29 novembro 2011

GUERRILHEIROS DO CARIRI PUBLICAM MANIFESTO


Combatentes seguem conquistando o coração do grande público na mais ousada e legítima vitrine das artes cênicas produzidas no Cariri cearense. A Guerrilha do Ato Dramático Caririense é um foco de resistência e afirmação cultural, tendo o teatro, a dança e o circo como linguagens centrais, e se realiza a partir da ação conjunta e gestão compartilhada entre grupos e companhias da região. Nossa terceira edição, que se estendeu de 3 a 27 de novembro de 2011, foi prestigiada por um público de mais de 5.000 pessoas durante sua vasta programação.

O Cariri tem um grande potencial artístico que, de certo modo, vem sendo desprestigiado por instituições promotoras de grandes eventos, seja privilegiando caça-níqueis ou produções do Sul e Sudeste, numa atitude deplorável de negação da arte e do artista local. Não somos contrários ao intercâmbio, mas defendemos que este deve ser concebido em via de mão dupla. Afinal, não podemos ser confinados à condição de meros espectadores, quando temos uma rica e diversificada produção a ser mostrada, apreciada e valorizada.

A Guerrilha foi criada, portanto, como uma espécie de insurreição contra o abandono e a negação praticados no seio de grandes mostras realizadas na região. Contra a excludência! É um pólo gerador de vivência e integração, provocador de oportunidades para os novos e de visibilidade para os que pelejam há mais tempo.

Somos companhias de teatro, dança e circo do rico universo Cariri, com linhas de pesquisa e comportamento estético muito peculiares, o que nos garante um quadro diversificado de espetáculos. A Guerrilha reuniu, em 2011, artistas-guerrilheiros das seguintes companhias: Cia. Cearense de Teatro Brincante, Cia. Wancylu’s Gat Produções, A2 Cia. de Dança, Cia. Fazendo Arte de Teatro, Cia. Mandacaru de Artes e Eventos, Comunidade Oitão, Grupo Ninho de Teatro, Cia. Teatral Curumins do Sertão, Cia. André de Andrade, Luciom Caeira e Cia., Grupo Tio G e sua trupe, Alysson Amâncio Cia. de Dança, Cia. Teatral Os Trapilhões, Circo-Escola Alegria, Cia. Yoko de Teatro, Cia. Desabafo de Teatro, Dakini Cia. de Dança e Teatro, Cia. Teatral Arriégua, Cia. Entremeios de Teatro, Grupo Centauro de Teatro, Grupo Máscaras da SCAC, Cia. kanoistravezdenovo, Grupo Cícera de Experimentos Cênicos, Cia. Elas de Teatro.

Neste dia em que celebramos o êxito do nosso movimento, aprovamos e publicamos o presente manifesto, que carrega nossa voz, nosso coração e nossa alma.

Guerrilha permanente

Pleiteamos que todas as instituições que fomentam as artes cênicas no Cariri se irmanem no financiamento, difusão, formação, intercâmbio e circulação permanentes do que é produzido na região... Vemos que vários bons espetáculos de outros estados e de diversos países são mostrados no Cariri, mas é revoltante perceber que as mesmas instituições que promovem essa oportunidade, negam-se a desenvolver ações que valorizem e mostrem nossos espetáculos em outros estados e países.

Intercâmbio responsável e democrático

Somos defensores de um intercâmbio que propicie a verdadeira integração e vivência entre as mais diversificadas e distintas experimentações e realizações cênicas, respeitando as opções estéticas e abolindo o preconceito, o mercenarismo, a subserviência, o colonialismo.

Dignidade nos cachês e no financiamento

Nossas companhias de teatro, dança, circo, música e folguedos são constituídas de respeitáveis e valorosos artistas, pesquisadores e mestres. E nossas criações são merecedoras da atenção e tratamento distinto por parte de agentes financiadores e órgãos promotores, sejam públicos ou privados. Somos a expressão verdadeira da identidade deste valoroso pedaço do mundo. Por isso, combatemos a humilhação dos cachês irrisórios e financiamentos insuficientes praticados com as produções locais e reivindicamos a revisão das políticas desenvolvidas no Cariri por todas as instituições atuantes no setor.

Controle social dos investimentos

Propomos que BNB, CEF, BB, SESC, URCA, SEBRAE, SECULT do Estado e dos Municípios, MINC e Funarte, além de outros órgãos, possibilitem a participação dos setores organizados na concepção de programas e deliberação dos investimentos em arte e cultura. Dessa forma, teríamos justiça na definição de cachês, criação de intercâmbio verdadeiro e compromisso com o desenvolvimento e fortalecimento das artes e valorização dos artistas caririenses. Procedimento este, se extensivo a outras regiões do estado e do país, garantiria o respeito à diversidade e baniria grupos de mercenários que se instalaram no interior e na periferia de Organizações Governamentais (OG's) e Organizações Sociais (OS's), detentoras de imenso capital financeiro de origem pública.

O Cariri é universal

Não entendemos o Cariri como uma ilha isolada do resto do Brasil e do Mundo. Perderia o sentido a sua existência, se assim fosse. Compreendemos nossa região como resultante de uma grande e profunda fusão de culturas, caldeadas em séculos de peleja envolvendo principalmente o ameríndio, o ibérico e o africano. Somos universais! Lutamos, portanto, para que nosso povo não seja movido a ignorar a si mesmo. Valorizar o Cariri não é negar outras regiões ou países, mas inseri-lo na dinâmica que tempera a existência e o espírito da humanidade.

Crato-Cariri-Ceará-Brasil, em 27 de novembro do ano 2011.

Os Guerrilheiros do Ato Dramático Caririense

3 comentários:

  1. Cacá, parabéns pelo manifesto. É preciso que exista esse movimento permanente de guerrilha nas artes, A luta dos que tentam exprimir suas vocações artísticas e construir algo pela sociedade nesta região, é imensa, e na maioria das vezes não conta com o apoio necessário dos poderes públicos ou privados. Estou muito feliz que em apenas 3 anos, a Guerrilha já se configura como um movimento que extrapola o caráter inicial, que era o teatro, e se expande para todas as outras áreas artísticas. Fiquei muito feliz por haver sido convidado a dar uma pequenina contribuição e participar desse imenso caldeirão das artes.

    No que depender de nós, estaremos sempre em apoio a essa iniciativa que veio como uma guerrilha, mas que a cada ano, representa o que há de mais puro na cultura caririense, longe dos estrangeirismos que alguns querem nos impor, como a querer sufocar o que temos aqui de mais representativo.

    Parabéns!

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Dihelson!
    Nos esforçaremos para, na 4ª Guerrilha, termos um painel musical mais completo.
    Um forte abraço!!!

    ResponderExcluir
  3. Sua participação foi extraordinária. Pena não ter sido por mais tempo. Depois vamos nos reunir para discutirmos um formato para a parte musical da 4ª Guerrilha.

    Valeu!

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.