03 janeiro 2013

Pré-estação das chuvas ainda não chegou ao Cariri


As chuvas estão atrasadas na região, onde, tradicionalmente, já registra precipitações entre as demais no CE

Juazeiro do Norte. O ano de 2013 começa sem chuvas no Cariri, mas com céu nublado. Há um mês, alguns agricultores da região começaram a preparar as terras para o plantio. Os primeiros registros significativos aconteceu em algumas cidades da região, com pluviometria média de 50 milímetros. A pré-estação ainda não se configurou no Cariri, por onde, tradicionalmente, começam as maiores precipitações. A expectativa é que nestes primeiros dias do ano realmente comece a chover na região.

Tempo nublado é promessa de chuva, mas que ainda não se confirmou na região FOTO: ELIZÂNGELA SANTOS

A preocupação quanto a um possível ano de poucas chuvas a está presente. Caso se confirme, segundo o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Crato, será ainda pior que em 2012, por não haver reservas de água bem como de alimentos, como consequência da seca. Ano passado, foi registrada no Ceará a 6ª pior seca da história do Estado, com média de 350mm, 50% inferior ao previsto pelos meteorologistas. De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), em Fortaleza, no momento tem acontecido sistemas atmosféricos com causas de nebulosidades e chuvas de pré-estação.

Sistemas

O inverno se configura no Cariri a partir do mês de fevereiro. Mas, segundo experiências dos agricultores, conforme o secretário do Sindicato, no Crato, José Hildo Silva, a perspectiva é que o inverno venha ser melhor no mês de março deste ano. De 22 a 25 deste mês será realizado encontro em Fortaleza, com os órgãos que atuam na área da meteorologia de todo o Brasil, para uma avaliação dos fenômenos atmosféricos. Órgãos como Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), por meio do Centro de Previsão de Estudos Climáticos, além da Funceme e outras instituições competentes, estarão debatendo a possibilidade de inverno no Estado. Porém, até o momento, seguindo o meteorologista da Funceme, Leandro Valente, ainda não há nenhuma previsão climática relacionada ao inverno deste ano. Portanto, o prognóstico deverá estar sendo divulgado apenas no final do mês. Ele afirma que, em relação às previsões, o ano passado foi considerado atípico. Apenas em fevereiro e março foram registradas boas precipitações.

"Os meses seguintes acabaram com déficits. Além de ter sido um ano atípico, nos pegou de surpresa", diz. A pior seca do Estado, no final dos anos 50, teve um registro de 230,2 milímetros. No ano de 2012, as ocorrências de chuvas chegaram a 352,1mm. Um inverno considerado normal, deve ter, pelo menos, o registro médio de 900 mm, segundo a Funceme. E os agricultores também aderem ao senso comum, e vão buscar até nas simpatias a esperança de bom inverno. Em 13 de dezembro, dia de Santa Luzia, segundo José Hildo, os agricultores realizam a experiência do sal. Eles colocam pedras de sal que correspondem aos meses de chuva no sertão do Cariri. Aquelas que ficarem bem molhadas diz respeito ao mês em que haverá chuva em maior intensidade. Nesse caso, foi o mês de março.

Mas nessa perspectiva, há outra experiência de que o inverno bom acontecerá com chuvas de pré-estação a partir do dia 5 deste primeiro mês do ano de 2013. No próximo dia 7, centenas de agricultores estarão comemorando os 51 anos do sindicato, no Crato, o mais antigo do interior do Estado, com uma missa de renovação do Coração de Jesus. Na ocasião, os produtores compartilham as suas preocupações e esperanças, para o inverno deste ano. Na cidade de Iguatu, na região Centro-Sul, o último dia do ano amanheceu nublado, trazendo esperança para os agricultores do início da quadra invernosa. Na manhã do dia 1º, choveu 10 milímetros, mas a precipitação foi localizada. Mesmo assim, foi o suficiente para renovar no sertanejo a expectativa do retorno das chuvas.

Prejuízos

A seca que castiga o sertão se arrasta desde o primeiro semestre do ano passado, provocando enormes prejuízos no setor agropecuário. Não houve ocorrência das costumeiras chuvas isoladas no período de setembro a dezembro passado, tornando o período atípico e agravando ainda mais a estiagem e a dificuldade para os produtores rurais alimentarem o rebanho. "Estamos rezando e esperando chuva para o começo deste mês. Os prejuízos são enormes e não podemos pensar que a seca vai se prolongar neste ano", disse a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Natália Feitosa. Previsão da Funceme é de nebulosidade variável e chuvas isoladas em todo o Ceará, nas próximas 24 horas, devido à atuação de um vórtice ciclônico de altos níveis.

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaboradora do Blog do Crato e Portal Chapada do Araripe




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.