26 novembro 2012

Primeiro dever do homem público - Por: Emerson Monteiro


Quando ouço falar na troca de favores entre os homens públicos, ignorando a ética da delegação popular para os cargos que temporariamente preenchem, lembro de um episódio que me foi relatado por D. Violeta Arraes.

Segundo contou, no transcorrer das momentosas dificuldades vividas pela França ao tempo das lutas pela libertação da Argélia, assistira ela a uma entrevista de Charles de Gaulle, presidente responsável para administrar a grave crise. De um lado estava o movimento de libertação da colônia no Norte da África, que ameaçava desestabilizar as bases da república francesa. Do outro, parte dos franceses e do Exército, que recusavam permitir independência aos argelinos. No auge da luta armada e das movimentações políticas, de Gaulle reagiu com rigor e até puniu generais do Estado Maior, pessoas com quem mantinha estreita ligação de amizade e da caserna. O que impressionou D. Violeta foram as palavras do Presidente francês com que responde ao ser indagado pelo repórter quanto às duras medidas que adotava, prendendo, inclusive, amigos, antigos colegas de turma de Academia Militar. No que respondeu sem arrodeios:

- O primeiro dever do homem público é a ingratidão.

O general de Gaulle marcou a história qual das peças principais na recuperação do Ocidente depois dos desastres da Segunda Grande Guerra, líder inconteste de ações que resultaram no sucesso aliado, entrando em Paris à frente das tropas vitoriosas para libertar a Europa. Através das lições que legou, testifica personalidade afeita nos critérios que praticara quando convocado em momentos mais difíceis, a fim de conduzir o destino da sua gente.

Atitudes dos que comandam populações humanas exigem, pois, altivez de caráter e compromissos superiores, não só pessoais. O resultado dessas práticas virá na forma dos frutos sadios e valiosos exemplos de respeito às coletividades. Nunca exigirá demasiado quem pede dos governantes o cumprimento dos deveres de zelar pela cidadania, conquanto neste sentido nas democracias os elege.


Por: Emerson Monteiro
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.