23 agosto 2013

Depois de desmentir, dona Dilma anuncia a vinda de 4 mil médicos cubanos para o Brasil

Continua o clamor – em todo o país – contra a  anunciada contratação de 4.000 médicos cubanos para “atuarem” no nosso querido e infelicitado Brasil. Na prática trata-se de uma forma do Governo do PT dar sustentação à ditadura da dinastia dos irmãos Castro, ou seja, a ditadura cubana,  a mais sanguinária e mais antiga do continente americano. Ditadura que foi imposta ao miserável povo da  "ilha-prisão" há 55 anos... O Governo do PT pagará por cada médico R$ 10 mil reais mensais. Mas pagará esse dinheiro aos ditadores da dinastia dos Castro, que, por sua vez,  repassarão somente 10% desse valor ao médico-exportado e embolsarão o resto já que a situação econômica da ilha-cárcere encontra-se em fase terminal...
Abaixo, algumas das dezenas de  cartas de leitores do jornal “Estado de S.Paulo”, publicadas – naquele diário –  nesta 6ª feira, dia 23:



Juntou fome com vontade de comer
Finalmente o governo petista chegou aonde queria desde o início, depois de fazer voltas e mais voltas, para  financiar a sobrevivência da combalida ditadura cubana por meio da compra de serviços médicos. Pondo a ideologia acima de tudo, juntou a fome da necessidade de médicos em locais sem nenhuma estrutura para o exercício da medicina no interior brasileiro com a vontade de comer de um país faminto por ajuda externa e que não consegue andar com as próprias pernas, dependendo de exportar o trabalho de seu povo, uma vez que nada além disso tem para vender ao resto do mundo. Sobre essa novela cabe dizer o bastante surrado "eu já sabia!".
(Ronaldo Gomes Ferraz – e-mail: ronferraz@globo.com – Rio de Janeiro)
*** *** ***

É crime!
É incrível que um país democrático utilize trabalho escravo como o dos médicos cubanos! O salário pelo trabalho tem de ser pago ao trabalhador. O sistema proposto pelo governo petista parece esquecer que trabalho escravo é crime. Peço que o Ministério Público entre com imediata ação contra tal crime a ser perpetrado pelo governo federal. A que ponto estamos chegando!
(Cristiane M. S. Magalhães – e-mail: cris_magalhaes@uol.com.br – São Paulo)
*** *** ***

Cubanoterapia
Disfarçaram, enrolaram, mas tiveram de entregar o jogo, que já estava resolvido há muito tempo. Diante da indignação surgida, tentaram maquiar a operação criando o programa Mais Médicos. Na realidade, foi concebido para não dar certo e abrir a brecha de que precisavam. Algo como aquelas licitações dirigidas. Médicos nacionais ou internacionais sérios e livres não aceitaram as condições impostas. Que coincidência, sobraram os coitados dos médicos cubanos! Melhor, eles já estão acostumados - que remédio... - aos controles comunistas. Não vão receber diretamente, e sim aceitar as migalhas que o governo cubano decidir pagar-lhes. Nem sequer podem reclamar. Se receberem 10% do que o governo brasileiro gastar com eles, já será uma fortuna. O perigo de fugirem deverá ser mínimo, pois geralmente deixam a família lá como garantia.
Caso isso falhe, certamente alguns agentes do regime infiltrados no grupo ficarão de olho em algum fanático por liberdade. A maioria desses médicos também deverá estar devidamente doutrinada para glorificar o regime de lá e o de cá. Famílias carentes e pouco cultas são terreno fértil. Além do perigo político, alguns milhões nossos viajarão sem controle, pois conferir alguma coisa em Cuba será impossível. Afinal, o capitalismo, para os comunistas, não presta, mas notinhas de dólar são muito lindas. Nossos poderosos, ricos e zelosos sindicalistas certamente fecharão os olhos à falta de direitos trabalhistas e ao regime de semiescravidão desses médicos. Alegarão que são problemas de Cuba.
No entanto, nosso ministro Antonio Patriota está sempre muito preocupado com os direitos humanos nos EUA e na Inglaterra. Será que a nossa Comissão da Verdade, tão preocupada com os cadáveres e fantasmas da ditadura, vai opor-se a essa vergonhosa violação dos direitos humanos? Depois reclamamos que o resto do mundo não nos respeita.
(João Carlos A. Melo – e-mail: jca.melo@yahoo.com.br – São Paulo)
*** *** ***

Extorsão consentida
A dita "importação" de médicos cubanos, acertada entre os governos brasileiro e cubano, é simplesmente a compra de mão de obra escrava migrante qualificada. Certamente os conhecimentos médicos dos cubanos devem ser avaliados em exame de suficiência profissional. Porém há outra questão muito séria. Os profissionais cubanos vão receber só R$ 3 mil, em comparação aos R$ 10 mil mensais que os outros profissionais do programa Mais Médicos receberão para o exercício de trabalho semelhante. A diferença vai ser embolsada pelo governo de Cuba.
O Brasil está compactuando com a extorsão feita contra esses médicos, trabalhadores migrantes, por seu próprio governo. Essas condições ferem as disposições da Organização Internacional do Trabalho, das quais o Brasil é signatário, que determinam remuneração compatível para serviço semelhante exercido e proibição de discriminação de gênero e raça. Não existe situação de guerra ou de calamidade para que a Organização Pan-Americana da Saúde intervenha e que justifique tais disparidades.
(Ises de Almeida Abrahamsohn, médica e professora aposentada da USP – e-mail: ises.abrahamsohn@gmail.com – São Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.