12 maio 2012

CPI de Carlinhos Cachoeira: outro governador da “base aliada” se complica (postado por Armando Rafael)

(transcrito da revista Época)

SEM DIREÇÃO
Cabral brinca ao guiar uma bicicleta em Paris, em 2008. Suas viagens à França eram pura diversão, mas agora lhe causam problemas
(Foto: Carlos Magno/divulgação)

A agenda confusa de Cabral
Aparecem novas inconsistências nas seguidas viagens do governador do Rio de Janeiro à França
Quanto mais o governador do Rio, Sérgio Cabral, explica, mais se complica.

ÉPOCA revelou na semana passada que a agenda oficial de Sérgio Cabral (PMDB) mostrava o governador em atividades internas no Rio durante três dias em julho de 2009, enquanto ele se divertia na Europa. Durante a viagem, Cabral foi fotografado e filmado com o empreiteiro Fernando Cavendish, dono da construtora Delta. Como justificativa, sua assessoria disse que houve um erro de publicação naquelas datas e que Cabral de fato não estava no Rio, mas em descanso.
Na semana passada, ao tentar explicar por que gastou cerca de R$ 7 mil em diárias durante apenas dois dias de viagem oficial a Paris, nos dias 14 (uma segunda-feira) e 15 de setembro de 2009, o governador Cabral voltou a se enrolar. A justificativa de Cabral para os gastos é que ele chegara a Paris com três dias de antecedência. Mas, em sua agenda oficial, não constava a informação de que estava na França. Ela se limitou a informar que o governador estava em “compromissos internos”.

Procurada por ÉPOCA, a assessoria de Cabral disse que ele estava em Paris no dia 11 de setembro de 2009, uma sexta-feira, em “reuniões internas” preparatórias para o evento sobre Olimpíadas, em Copenhague, que aconteceria três semanas depois. Na mesma missão a Paris, Cabral apareceu em fotos, divulgadas pelo deputado e ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR), outra vez ao lado de Cavendish. A estreita relação do empreiteiro com o governador se tornou pública por causa de uma tragédia, em junho de 2011, quando os dois foram à Bahia para comemorar o aniversário de Cavendish. O helicóptero que transportava parte do grupo de convidados caiu, matando sete pessoas da relação dos dois.

O procurador-geral de Justiça, Cláudio Soares Lopes, chefe do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro, abriu uma investigação para apurar se a amizade entre Cabral e Cavendish, então dono de contratos de R$ 1,5 bilhão com o governo do Estado, favorecera a empresa. O caso foi arquivado, segundo o procurador, por “falta de provas”. Em entrevista a epoca.com.br na semana passada, Lopes disse que não via motivos para reabrir as investigações por causa dos encontros de Paris. “Se Cabral deveria ou não jantar com o empresário, é um julgamento político”, disse Lopes. Depois da divulgação das agendas do governador, incompatíveis com as festas na Europa, Lopes decidiu solicitar informações sobre as viagens de Cabral ao exterior.

11 comentários:

  1. É fato consumado e notório que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva incentivou a instalação da CPI do Cachoeira.

    Para tanto, o frio e calculista Lula admitiu sacrificar até o governador de Brasília, Agnelo Queiroz (do PT), atolado até o gogó nas facaltruas.
    Valia esse sacrifício, pois Lula se vingaria de Marconi Perilo (PSDB, governador de Goiás) que declarou -- repetidas vezes -- que tinha avisado a Lula sobre a operação do "Mensalão".

    Poucos sabem é que Lula só fez isso depois de consultar o governador fluminense, Sérgio Cabral. Lula sabia da amizade de Cabral com o ex-dono da Delta Fernando Cavendish e queria saber se as investigações poderiam constrangê-lo. Cabral foi taxativo: “Não”.
    Pois é.
    Lula hoje está arrependido.

    ResponderExcluir
  2. Caro Armando

    É impressionante como a grande imprensa, toda ela engajada no projeto DEMO-TUCANO tenta a todo custo e por todos os meios desviar o foco da CPI do Cachoeira, onde comprovadamente um governador tucano e o filósofo Demostenes, aquele que na CPI do Mensalão com pose de moralista apontava o dedo em riste, tirando verdadeira onda de honestidade, com toda sua falsidade. Esquecia-se de que "quem tem telhado de vidro não pode atirar pedras no telhado do vizinho." E a VEJA, hem? Tinha como principal fonte de suas denúncias nada menos que o famoso CACHOEIRA.
    O ex-presidente LULA jamais foi informado pelo "lacaio" do Cachoeira, o Governador escravo da jogatina, sobre o mensalão. Ele arrotava isto para a imprensa. Não se engane, muitos outros moralistas implicados com o contraventor vão ser descobertos. O Cachoeira financiava as campanhas tanto de um lado quanto do outro. A hipocrisia é a arte de se fazer política. É triste!

    ResponderExcluir
  3. Prezado Carlos Eduardo,

    Um erro não justifica outro, e quem roubou tem que pagar.

    O que a revista VEJA publicou foi tudo verdade. Nenhuma denúncia publicada deixou de ser comprovada, essa é que é a grande verdade. Se eixstem outras Verdades a serem publicadas, que se publique também.

    Até hoje ninguém me convence de que o ex-presidente Lula não seja o maior mentor e gerenciador do maior esquema de corrupção que este país já teve e que se chama MENSALÃO.

    Existem outros erros, e todos os corruptos precisam pagar, não só de esquerda nem de direita.

    Cachoeira é corupto, Maluf e Lula são coruptos ? Cadeia existe pra isso. Ou nao ? estamos no Brasil, onde para tudo dá-se um jeitinho...

    Abraço, e não se zangue.

    Dihelson

    ResponderExcluir
  4. Caro Dihelson

    Nesse país, tornou-se hábito julgar as pessoas com base nas denúncias da imprensa, sem nenhuma prova. Quando Petrônio Portela era governador do Piauí, a Revista Realidade, da Editora Abril e antecessora da Veja publicou uma reportagem escrachando e denegrindo a imagem do Piauí. Ainda me lembro que no inicio da reportagem havia o seguinte preâmbulo: "O Piauí existe? O paulista não sabe onde fica, o carioca nunca ouviu falar e para o cearense seu vizinho, sua bandeira é um couro de bode espichado numa vara!" Isto porque, segundo fontes do governo daquele Estado na época, por não haver patrocinado uma reportagem favorável.
    Você que afirma com toda sua convicção de que a Veja é o paladino da verdade, talvez esqueça-se do que ela fez com um casal proprietário de uma escola-crehe de São Paulo, colocando na boca de uma criança de 5 anos uma calúnia que arruinou financeiramente e moralmente a vida do casal. O desmentido veio anos depois, de comprovado pela justiça a inveracidade da denuncia, sendo os denunciados declarados completamente inocentes. O mesmo ocorreu quando do caso dos anões do orçamento com o Sr. Ibsen Pinheiro que foi cassado, perdeu o mandato e anos mais tarde, quando já havia morrido, inocentado pela justiça, sendo comprovado que a Veja multiplicou por mil um valor que ele havia colocado no orçamento. Mas até esclarecer-se, as decepções que tomam conta da alma de uma pessoa já o haviam levado para a eternidade..
    Lembro-me que na época da ditadura, dizia-se com toda certeza que, o Ministro Mário Andreaza era desonesto. Quando morreu, foi preciso os amigos se cotizarem para pagar seu funeral. No seu inventário não constou nenhuma fortuna.Talvez seja esse mesmo conceito que hoje os "tucanos" fazem de Lula.
    Já que você compara o ex-presidente Lula a Maluf, gostaria que o amigo me provasse com dados concretos quantas fazendas ele possui, enumere aquelas que foram compradas por menos de 25 mil reais e vendidas por dois milhões quando ele era presidente, quantos apartamentos de mais de um milhão de reais existem registrados em seu nome e quanto ele possui aplicado nas contas bancárias da Suiça, assim como nas ilhas Caimãs. Mas não vale afirmar. Tem de provar. Exijo isso para que possa me convencer. Dados concretos.

    Por que então se, de fato você afirma que, "até hoje ninguém lhe convence de que o ex-presidente Lula não seja o maior mentor e gerenciador do maior esquema de corrupção que este país já teve e que se chama MENSALÃO", porque ele não foi cassado, como era desejo de todos "demo-tucanos"? Por que nada foi provado contra ele.
    E ninguém também me convence de que a grande imprensa do Brasil não seja toda ela comprometida com os "demo-tucanos" e navega contra a maior massa de brasileiros que depois de oito anos de "tucanato" encontraram nos dois últimos governos o amparo que em mais de quinhentos anos lhe faltou pelos poderosos de então. É bom relembrar do último tucano que arrasou nosso país, vendeu nossas empresas a preço de banana, penalizou os trabalhadores de infinitas maneiras. (aumentou tempo para aposentadoria, imposto de renda, congelou salário mínimo e tantas outras mazelas e, também teve "mensalão" para lhe dar novo mandato, que o diga o senador de Roraima que gostava de mandar serrar vivo seus desafetos.). E isto não deixa de ser desonestidade para com o povo.
    Não defendo corruptos. E não justifico um erro com outro. Creio que antes de se decretar deve ser julgado. Apenas não emito julgamento sem provas! E muito me admiro com os acusadores de ontem que hoje se tornam acusados como o Senador Demostenes.
    Da mesma forma eu lhe peço que não se zangue! Tenho essas idéias, você tem as suas e um blog para que seus colaboradores possam emitir o contraditório.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Pessoas nefastas como Sarney, Lula e Maluf no Brasil não caem nunca. Não por falta de provas e mesmo com provas, eles não caem. Maluf que o diga,foram provados inúmeros casos de corupção e ele nunca caiu MESMO.

    Estamos no Brasil, e mais ainda, na era da corrupção.

    ResponderExcluir
  6. Fiquem à vontade para comentar dentro de todo o contraditório. Apenas externei também a minha opinião, como qualquer usuário, não fico com raiva. Minha raiva ou a falta dela não vai mudar uma só vírgula no destino e no dinheiro da corrupção do Brasil.

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  7. Carlos/Dihelson:

    No dia 18 de abril último, as agências de notícias divulgaram – amplamente – a nota abaixo:

    “ BRASÍLIA - A mais de mil quilômetros de Brasília, a dupla formada pelo ex-presidente Lula e pelo presidente do Senado, José Sarney, está orientando a estratégia da CPI Mista do Cachoeira - criada nesta quinta-feira no Congresso.

    Nesta quarta-feira, Lula e Sarney, em tratamento no Sírio-Libanês, receberam mais um grupo de políticos do PMDB. O mesmo Lula que incentivou a criação da CPI, a despeito dos alertas do próprio PMDB e de setores do PT, deu uma ordem expressa: os dois maiores partidos da base devem se unir e usar a maioria para blindar o governo Dilma Rousseff e não deixar que a CPI respingue no Planalto.

    Estiveram nesta quarta-feira com Lula e Sarney no hospital o vice-presidente da República, Michel Temer, o presidente do PMDB, Valdir Raupp (RO), o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), e o ministro da Previdência, Garibaldi Alves. Na segunda-feira, Lula e Sarney — que já anunciou uma licença médica de 15 dias — receberam os líderes no Senado do PMDB, Renan Calheiros (AL), e do PTB, Gim Argelo (DF), e o do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), além do ex-líder Cândido Vaccarezza (PT-SP)”.

    (continua abaixo)

    ResponderExcluir
  8. (continuação)

    “Segundo relato de um dos participantes da reunião desta quarta-feira, Lula, ao discutir a estratégia, mostrou preocupação com o direcionamento que a oposição pretende dar, priorizando as investigações na empreiteira Delta e no ex-ministro José Dirceu. Pediu que PT e PMDB usem a maioria para tratorar e impedir a aprovação de “requerimentos inconvenientes”.

    — Temos que usar a maioria para evitar o que for inconveniente. Vocês têm que unir os partidos aliados, colocar gente de confiança nos postos-chave, e não podem deixar que a CPI desvie do foco e contamine a área do governo — orientou Lula, conforme relatou ao GLOBO um dos interlocutores da dupla.

    Na análise feita no que já está sendo chamado de o “QG do Sírio”, Lula avaliou que o foco vai ficar restrito ao Centro-Oeste: os governadores Marconi Perillo (PSDB), de Goiás; Agnelo Queiroz (PT), do Distrito Federal, e outros envolvidos com o esquema de Cachoeira. Um dos presentes alertou:

    Já prevendo o rolo compressor, os senadores Pedro Taques (PDT-MT), Pedro Simon (PMDB-RS) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) foram na quarta-feira à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para pedir que a instituição, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Movimento de Combate à Corrupção acompanhem os trabalhos da CPI.

    — A ideia é montar uma comissão com entidades organizadas da sociedade civil para acompanhar e fiscalizar a CPI — disse Randolfe”.

    ResponderExcluir
  9. Armando
    Agencias do PSDB? O universo de fofocas é grande. Não acredito nessas suas agencias de desinformações!
    Fim

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Amigo Carlos:

    Você não acredita ( pior, descredencia a priori ) qualquer notícia que coloca em dúvida a honestidade dos integrantes da “base aliada”.

    Creio que um povo (e um país) que reabilita personagens do naipe de Renan Calheiros, Collor, Jáder Barbalho etc. e penaliza outros como Pedro Simón, Jarbas Vasconcelos, etc. torna difícil o diálogo entre os oponentes, por mais respeitosa que seja essas divergências.

    Aguardemos, pois, o julgamento do mensalão pelo STF.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.