vendo a maior concentração de motos já feita no mundo, lembrei-me de trecho de um discurso pronunciado em 1968, pelo Prof. Plínio Corrêa de Oliveira, no encerramento da campanha promovida em todo o Brasil, contra a infiltração comunista na Igreja Católica Apostólica Romana, que republico abaixo:

“Há no Evangelho uma promessa de bem-aventurança que diz o seguinte: “Bem-aventurados os mansos porque possuirão a terra”. Bem-aventurados aqueles que não amam a rixa nem a briga; bem-aventurados aqueles que não amam a violência, porque deles será a Terra. Deles será a Terra porque eles atrairão a si o amor dos homens que realmente amam o bem; deles será a Terra porque eles saberão opor-se - com uma força invencível - àqueles que os queiram jugular por uma violência ilegítima.

“Ou a força cristã do verdadeiro católico que tem a mansidão de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus. Ou do verdadeiro católico, que tem a força indomável de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Leão de Judá! No momento em que Nosso Senhor Jesus Cristo foi preso, alguém lhe perguntou: “És tu Jesus de Nazaré?” E Ele respondeu: “Ego sum”. E todos - tomados de terror - caíram com a face na terra! Esta é a majestade, esta é a força, esta é a dignidade daqueles que têm a mansidão cristã!

“Nosso país é um país cordato, um país que ama a mansidão, um país cuja história tem fugido às lutas. Mas se algum dia alguém de nós se aproximar e disser: “És ainda tu o Brasil cristão? Não aceitas a pressão que se quer fazer contra ti?” Eu tenho a certeza que esta nação responderá com uma força que ainda ninguém lhe conhece, mas que está nascendo nas tormentas do momento atual. Responderá: “Ego sum!” E todos os agitadores serão obrigados a se prostrar. E os agitadores cairão por terra, porque conhecerão isto que existe entre outras coisas de autenticamente novo no Brasil novo. É a decisão de progredir fiel a si mesmo e fiel à tradição cristã; fiel à família, fiel à propriedade e de lutar com uma força que impressionará o mundo contra quem quer que imagine que sua mansidão é moleza e que contra ele pressões possam trazer resultado.

(Publicado originalmente no Facebook do Dr. José Carlos Sepúlveda, em 03/04/2020)

À frente o Presidente da República, Jair Bolsonaro