27 novembro 2013

Antenor Muniz Gomes de Matos - Por: Valdemir Correia de Sousa


Na semana passada, faleceu em nossa cidade o engenheiro agrônomo, Antenor Muniz Gomes de Matos. foi uma triste noticia a do seu falecimento, e que dada a amizade que eu tinha com o mesmo, nao poderia deixar passar o infausto acontecimento, sem expressar as condolências tanto minha como de minha familia. 

Antenor, para iniciar o seu curriculum, era filho de Dr. Antenor e de D. Maria Muniz, duas figuras da maior expressão nos nossos meios sociais e familiares, dado que  com uma  familia composta por gomes de matos, muniz, sampaio, que é um marco da nossa sociedade, e que muito prestígio e trabalho agregou ao Crato e a regiao do Cariri. D. Maria Muniz, faleceu ano passado, depois  que uma impiedosa doenca, sem dar tréguas conseguiu tirar a guerreira do nosso convivio, digo guerreira, pois não tinha outra expressão para chamá-la. Casada com dr. antenor, irmão de  três, e da célebre doutora Artemísia gomes de matos, enfermeira, casada com o ilustre  advogado Dr. Luiz de Borba Maranhao, morava e trabalhava  onde hoje se situam as lojas Zenir. Como farmaceutica, ela mesma atendia na sua farmácia sempre com um sorriso nos lábios que era a sua caracteristica. 

Mas voltando a falar um pouco sobre D. Maria Muniz, a mesma ficou viúva muito cedo e com os filhos pequenos. Como tinha que cuidar dos mesmos e dar-lhes a devida educação, como de fato o fez, saiu da casa da Rua dos Cariris e foi morar no Brejo ao lado do engenho. Logo cedo por volta das três da madrugada, o apito acordava os trabalhadores que ao chegarem, já a encontravam toda vestida de preto, guardando ainda o luto pelo marido, ato que ela  usou durante muito tempo, so tendo amenizado um pouco, a pedido dos próprios filhos que viam quanto era improprio o uso de roupa preta, no meio de um engenho com temperaturas altíssimas. Nesta época Sonia Rolim, herdou de sua mae dona Anuzia, esposa do ex-bancario Mozart Rolim, uma gleba  de terra, situada no brejo, vizinho a Maria Muniz. 

A mesma mostrou interesse em comprá-las porem Sonia tinha interesse em um terreno situado na Rua Mons. Esmeraldo, esquina com Dr. Joao Pessoa, onde hoje se situa o bradesco, que era de D. Maria Muniz, e fizeram uma permuta. Aí e que vai entrar a atuacao de antenor, de um lado, defendendo a mae, e eu do outro defendendo Sonia, na escritura, o terreno tinha declarado 28 tarefas, e que o preco da tarefa era caro, fomos medir o mesmo. Com uma corrente, Antenor numa ponta, e eu na outra, cada qual puxava mais para seu lado. Medimos o terreno 5 vezes, ate que encontramos um denominador comum, ou seja as 28 tarefas, e nao 27 como queria Antenor , ou 29 como eu queria. Passada a medição, fiquei muito tempo com o dedo mindinho inflamado, e que mesmo depois de muito tempo, mais de trinta anos, ainda tenho sequelas. 

Antenor do outro lado, tambem, segundo dizia, nao sei se brincando, com o braco direito um pouco torto, quando nos encontrávamos falava...veja meu braço, e eu dizia, veja meu dedo..Antenor partiu ainda jovem, 60 anos, com uma alegria contagiante. Sempre alegre, nunca vi o mesmo com raiva. Deixou 3 filhas e 4 irmaos, sendo.. Alcides, Ze adega, Carlos  e Heitor. Vai com Deus, Antenor. 

Seja feliz ai em cima como foi aqui na terra. Com saudades

valdemir correia
Fortaleza,27 de novembro de 2013  
Foto: Wilson Bernardo


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.