16 fevereiro 2021

Realidade provisória - Por: Emerson Monteiro


Em 1978, voltaria a Salvador, onde permaneceria por sete meses. Nesse tempo, assisti a uma palestra de Huberto Roden, filósofo e ex-sacerdote jesuíta, autor e tradutor de dezenas de livros que eu lia e estudava com frequência e entusiasmo. Tratou de um tema relativo à filosofia oriental, tendo por base o pensamento hinduísta, da cultura dos vedas. Dentre outros conceitos, abordaria a noção de maya, ou ilusão.

Seu significado é complexo porque envolve ele mesmo uma dualidade, pois maya não pode ser real se consideramos o Absoluto (Parabrahman) como a única realidade, mas não pode ser irreal pois é a base de todo o universo objetivo. A realidade última, assim, envolve a compreensão da natureza de maya sem sua negação, mas distinguindo-a do Absoluto. Wikipédia

Depois de concluída a fala principal, vieram as perguntas. Um dos presentes indagaria que, se maya não existe, porque tanta preocupação, conquanto fosse só mera ilusão. Ao que o palestrante foi incisivo em dizer que enquanto estamos aqui ela se faz parte a influenciar o comportamento das criaturas no processo de viver. Possui existência transitória, porém determinante. 

Ainda que tenhamos ciência dessa transitoriedade ilusória, no entanto somos levados a agir, tantas vezes, sob sua influência.

...

A existência terrena significa, pois, mais que apenas agir, mas reagir em face das circunstâncias. Quais atores do destino, somos dele os responsáveis diretos, através das condições que se nos apresentem. Livres, contudo responsáveis pelas nossas ações na busca da realização pessoal. Ter por que viver e liberdade em aceitar as situações. Em nossas mãos, as rédeas do destino. Se eu não fizer, quem o fará. Se não faço agora, quando farei. Hilel Já que não se podem alterar as circunstâncias, que mudemos nós. 

Em nós, portanto, a alternativa de interpretar o Universo e dominar as malhas do desafio, até preencher de sentido a arte de viver.

(Ilustração: Arqueologia egípcia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.