29 março 2015

Protestos “Fora Dilma”, do dia 15 de março: Brasil autêntico e cristão apresentou sua verdadeira face

Por: Frederico Abranches Viotti (*)
Descontentes com os rumos da Nação, milhões de brasileiros de todos os quadrantes se congregaram para protestar, de forma ordeira e pacífica, revelando apreciáveis qualidades de alma do nosso povo

“Esta manifestação está muito esquisita: as pessoas esbarram na gente e pedem desculpa!”Assim resumiu um dos manifestantes o clima de cordialidade reinante na Av. Paulista, em São Paulo, onde mais de um milhão de brasileiros, de todas as classes sociais e de todas as idades, protestaram contra a situação do País. Nenhum incidente grave foi reportado. A própria Polícia Militar, habituada a enfrentar provocações em protestos anteriores, foi recebida com aplausos. Os manifestantes, até mesmo crianças, pediam para tirar fotos ao lado do Batalhão de Choque. O mesmo se repetiu pelo Brasil afora.
Descontentamento crescente
Foto ao lado feita em Salvador (BA), Foto: João Alvarez
Era algo novo, surpreendente, mas não propriamente inesperado. O descontentamento com os rumos do País estava muito vivo nas ruas e era percebido na Internet e em conversas entre amigos ou mesmo entre desconhecidos.
A enorme quantidade de medidas pretensamente “populares”, adotadas ou ampliadas pelo Governo em apoio aos chamados “movimentos sociais”, de fato impopulares, gerou numerosos desagrados, primeiramente em setores específicos da opinião pública brasileira. Não demorou a que esses desagrados se transformassem em uma desconfiança e esta, por sua vez, em um grande descontentamento generalizado.


O divórcio entre a Nação e o Estado 
abaixo, à direita, foto feita em Brasília, por Lula Marques
Há certos fenômenos de opinião pública que se assemelham ao estouro de uma garrafa de champanhe. A aparência de tranquilidade da garrafa em repouso esconde a pressão nela contida. No momento da abertura, aquela pressão é liberada. Assim também ocorre entre os homens. Quando o primeiro diz o que todos pensam em silêncio, a opinião contida, a exemplo da pressão dentro do champanhe, cede lugar a uma explosão de consonâncias.
No último dia 15 de março, o Brasil assistiu a uma dessas grandes consonâncias entre pessoas das mais variadas origens e condições. Não era o Brasil retratado pela grande mídia ou pelos sociólogos e analistas políticos de índole mais ou menos esquerdista, mas um Brasil profundo, verdadeiro, ordeiro e pacato, fazendo ouvir sua voz em um mesmo tom e ao mesmo tempo.
Duas manifestações, duas mentalidades
“Que diferença de público entre a sexta-feira e o domingo. São dois países diferentes. O primeiro era triste, raivoso, invejoso, igualitário… No domingo, um Brasil cheio de luz, alegre, leve, calmo, sereno, ordeiro, pacífico, disciplinado, mas firme, reativo, indignado contra a corrupção e contra o PT. São dois mundos, filhos de duas mentalidades diversas”.
(*)Frederico Abranches Viotti é professor, jornalista e líder católico em Brasilia.
Paulistanos ironizam chavão criado por ministros de Dilma

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.