10 junho 2012

Crato ultrapassa Juazeiro e é o segundo do Ceará em Dengue


A Secretaria da Saúde do Estado [Sesa] divulgou, nessa sexta-feira [8], o boletim atualizado dos casos de dengue no Ceará.

Em sete dias, o Ceará registrou um aumento de 3,3 mil casos e o Icó também teve aumento, com 52 novas confirmados. Os novos dados apontaram que mesmo com a estiagem, a doença ainda mantém o sinal de alerta, agora com 20.551 casos no território cearense. ICÓ - Em comparação a 2011, quando o município icoense sofreu com uma epidemia, de janeiro até junho, haviam sido registrados 1.216 casos. No mesmo período de 2012, até o momento, são 374 casos, do sorotipo 4, uma redução de 70%. A redução entre um e outro ano ainda se mantém, mas o que se registra é que o ritmo não segue outros municípios, que registram queda. O fato pode ser confirmado no ranking estadual, onde o Icó era sexto e está na quarta posição. As novas confirmações fizeram o Icó ultrapassar Barbalha e Canindé, ultimamente. A incidência de casos por 100.000 habitantes vem aumentando constantemente, estava em 472,07 e foi para 571,38, mais que o dobro do Ceará, de 243,47.

NO CEARÁ - O boletim da Sesa ainda informa que no Ceará foram registrados em 2012, até o momento, 44 casos de Febre Hemorrágica da Dengue [FDH], sendo 33 em Fortaleza [3 óbitos] e 11 no interior [2 casos]. Em relação a Dengue com Complicação [DCC], foram 85 casos: 54 em Fortaleza [3 mortes] e 31 no interior [2 mortes].

1°_Fortaleza - 14.765 casos e seis óbitos [três com Febre Hemorrágica da Dengue e três por Dengue com Complicação];
2°_Crato - 962 casos;
3°_Juazeiro do Norte - 880 casos e uma morte [Dengue com Complicação];
4°_Icó - 374 casos;
5°_Canindé - 321 casos.

RANKING DA REGIÃO - Os números atualizados da Secretaria da Saúde confirmam o primeiro caso em Ipaumirim. Este município, juntamente com Umari, Lavras da Mangabeira, Baixio, Orós e Cedro compõem a 17ª Coordenadoria Regional de Saúde, sediada em Icó. O ranking da região está assim:

1°_Icó - 374 casos [20 em janeiro, 47 em fevereiro, 48 em março, 170 em abril, 88 em maio e um em junho];
2°_Cedro - 3 casos [em março];
3°_Lavras da Mangabeira - 2 casos [um janeiro e um em março];
4º_Umari - 1 caso [em abril];
5º_Ipaumirim - 1 caso [em abril].

* Baixio e Orós ainda não têm caso confirmado
Com informações da SESA via Yuri Guedes

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. abemos que a DENGUE já virou problema de saúde pública. Mas infelizmente a população não colabora.Temos um prédio abandonado em frente a nossa escola e com certeza é um criadouro de mosquitos.
    Além de facilitarmos outros criadorouros.
    Na Escola Dom Quintino, colocamos peixinhos na cisterna, que semanalmente é monitorada pelos agentes de saúde. Tampas em todas as bacias sanitárias e diariamente higienizamos com água sanitária inclusive os ralos e esgotos.Estamos sensibilizando os alunos a multiplicarem as informações de prevenção, em suas casas. Precisamos como sociedade, também colaborar com o trabalho da Secretaria de Saúde. A dengue passou a ser problema de todos.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.