25 maio 2013

Para Você Refletir...! - Por Maria Otilia

Cotidianamente encontramos pessoas, ás vezes até mesmo amigos ou colegas de trabalho, que por estarem em um cargo  comissionado ou no poder público, mudam de postura de uma hora para outra. E nem sabem estas pessoas que tudo é passageiro como diz a letra de uma música de Kleiton e Kleidir: "Você não vê que a vida corre contra o tempo, sou um castelo de areia na beira do mar. Pois  todo poder é efêmero. Para todas pessoas que querem ser gestores, seja na empresa privada ou pública, sejam acima de tudo humildes e com vontade de aprender em  pares.Neste mundo da globalizãção, requer   que todos nós saibamos conviver, trabalhar e aprender de forma cooperativa.Façam uma boa leitura desta maravilhosa fábula.

                         Governar e Permanecer Íntegro é Virtude de Poucos  
                                                A Raposa e o Macaco                                                

                                                                                                              
O Hipócrita vive das aparências, mas as aparências acabam por revelar o Hipócrita...
Numa grande reunião, entre todos os animais, que fora organizada para eleger um novo líder, foi solicitado que o Macaco fizesse sua apresentação.
Ele se saiu tão bem com suas cambalhotas, pantomimas, caretas e guinchos, que os animais ali presentes não puderam deixar de ficar impressionados com toda aquela encenação e jogo teatral.
E entusiasmados com tamanha performance, daquele dia em diante, resolveram elegê-lo como seu novo Rei.
A Raposa, que não votara no Macaco, estava aborrecida com os demais animais, por terem eleito um líder, a seu ver, tão desqualificado, já que levaram em conta apenas as aparências, o espetáculo, coisas que para ela não tinha valor algum.
Um dia, caminhando pela floresta, ela encontrou uma armadilha com um pedaço de carne. Correu até o Rei Macaco e lhe disse que encontrara um rico tesouro, que nele não tocara, porque por direito, pertencia a sua majestade, o Macaco.
O ganancioso Macaco, todo vaidoso com sua aparente importância, e de olho na prenda, sem pensar duas vezes, seguiu a Raposa até a armadilha. E tão logo viu o pedaço de carne ali agarrado, foi logo estendendo o braço para pegá-lo, e assim acabou também ficando preso. A Raposa, ao seu lado, deu uma gargalhada.
"Você pretende ser um Rei," ela disse, "mas é incapaz de cuidar de si mesmo!"
Logo, passado aquele episódio, uma nova eleição foi realizada entre os animais, para a escolha de um novo governante.

Moral da História:
O verdadeiro líder é aquele capaz de provar para si mesmo suas qualidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.