26 junho 2012

AS DIFICULDADES DO IBDVAMA PARA FISCALIZAR O MEIO AMBIENTE NO CARIRI


O escritório regional do Instituto Brasileiro de Direito a Vida dos Animais e Meio Ambiente ( IBDVAMA ), localizado na Avenida Duque de Caxias 675 em Crato, está funcionando precariamente por falta de apoio do poder publico estadual e federal. A única ajuda vem da prefeitura no valor de 300 reais por mês. O órgão tem abrangência nos 32 municípios do Cariri. Duas coordenadorias em Brejo Santo e Caririaçu, 110 agentes sem remuneração, sem armas e sem poder de policia, uma viatura cedida pelo Estado em troca de serviços voluntários. Os custos com a manutenção do veiculo, inclusive combustível e alimentação nas viagens, são mantidos pelos próprios agentes que são obrigados estarem presentes em todas as localidades da região onde acontecerem crimes ambientais e a única arma de defesa usada por esses fiscais contra os infratores é o dialogo em forma de conscientização. O Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente ( CONPAM ) prometeu ajudar  no fornecimento de equipamentos e uma ajuda de custos mas na condição de obter gratuitamente os serviços dos agentes na fiscalização da reserva ecológica do Sitio Fundão que já é fiscalizada por eles. A declaração é do gerente, Ernaldo Lima de Sousa ao fazer um apelo a sociedade do Cariri, amante do Meio Ambiente e dos animais, para não deixar o IBDVAMA da região fechar suas portas.

A secretária executiva regional do instituto, Rita Maria de Sousa, lamenta a situação de indigência e disse que a única alternativa para não deixar o IBDVAMA morrer foi lançar uma campanha junto as escolas e demais instituições para arrecadar material como papeis, papelão, garrafas PET, jornais e vender as empresas de reciclagem e com o dinheiro investir na manutenção do escritório. Quem quiser ser parceiro deve ligar para ( 88 ) 3521.1212. Ela espera contar com a mobilização de toda sociedade sensível aos objetivos do Instituto Brasileiro de Direito a Vida dos Animais e Meio Ambiente. Um agente que pediu pra seu nome não ser divulgado, declarou: “não entendo a razão de tanta negligencia em relação ao trabalho de um órgão tão importante em defesa da vida. Principalmente no Cariri, região privilegiada pela natureza divina e tão má cuidada pelo homem no que se refere a preservação ambiental”, finalizou. A secretária municipal do Meio Ambiente do Crato, Lívia França, concorda com a declaração do agente e disse que está a disposição para colaborar. Dará o apoio logístico que o órgão precisar.

O Instituto Brasileiro de Direito a Vida dos Animais e Meio Ambiente é um órgão federal criado com a finalidade de auxiliar as autoridades na fiscalização de reservas ecológicas publicas ou privadas em áreas de proteção ambiental e estação ecológica. Desenvolver projetos técnicos, científicos, educacionais, reflorestamento, agricultura sustentável, antropologia, arqueologia, biodiversidade, fontes alternativas de energia e outras ações, inclusive combater a violência contra os animais. A atuação do instituto está respaldada na lei 9.605/98 que trata dos crimes ambientais.

Wilson Rodrigues e Ed. Alencar
Radialistas e Jornalistas

Colaboradores do Blog do Crato e Portal Chapada do Araripe

Um comentário:

  1. É lamentavel que uma instituição como esta passe por tamanha necessidade. Mas daria um conselho. Emtrem em contato com o Cachueira e sua gangue, talves tenha ramificação no Cariri e solucionará o problema.Tem o BNB diretoria que pode tirar dinheiro dos banheiros, ou da cueca do assessor do Deputado Guimarães-PT-CE o Deputado Airton-PT-CE pode também colaborar tirando um pouco do que lhes rendeu o dinheiro público.O Conselheiro Odorico Meneses e seu filho.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.