07 novembro 2014

Número de pacientes à espera de leito no Ceará chega a 104

pacientes

Conforme a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), a rede pública estadual possui 356 leitos de UTI

 

O número mostra que a demanda por leitos está acima da oferta atual, que soma 356 leitos na rede estadual de saúde do Ceará. No IJF, ontem, entre 30 e 33 pacientes aguardavam vaga em UTI. Acidentes de moto são gargalo

A demanda nos hospitais de urgência e emergência do Ceará tem extrapolado as condições de oferta. Uma das deficiências é quanto à disponibilidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Conforme O POVO apurou, o número de pacientes aguardando um leito de UTI chegou a 104 nesta semana no Estado. Cerca de 30% desse total estavam, ontem, no Instituto Doutor José Frota (IJF).

Na unidade, de acordo com o diretor médico Osmar Aguiar, existem 33 leitos de UTI (27 adultos e seis pediátricos) entre os 461 leitos de outras classificações. “Isso para um hospital de trauma é um número pequeno. Hoje (ontem) nós temos em torno de 30 a 33 pacientes aguardando leitos de UTI. Esse número está dentro do total do Estado. Só nós temos quase 30% (desse total)”, detalhou o diretor.

Conforme Osmar, os pacientes à espera de vagas ficam em unidades com cuidados intensivos com assistência ventilatória e são assistidos por uma equipe multidisciplinar. “Na emergência tem duas unidades com esse perfil (com 31 leitos) e, para o pós-operatório, existe a sala de recuperação”, citou. A permanência do paciente nessas unidades é de aproximadamente quatro dias.

Diariamente, a Defensoria Pública do Ceará recebe uma média de três pedidos de vagas de leitos de UTI nas unidades de saúde. “Em 99% dos casos, a Justiça determina que o Estado garanta o leito”, informou o supervisor do Núcleo de Defesa da Saúde do órgão, Dani Esdras. Conforme ele, demora até três dias para que o juiz tome a decisão e obrigue o provimento da vaga. “É expedida uma liminar que coloca o paciente na UTI enquanto o processo está em andamento. Normalmente o Estado cumpre a decisão”, frisou o supervisor.

A prioridade para pacientes que aguardam tratamento intensivo é dada de acordo com critérios internacionais. Entre os fatores analisados estão as condições de saúde atual, a possibilidade de recuperação e a ocorrência de intervenção cirúrgica.

IJF e HGF lotados

Ainda de acordo com apurações do O POVO, houve um aumento de doentes graves no IJF e no Hospital Geral de Fortaleza (HGF), tornando a situação da saúde preocupante. Isso teria afetado, inclusive, o uso de equipamentos como respiradores. O cenário crônico estaria se apresentando há algumas semanas.Mesmo após melhoria no gerenciamento de leitos do Estado, a demanda se mostra crítica.

Recorrer a leitos particulares também não seria uma opção, considerando que a rede privada também apresentaria deficiência de oferta.

Conforme informações da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), a rede pública estadual possui 356 leitos de UTI. Mais 40 vagas estarão disponíveis até o fim do ano com o funcionamento do Hospital Regional do Sertão Central, em Quixeramobim.

A assessoria de comunicação da Sesa informou número bem inferior de pacientes à espera de leitos, se comparado ao apurado pelo O POVO. Através de nota, o órgão divulgou que “nesta quinta-feira, 6 de novembro, às 17 horas, a Central de Regulação do Estado informa que há 12 pacientes aguardando leitos de UTI”. A nota destacou ainda que as centrais de regulação estadual e municipal estão operando com o mesmo sistema.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) não informou dados referentes aos leitos de UTI. A assessoria da pasta afirmou que a pessoa responsável pelas estatísticas não estava disponível para entrevistas ontem.

Saiba mais

De acordo com a Sesa, os leitos de UTI da rede pública estadual estão distribuídos assim: HGF (72), César Cals (33), Albert Sabin (41), Hospital de Messejana (50), Waldemar Alcântara (47), Hospital São José (8), Hospital Regional do Cariri (50) e Hospital Regional Norte (55).

Para acionar a Defensoria Pública pela necessidade de leito de UTI, é necessário apresentar identidade e CPF do paciente e de familiar, além de laudo médico confirmando a demanda. O endereço da defensoria é rua Pinto Bandeira, 1111.

O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.