18 novembro 2012

Filosofia popular - Por: Emerson Monteiro


Lembro, sim, de quando costumavam escrever embaixo das portas dos caminhões a frase Venha sorrindo, mas limpe os pés. Uma dentre milhares de tiradas primorosas do saber humano repassado de pai a filho. Daí, às vezes, também me pego a imaginar outras situações em que caberia esse estratégico mas. Tenha fé, mas trabalhe para obter o que deseja. Sonhe, mas faça por onde merecer o que quer. Espere, mas abra os olhos e veja chegar o bem ansiado. Faça belos discursos, mas pratique o que diga. Seja sabido, mas seja honesto em seus negócios.

A jornada aqui do chão indica longa série de coerência do que leva pensar e agir correspondente ao pensar cotidiano. Suba, contudo na medida das suas forças, sem pisar na cabeça dos que estejam abaixo. Pois espécie de justiça natural determina os acontecimentos. De boas intenções anda cheio o Inferno, porquanto só calcular o nosso lado sujeita terminar agir esquecendo os demais irmãos da vida.

De ganhadores o mundo anda cheio. A cada artista segundo as intenções de preencher o cenário. Armam e querem levar a melhor, na maior sem cerimônia, ação de rotina em dias agitados.

A pessoa apressada come cru. Pode até ganhar, mas não leva. Malandro de mais atrapalha e se atrapalha. Quanto ensino das tiradas populares, sabedoria decantada através do decorrer do tempo.

Hoje até já existe a Filosofia Clínica, espécie tratamento que tem por base as interpretações trazidas pelos mestres no correr da história. Achar o jeito de aplicar os tais conhecimentos dos sábios dentro dos praticados. Colocar o valor do conhecimento nas realizações das pessoas.

Desde criança ouço as expressões do próprio povo no sentido de resolver dificuldades, demonstração clara do poder das palavras na rotina de todo momento. Com isso, nos aproximamos da finalidade dos instrumentos que se possui para lubrificar os sistemas do grande mecanismo chamado realidade.

Em tudo há destinação e objetivo, restando descobrir e encaixar nos lugares o que a necessidade obriga. Pare e avalie a solução ideal que o problema pede, até descobrir a cura naquilo que antes parecia males de impossível solução. O espaço da experiência tudo aprimora no decorrer das muitas vidas.


Por: Emerson Monteiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.