15 setembro 2012

O alto custo das campanhas eleitorais -Por Maria Otilia



Diversas matérias publicadas em jornais e revistas, mostram as planilhas exorbitantes de gastos com as campanhas eleitorais para prefeitos e vereadores.

 A professora de Direito Eleitoral da FGV e ex-procuradora eleitoral do Rio, Silvana Batini diz que o valor elevado da estimativa feita pelos candidatos em cidades tão pobres é um contrassenso e um indicativo de que os financiadores podem ter interesses que não os mais democráticos.
“Campanhas caras em municípios tão pobres são um sinal muito eloquente de que a coisa vai mal. Quem doa faz um investimento. Temos que pensar: quem vai bancar os custos destas campanhas e por qual razão? Amor à democracia? Difícil pensar nisso. O financiamento de campanha está na raiz do sistema de corrupção da administração pública e não apenas a corrupção eleitoral. Quando o candidato vai pagar pelo investimento? Quando for eleito”, avalia Batini.  A procuradora Sandra Cureau também afirma que municípios mais pobres têm histórico de malversação de verba pública.

Existe toda uma incoerência entre gastos exorbitantes nas campanhas eleitorais, e a falta de recursos para o desenvolvimento das políticas públicas.Principalmente as políticas sociais. Falta dinheiro para melhorar  a segurança pública, falta dinheiro para readequar escolas, falta dinheiro para saneamento básico...etc. Mas quando chega a época de eleição,cada partido político desembolsa grande volume de recursos para gastos com campanhas dos seus filiados.Lembrando que este recurso pertence ao povo,porque a maioria dos recursos financeiros dos cofres públicos vem de arreecadação de impostos.

Esta reflexão  serve  para mostrar que quanto mais alto for o custo da campanha, maior será o comprometimento dos cofres públicos. Pois a conta deverá ser paga e com juros altíssimos. Negociatas, agiotagem, direcionamentos a empresas, servidores fantasmas...são algumas formas utilizadas para o pagamento das dívidas contraídas na campanha eleitoral.Gerando assim a continuidade durante quatro anos, dos mesmos problemas cronicos: saúde precária, falta de infra-estrutura nas escolas públicas, inclusive para a implantação de uma educação inclusiva,universalização do acesso de crianças na educação infantil, precarização e terceirização dos serviços essenciais(transportes,segurança,trânsito,limpeza pública,etc),geração de emprego e renda.

Vamos todos nós educadores desde cedo, implantar em nossas escolas através do Projeto Político Pedagógico, temáticas voltadas para a formação de alunos mais críticos, conscientes, responsáveis pela construção de uma sociedade melhor.E como consequencia teremos eleitores mais sábios que realmente sabem escolher aquele que melhor representa a vontade de um povo.

                                        


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.