18 fevereiro 2014

A Construção do Paraíso na Chapada do Araripe - CRATO - Por: Luiz Domingos de Luna


Na nave a velocidade 1000 vezes a da luz, tudo de material já não existe, somente feixes de íons – cátions e ânions em chips muito bem elaborados em 3D, em termos pedagógicos fica difícil de explicar.

Como explicar o que não existe, é sempre uma utopia empurrar o tempo em pelo menos 200 anos á frente, porém considerando que o tempo passado deu um salto e já estamos no futuro e com um pouco de imaginação talvez consiga, eu particularmente, não conseguiria, vez, se fosse um sonho, com certeza acordar-me-ia, pois é uma abstração muito forte torcer o tempo e apagar o espaço sem conduzir o processo cultural que ainda resta na memória Química da vida no Planeta Terra.

Em 3D entramos na quântica futura, a luz piscou, o sinal abriu e entramos na magia do processo criativo existencial do futuro, O Comandante acionou o acelerador e já estávamos extrapolando a velocidade possível ao pensar dos humanos – Logo todo pensamento é ilógico, pois, já, de longe a do pensamento, algo muito surreal, talvez uma psicografia Galaxial, mas ai o processo torna-se mais difícil, pois vem a que questão do acreditar ou não – eis a questão.

O Comandante muito brincalhão falou - entramos agora mesmo, na rotação do Planeta Terra – Alguém com alguma sugestão para a construção de nosso Paraíso no Planeta Terra? -Uma amiga virtual gritou - eu tenho sim, acionou o seu sensor pessoal e viu na tela uma linda paisagem, vales, rios, florestas e uma linda chapada que na sua visão já foi dando o nome de Chapada do Araripe, a paisagem de fato é linda, o comandante, passou para o telão para todos a visão da colega virtual – Aplausos geral, até que enfim, uma unanimidade, o comandante quis saber qual  seria  o nome  do Paraíso, a amiga virtual disse:  será o Crato – Território livre – o Comandante ficou desconfiado -  Crato – território livre ? Como assim?- É assim pessoal, lá nós vamos construir uma linda cidade, no sopé da chapada do Araripe lá será a capital cultural do cariri – Cariri como cariri ? É que lá nós vamos começar com os índios Kariris, sem preconceito, numa eterna ilha de felicidade, como em um coro celestial a música, a arte e a liberdade de um povo livre será o motor primeiro de uma região – o comandante que região é esta?  - Região do cariri cearense – a cidade mais linda do sul do estado do Ceará – Crato minha magia – A Eterna. O Comandante já irritado com tantas informações desconhecidas, como pode construir um Paraíso do ponto zero da nova existência? Se já existe todo um processo cultural e visual disponível.

O Comandante com muita raiva de processamento de pensamentos lógicos de forma coerente, disse em voz alta - Gostaria de comunicar a todos que deve está havendo uma falha no processador de memória, pois a colega virtual entrou no êxtase temporal e já dava detalhes de todo processo de Criação de nosso Lindo Paraíso.

Chamou imediatamente o revisor do tempo para verificar o que estava acontecendo com a colega virtual, pois o visor mostrava tudo muito nítido na tela do chip da colega virtual

O técnico apareceu e foi verificar a possível probabilidade no oceano mágico da Criação e plugou o chip da colega virtual ao comando geral – A Luz acendeu - e um  telão surgiu com os dizeres “o material disponível  já se encontra processado no revisor de memória – No  retrovisor do tempo, já,  tudo que a colega havia descrito em um espécie de  filmagens com tudo  o que havia – O Comandante  perguntou ao técnico  como  uma alteração de 200 anos atrás  havia sido conservado por tanto tempo.  O Técnico verificou o chip e  disse: comandante encontrei a  razão, o  processador  dela não foi deletado – como assim perguntou o comandante ? - o responsável por esta tarefa  teria sido  otark e ele  não quis deletar o nome dele  no comando geral  - por que ? Ora comandante  nos registros o tempo  é descrito em escala regressiva  -  logo no espelho do tempo tudo retroage ao contrário – e por que  Otark não deletou o material – O Técnico  disse – Simples comandante,como ele deletaria ele mesmo – Ele mesmo ? quis saber o comandante –sim -Ele mesmo, pois o nome verdadeiro dele é  Krato e  ele talvez por uma emoção da época ou em homenagem a si próprio deixou para a memória futura – O Comandante  -sim, mas Crato  não é com um K mais um C onde ele consegui este K  - sim comandante, mas, foi mais uma homenagem que ele quis prestar a sua terra. Como assim? - Ele amava os índios da época – Índios ? – Como assim  - Os primeiros habitantes de sua região – que eu saiba os índios  não tem nada a ver com o K que lhe perguntei – sim  mas os índios dele tinha  um nome  -Que nome ?  -nome é este: Kariris - O comandante quis saber como o técnico a conseguiria  em milésimos de segundos  prestar esclarecimentos tão claros sobre algo tão complexo – Como você sabe disso em detalhes ?  - è que eu fiz o mesmo  - Com assim  - Simples eu me  chamo    aroruak e comandante já sendo conhecedor  da maracutaia  intelectual perguntou e este K você colocou por que?  Em homenagem ao primeiro – Que primeiro?  -Quis saber o comandante - ao primeiro técnico - qual era o nome do primeiro, quis saber o comandante – Simples comandante: - OTARK.

Luiz Domingos de Luna.
Colaborador Blog do Crato


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.