20 fevereiro 2013

Bispo Dom Fernando Panico vai ao vaticano logo que o novo papa seja eleito




A decisão do Papa Bento XVI de renunciar o cargo surpreendeu o mundo e até mesmo a Igreja Católica enquanto instituição. Embora há quatro anos, em seu primeiro livro que escreveu, intitulado “Luz do Mundo”, ele havia publicado que, se um dia chegasse a uma situação de não poder mais governar a Igreja por falta de firmeza de saúde, renunciaria o cargo, a noticia foi inesperada. A informação foi passada pelo bispo diocesano do Crato, Dom Fernando Pânico. Para ele, a renuncia de Bento XVI tem um significado especial para os caririenses no tocante ao processo de reabilitação do Padre Cícero Romão Batista de quem ele era defensor desde os tempos em que Joseph Ratzinger era cardeal e que tramita no Vaticano há seis anos. Explicou Dom Fernando que foi o cardeal Ratzinger quem iniciou todo um  trabalho de suscitar o interesse para rever os documentos de arquivos que descrevem a pessoa cristã do Padre Cícero. Conta o bispo cratense que nas cinco oportunidades que esteve com ele, sempre o assunto central foi a reabilitação e sentiu dele seu empenho pela conclusão do processo. “O Papa Bento XVI sempre foi muito sensível ao elemento da fé romeira por ser genuína e verdadeira. Diferentemente daquela fé sofisticada, vinda das elites que manipulam Nosso Senhor Jesus Cristo”, disse Dom Fernando ao afirmar que ainda não tem uma posição definida sobre até que ponto a saída de Bento XVI da chefia da Igreja Católica possa dificultar o tramite do processo de reabilitação do Padre Cícero.

Fernando Panico disse ainda que, assim que for eleito o novo Papa, fará uma viagem a Roma, levando para a Doutrina da Fé (a quem cabe analisar os documentos apresentados), a sua preocupação e o seu pedido para que se apresse uma resposta ao processo de reabilitação em atendimento as cobranças insistentes do povo católico do Cariri. A sua próxima viagem ao Vaticano para tratar do assunto será diferente daquela que a fez como chefe de uma caravana de dezenas de pessoas do Cariri que foi a Roma para uma simples entrega de documentos. Para o bispo, esta viagem, ao invés de ajudar, atrapalhou o tramite do processo porque, segundo disse, o povo romano não gostou do movimento, principalmente, por perceber que o Padre Cícero já é venerado como santo pelo povo nordestino. Dom Fernando disse que a sua esperança está no cardeal Tarcisio Bertoni, secretário de estado e que é a segunda pessoa depois do Papa. Mesmo sabendo que, com a renuncia de um pontífice, automaticamente cai toda a equipe de seus colaboradores, porem acredita na sensibilidade de Bertoni quanto a causa do Padre Cícero porque foi através dele que Bento XVI se informou sobre os fenômenos das romarias em Juazeiro do Norte e da devoção do povo, disse o bispo diocesano do Crato.

Dom Fernando Panico não consegue esconder sua tristeza pela renuncia do Papa Bento XVI que estava de viagem marcada para o Brasil no próximo mês de julho para a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. Com 85 anos de idade foi o pontífice de numero 265 e o sétimo Chefe de Estado do Vaticano. Deixa o cargo faltando 45 dias para completar oito anos de seu pontificado.

Wilson Rodrigues
Radialista/Jornalista
Membro oficial do Blog do Crato e Portal de Notícias Chapada do Araripe

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.