31 dezembro 2013

Sobre a foto histórica do saqueamento do Crato pelas tropas de jagunços - Por: Zé Nilton de Figueiredo



O nosso conterrâneo Zilberto Cardoso de Oliveira, da estirpe dos benfeitores de nossa terra, fez estampar esta foto histórica quando do saqueamento do Crato pelas tropas de jagunços (não militares) de Juazeiro, na famosa querela chamada "sedição de Juazeiro". Cem anos em janeiro próximo. Uma veia aberta na conta do Padre Cícero. Não há mais segredos sobre o acontecido. Temos o clássico do historiador cratense Irineu Pinheiro, temos teses de mestrado, temos a reportagem do nosso famoso Lira Neto. Temos também chagas abertas de famílias cratenses que passaram os vexames daquilo que uma só palavra poderia ter mudado os rumos dos acontecimentos por aqui. A história é cruel mas é a história.

Ainda sobre de 1914. É fato que a insânia de Floro Bartolomeu abençoada e encaminhada pelo Pe Cicero fizeram um arraso no Cariri. Acho que ninguém de boa cepa retire a importância do padre nos conflitos. Baseado em que vão lhe isentar de sua fervorosa contribuição? Só quero ver. Ele que vinha ganhando espaço politico desde 1911 guando foi guindado a prefeito, selou o pacto dos coronéis, e virou em deles, na sua devotada e pensada imersão na política pós-batina quando perdeu tudo de padre pra Roma. É a história, gente. Nada contra. Acho até que todos os santos da Igreja foram homens com defeitos e virtudes. É olhar pra historia. Agora, vir dizer pra mim que é preciso isentar o Pe. Cícero do seu estrago na refrega de 2014 quando pendeu pros descalabros das forças dos coronéis por ele assumido, e quando se acomunou com mais um doido, o Floro Bartolomeu, é querer demais pra minha cabeça. É a história escrita deste Irineu Pinheiro, Pe. Gomes, Marcelo Camurça. Della Cava, Mons. Feitosa, Luitgarde, Paulo Elpidio, Otacílo Alcelmo, Lira Neto, e todos do passado, e bota escrita nisso, estão aí pra dizer. Rogo pelos quantos se quedaram sobre 1914 tentando retirar o Pe Cícero de todas as cenas da pilhagem sobre o Cariri. Que venham agora nos 100 anos do inevitável massacre explicar com zis malabarismos a contribuição sob a contagem das contas do rosário do padre e as balas emitidas sobre o Cariri: Crato, Barbalha e arredores. A história é cruel, mas é a história.

José Nilton de Figueiredo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.