28 novembro 2020

É hora de parabenizar e agradecer – José Luís Lira (*)

 


   Uma coluna semanal requer temas novos. Após quase cinco anos escrevendo para este jornal, temos a responsabilidade de não ter repetido temas. E hoje escolhi realizar um tributo à amizade em sua dimensão mais pura. A de filho para mãe, espontânea, natural. A de tio para sobrinhas e a de amigos, irmãos que a vida nos ofereceu. A Sagrada Escritura diz que “Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro. Nada é comparável a um amigo fiel, o ouro e a prata não merecem ser postos em paralelo com a sinceridade de sua fé”. Celebremos!

    No dia 11, Anne Eloísa, tesouro novo em nossa família, completou seu primeiro ano; dia 19, Isadora apagou a 7ª velinha; ontem, 27, a sobrinha Laiza Maria e a Mamãe, Luíza, celebraram a vida. Por tudo isso, só tenho muito a agradecer a Deus! Todos os que me conhecem sabem o quanto eu sou família e me orgulho deste presente sagrado que é a família. Parabenizo a estes e, também, a Ana Beatriz, sobrinha, dia 1º, e aos cunhados Robério, o pai da Anne Eloísa, dia 8, e Valnice, a mãe da Laiza Maria, dia 9. 

     A última quinta-feira foi o dia mundial de Ação de Graças. O primeiro Dia de Ação de Graças ocorreu nos Estados Unidos, em 1621. Duzentos anos depois a data se tornou um dos principais feriados na norte-américa. Aqui, no Brasil, a celebração foi criada em 1949, pelo então presidente Gaspar Dutra. A ideia de criar o Dia Nacional de Ação de Graças veio do embaixador Joaquim Nabuco, que ficou admirado de como os norte-americanos levavam a sério as comemorações quando atuava como embaixador do Brasil nos Estados Unidos e quis trazê-la para nossa Pátria, mas, não se popularizou.

     E o último dia do mês chegará em breve: festa de Santo André, irmão de São Pedro, um dos que ouviu o chamado do Mestre: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. E neste dia tão simbólico, lembramos a ordenação sacerdotal do saudoso Pe. Joaquim Colaço Dourado – o Padre Dourado. E, ainda, o aniversário natalício de nosso querido amigo Prof. Dr. Antônio Colaço Martins. 

     Prof. Colaço é um exemplo de retidão, de intelectual e nome expressivo na educação cearense, com estudos de mestrado e doutorado na Cidade Eterna, Mestre em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana e Doutor em Filosofia (Summa Cum Laude – Com a maior das honras) pela Pontifícia Universidade Lateranense. Exerceu a direção da Faculdade de Filosofia de Fortaleza, foi Professor e Diretor do Mestrado em Filosofia da Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor e Reitor da Universidade de Fortaleza (UNIFOR). Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Cearenses, por dois mandatos. Reitor da Universidade Vale do Acaraú (UVA). Também membro efetivo do Conselho de Educação do Ceará (CEC), do Grupo de Avaliadores do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (CRUB) e, atualmente, Presidente da Academia Fortalezense de Letras, Acadêmico da Academia Brasileira de Hagiologia e Acadêmico Honorário da Academia Sobralense de Estudos e Letras. É casado com a Profa. Maria da Graça Holanda Martins, com quem constituiu uma bela família. É ele aquele amigo nas definições bíblicas: um tesouro!

     Portanto, mesmo nestes tempos estranhos, eu, particularmente, manifesto estes agradecimentos e parabéns. E Você?

      (*) José Luís Lira é advogado e professor do curso de Direito da Universidade Vale do Acaraú–UVA, de Sobral (CE). Doutor em Direito e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Nacional de Lomas de Zamora (Argentina) e Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Messina (Itália). É Jornalista profissional. Historiador e memorialista com mais de vinte livros publicados. Pertence a diversas entidades científicas e culturais brasileiras.