05 fevereiro 2012

Início de tudo - Por José de Arimatéa dos Santos



Janeiro já passou e as merecidas férias também já se foram. Agora já é fevereiro e para muitos é o verdadeiro início do ano. Só para reforçar o carnaval está a bater as nossas portas e dessa vez é fevereiro, como é tradição. Regiões brasileiras carnavalescas como Rio de Janeiro, Pernambuco, São Paulo e Bahia a data do carnaval é somente o ápice da festa neste segundo mês do ano.

Fevereiro significa também a continuação de nossas preocupações com o pagamento de impostos para o governo. IPVA, IPTU, Seguro disso e daquilo, fora os impostos embutidos em qualquer compra nossa. E o salário só vai sendo corroído pelo monstro, nem digo leão, da máquina arrecadadora de todo governo. É uma fome siberiana do estado. Incrível como o gestor público só pensa em tomar o dinheiro nosso através de taxas e impostos. Até obrigações diárias do governo tem que ser taxadas. E somos nós que pagamos a conta. Nem vou falar em corrupção, pois se não estrago o dia, noite ou manhã de qualquer um de nós.

Fevereiro início do ano, mas só depois do carnaval. Até passar o carnaval a mídia fala que Dilma fará a reforma ministerial e tal partido da base aliada não se conforma com o número de aliados contemplados com alguma pasta. E essa mesma ladainha se escuta nos governos estaduais e municipais. Tem também as negociações quanto as coligações partidárias referentes as eleições de prefeito e vereador. Até as convenções os caciques políticos se tratam educadamente, pois podem estar juntos no mesmo palanque. E não se vê o cuidado com as ideologias mais não. Comunista se alia a liberal. Trabalhador se coliga com empresário. O que vale é ganhar a eleição.
Isto é fevereiro. Mês de festa do povo nas ruas onde o folião se esbalda e procura esquecer ao menos por três dias as frustrações e decepções na política e seus corruptos de plantão e os conchavos que são contra nós invariavelmente. E a vida segue na nossa luta diária por mais paz e conquistas coletivas e pessoais que desembocam na alegria, mesmo que momentânea, de carnaval. É fevereiro.... Vamos, seja como for, fazer a folia!

Mas que a alegria de carnaval seja o início de atitudes conscientes com a vida. Se vai beber nem chegue perto da direção do carro. Nada de briga, pois esse período é certamente um dos mais alegres do ano. Vamos começar esse início de ano com muita responsabilidade e amor a vida. A folia une a todos e a rua é passarela da verdadeira alegria de viver onde as ricas manifestações da cultura nacional desembocam no momento em que a nota máxima contemplem o amor e a solidariedade com o irmão. Isso é carnaval. Início de tudo.

2 comentários:

  1. É bem assim mesmo, José de Arimatéia... desde o final do ano, quando começamos a fazer planos para o ano seguninte (educação, trabalhos, etc), vem sempre aquele pensamento (ou ouvimos de alguém), "no Brasil, tudo começa só depois do carnaval", as aulas iniciaram, más, pra valer, "só depois do carnaval"...

    Realmente, carnaval é alegria, fantasias, diversão. Para muitos, nesses quatro dias tudo pode, "ninguém é de ninguém", e por aí vai... Como você já descreveu muito bem em seu texto, eu acrescento a dica: respeito pelo seu corpo e o corpo do outro, sexo seguro (evitar gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis, e sofrimentos com possíveis envolvimentos, mesmo que passageiros).

    Ufa! Janeiro é um "quebra-quebra de pernas". Impostos que não acabam mais, difícil é ver o retorno deles... Depois vem a declaração do Imposto de Renda (março) e ficamos atolados, novamente o ano todo, pagando impostos sobre impostos... E pouco é revertido em obras e bem-estar para a sociedade...

    Só tenho a desejar, um ótimo carnaval para todos os leitores deste Blog!

    Cristiany Lacerda

    ResponderExcluir
  2. Pois é Cristiany,
    Primeiro agradeço seu valioso comentário que só veio a acrescentar ao meu pensamento a respeito de todo início de ano.
    Além desse monte de imposto que pagamos agora tem ainda em abril que ajustar as contas com a Receita Federal. Considero injusto, pois o trabalhador é que paga na sua grande maioria. Por que não taxar as grandes riquezas mais fortemente?
    E no carnaval é importante o cuidado com a saúde e o excesso de bebida alcoólica, além da violência.
    E na política logo, logo só se fala nisso. É importante cobrar projetos dos candidatos e exigir dos eleitos que as promessas realmente sejam postas em prática.
    Enfim, que o carnaval represente a alegria e a irreverência de todo brasileiro.
    José de Arimatéa dos Santos

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.