30 junho 2020

Sobral: 247° ano – por José Luís Lira (*)


    Este ano é atípico, já dissemos muitas vezes desde março último. Mas, existem eventos que mesmo em momentos difíceis merecem ser lembrados. E de uma coisa não podem nos acusar: de que não amamos esta terra, a Princesa do Norte, a capital e metrópole dessa região: Sobral. Dia 5 daremos início ao 247° ano da fundação da Vila Distinta e Real de Sobral que dava foros de Vila com Câmara e Cadeia, nos moldes coloniais (ainda não éramos parte do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves que seria criado anos depois, em 1815), à cidade que se originou da Fazenda Caiçara.

   Talvez a emoção aflore quando, sozinhos, cantarmos em nossos lares: “Oh! Meu Sobral quão, altaneira foste tu!/ Oh! Meu Sobral/ Oh! Meu Sobral/ Linda princesa cá do Norte do Ceará/ Oh! Meu Sobral/ Oh! Meu Sobral./ Cidade luz aqui da terra de Tupã”, mas, ao mesmo tempo lembrar-nos-á da força do povo dessa heráldica Cidade de Sobral. E isto nos servirá de alento para nos prepararmos para o retorno às nossas atividades quando for possível. Neste tocante, permitam-me um aplauso à administração municipal de Sobral, tendo à frente o Prefeito Ivo Gomes, tanto nas ações, quanto na transparência do que vem sendo feito, especialmente nesse período de pandemia.

    Sobral é a Cidade Luz proclamada em seu hino pelas mesmas razões que Paris o é: pelo saber! Conforme nos informou o estimado amigo Dr. Paulo Quezado, este epíteto foi dado a Sobral em face do saber de dois sobralenses que se destacaram na primeira turma de Acadêmicos em Direito da Faculdade Direito de Recife, iniciada em Olinda: Jerônimo Martiniano Figueira de Melo e José Antonio Pereira Ibiapina, o futuro Padre Ibiapina. Concluído o curso, o Diretor da Faculdade chamou-os para conversar. Após a brilhante conversação, o Diretor indagou de que cidade eles eram. Os dois formandos responderam: de Sobral, na Província do Ceará. Respondeu-lhes, então, o Diretor: ‘Sobral Cidade Luz’”.

    Luz da Religião que a se fez se tornar sede de nossa Diocese que deu origem a outras Dioceses e cuja fé é exemplar e os tantos padres e aqueles que se formaram em seu seminário e se destacaram em variadas áreas.

    Luz da Força de vontade que herdou de Luzia-Homem; dos que a engrandeceram e a engrandecem!

    Luz da Liberdade e aqui lembramos Da. Maria Thomazia, na libertação dos cativos e Luz da Luz, por meio da comprovação da Teoria da Relatividade que ano passado celebramos o centenário!

   Luz do Saber pela sua Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) que possibilitou-a tornar-se a Cidade Universidade com a chegada de tantas instituições universitárias.

   Luz do Progresso que sobre esta terra se irradiou e se reflete em sua região metropolitana.
É dia de celebrar e me permito citar alguns nomes dos que não estão mais entre nós: Dom Jerônimo (Arcebispo Primaz do Brasil), Dom José Tupinambá, Maria Thomazia, Barão de Sobral, Domingos Olímpio que criou a Luzia-Homem, José Saboia, Visconde de Saboia, Zenon Barreto, Teodoro Soares, os candidatos a santos católicos: Pe. Ibiapina, Dom Expedito Lopes, Mons. Arnóbio de Andrade e Mons. Waldir Lopes, o cantor Belchior e muitos ilustres mulheres e homens que viveram, nestes 247 anos de Sobral, o segundo município mais desenvolvido do Ceará, atrás apenas de Fortaleza!
     Ave, Sobral, Cidade Luz!

  (*) José Luís Lira é advogado e professor do curso de Direito da Universidade Vale do Acaraú–UVA, de Sobral (CE). Doutor em Direito e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Nacional de Lomas de Zamora (Argentina) e Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Messina (Itália). É Jornalista profissional. Historiador e memorialista com mais de vinte livros publicados. Pertence a diversas entidades científicas e culturais brasileiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.