20 agosto 2021

Diocese de Tianguá: Jubileu de Ouro – por José Luís Lira (*)


   A Diocese de Tianguá foi criada por São Paulo VI, Papa, juntamente com as Dioceses de Itapipoca e Quixadá, a 13/03/1971 e foi desmembrada da Diocese de Sobral, em todo o seu território.

   É interessante, nesse Jubileu, destacar a importância de Dom Walfrido Teixeira Vieira, Bispo de Sobral (1965-1998), na criação da Diocese de Tianguá, embora se saiba que o projeto estava nos planos de seu antecessor, Dom João José da Motta e Albuquerque. Também interessante é lembrar carta assinada por cinco párocos, vigários e um cooperador, dirigida ao Bispo de Sobral, Dom Walfrido, datada de 31/07/1965, pedindo a criação da Diocese de Tianguá. São eles: Mons. Antonino Soares, Pároco de Guaraciaba do Norte; Mons. Antônio Regino Carneiro, Pároco de Viçosa do Ceará; Pe. José Aristides Cardoso, Vigário de Ibiapina; Pe. João Batista Araújo, Vigário de Carnaubal; Pe. Tibúrcio Gonçalves de Paula, Vigário de Tianguá e Pe. Fulton Bezerril, Vigário Cooperador de Tianguá. Durante muito tempo, a Diocese de Tianguá recebeu o epíteto de “a Diocese dos Monsenhores”, visto que grande maioria de seu clero recebera essa titulação da Santa Sé.

   Dom Frei Timóteo Francisco Nemésio Pereira Cordeiro, OFM, foi nomeado o primeiro Bispo da Diocese de Tianguá, a 30/04/1971, sendo sagrado Bispo no Santuário de São Francisco das Chagas de Canindé, no dia 04/06/1971, pelo então Bispo de Sobral, Dom Walfrido Teixeira Vieira, o grande artífice da criação da Diocese.

   A instalação da Diocese de Tianguá e sua posse se deram em 22/08/1971, em solenidade sob a presidência do Cardeal Aloísio Lorscheider, contando com a presença do Núncio Apostólico, D. Umberto Mozonni, de numerosos bispos, destacando o de Sobral, Dom Walfrido Vieira e Dom José Coutinho, de Estância, Sergipe, que foi pároco na Diocese e Bispo Auxiliar de Sobral; do então Governador do Estado e outras autoridades.

   Dom Timóteo ainda é lembrado pelos diocesanos e recebe homenagens. Após o falecimento de Dom Timóteo, ocorrido em 20/03/1990, o Mons. Tibúrcio Gonçalves de Paula foi eleito administrador Diocesano, pelo Colégio dos Consultores da Diocese, até a chegada do novo Bispo.

    O segundo Bispo foi Dom Francisco Javier Hernández Arnedo, OAR, nomeado bispo de Tianguá por São João Paulo II, em 06/03/1991 e, recebeu a sagração episcopal das mãos do Cardeal Aloísio Lorscheider, a 19 de maio do mesmo ano, em Manaus, sendo empossado no dia 24/06/1991. No seu profícuo pastoreio criou paróquias, áreas pastorais e deu nova dimensão à Diocese.

    O atual Bispo de Tianguá é Dom Francisco Edimilson Neves Ferreira, empossado a 20/05/2017.

    A Diocese possui em seu território Litoral e Sertão e a Serra da Ibiapaba, denominada de “Serra Grande da Ibiapaba”, um Planalto com média de 640 a 950 metros de altitude sobre o nível do mar e politicamente, conta com 13 municípios, 20 Paróquias e o Santuário Diocesano de Nossa Senhora de Fátima da Serra Grande, sediado em São Benedito.

   Nessas celebrações, neste domingo, 22, Frei Santiago Lazaro, pároco de Nossa Senhora dos Prazeres, de Guaraciaba do Norte, inaugurará a nova Galeria dos Párocos e as fotos dos três Bispos da Diocese de Tianguá.
 
     Senhora Sant’Ana, padroeira da Diocese, juntamente com Nossa Senhora – a Virgem dos Prazeres, proteja todo este povo de Deus!

   (*) José Luís Lira é advogado e professor do curso de Direito da Universidade Vale do Acaraú–UVA, de Sobral (CE). Doutor em Direito e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Nacional de Lomas de Zamora (Argentina) e Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Messina (Itália). É Jornalista profissional. Historiador e memorialista com 26 livros publicados. Pertence a diversas entidades científicas e culturais brasileiras.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.