01 agosto 2011

A Urca será federalizada? - Por Carlos Eduardo Esmeraldo


Há poucos dias, o competente escritor e historiador Armando Rafael escreveu em sua coluna semanal: "Dilma Rousseff cria a Universidade Federal do Cariri. Juazeiro do Norte, justificadamente, fica com a sede por dois motivos: é a cidade onde está localizado o maior campus da UFC (na 3ª fase de expansão, enquanto o de Ciências Agrárias, em Crato, sequer foi concluído) e o campus que detém o maior número de cursos em funcionamento. Meses depois, a Urca é encampada pela Universidade Federal do Cariri. Crato fica com o Campus do Pimenta como prêmio de consolação..."

Mas está claro que a federalização da URCA é a vontade do Sr. Governador. Há a desculpa esfarrapada de que um Estado pobre como o Ceará não possui condições de manter três universidades.

Seria bom que se verifique a veracidade de alguns comentários que circularam pela cidade quando da criação da URCA, há quase vinte e cinco anos. Como todos sabem, a URCA somente foi viável pela cessão feita pela Diocese do Crato do acervo, cursos, prédios, bibliotecas, e outros bens que pertenciam à nossa diocese. A condição estabelecida naquela oportunidade pelo então Bispo Dom Vicente Matos era de que a doação do acervo estaria condicionada à sede da URCA (Reitoria) e muitos dos seus cursos ficarem no Crato.

Gostaria que o amigo Armando verificasse esse detalhe, consultando nos registros da Diocese, se o contrato de encampação realmente possui essa cláusula. Acredito que o padre Gonçalo poderá esclarecer sua existência. Se assim for, eis aí um ponto de apoio para os cratenses lutarem para que nossa terra não venha mais uma vez ser derrotada em suas pretensões. É importante que todos os cratense vistam a camisa do Crato e entrem logo em campo para que tal objetivo seja alcançado.

Por Carlos Eduardo Esmeraldo

5 comentários:

  1. Caro amigo Carlos Eduardo:
    Você tem razão.
    Constaram, de fato, nesta cidade – nos anos 80 – comentários de que para a cessão do patrimônio da antiga Faculdade de Filosofia do Crato (para possibilitar a criação da Universidade Regional do Cariri), uma exigência fora feita pela Diocese de Crato: a de que esta indicaria sempre o vice-reitor da novel instituição.
    Mas, ao que parece, foi uma exigência verbal. Não constou em nenhum documento escrito. Nem foi publicado no Diário Oficial do Estado do Ceará.
    Noutras palavras: a exigência do Bispo Diocesano (se realmente existiu) já foi desrespeitada quando o governador Tasso Jereissati nomeou a professora Violeta Arraes como terceira reitora da Urca, pois naquela ocasião, ao invés de homologar monsenhor Gonçalo Farias Filho como vice-reitor, o governador nomeou para o cargo o professor Plácido Cidade Nuvens. Ou seja, prevaleceu, para a escolha, critérios, digamos, “políticos-administrativos”(?).
    Com sua experiência de vida você sabe o modus operandi dos acordos políticos no nosso Brasil...
    Aliás, até o general Charles de Gaulle já dizia: “Os “tratados” só servem para serem rasgados”. Imagine então o que significaria um simples pedido verbal, feito por uma pessoa de bem, humilde e de boa fé, como era Dom Vicente Matos...

    ResponderExcluir
  2. Muito oportuna essa observação do Carlos Eduardo. Aquele comentário do Armando iria cair no esquecimento, não fosse essa iniciativa.

    Acho bom, minha gente, que nós fiquemos de olhos atentos às coisas. O Carlos está certíssimo. Esse é o momento que antecede todo o "embroglio", é um daqueles momentos raros na historia do Crato em que se não tivermos cuidado, perderemos mais essa luta ( das muitas que já perdemos ).

    Vou tentar ficar sempre tocando nesse assunto e trazendo de volta essa postagem do Carlos, pois como sabemos, a dinâmica do Blog é grande e de um dia para o outro as coisas podem descer demais e acabar caindo no esquecimento. Não deixemos que isso aconteça, pelo bem dos Cratenses!

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  3. Prezados Carlos, Armando e Dihelson.

    A historia se repete sempre.

    Há quarenta anos quando o Banco do Juazeiro encampou a Banco do Cariri pertencente a Diocese do Crato havia esse compromisso de manter alguns diretores do Crato. Na primeira diretoria eleita estavam Dr.Caio Fernandes Teles e Teunas Soares. O Tempo passou o Bicbanco cresceu e hoje na historia de sua origem não se fala mais em Banco do Cariri.

    Com a Urca não foi diferente. E o pior, daqui a 20 anos estaremos questionando a entrega do Hospital São Francisco.

    Esse é o resultado de quem entrega o que é seu para os outros.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Morais disse tudo!
    "Não há nada de novo debaixo do sol" diz a Sagrada Escritura. Ou como escreveu Morais:"A historia se repete sempre".
    Esta a verdade da vida...

    ResponderExcluir
  5. Prezados amigos
    Estou agradedecendo a participação de vocês de Redenção, no sul do Pará, onde nos encontramos, eu e Magali, em visita a um dos nossos filhos que aqui reside e trabalha.
    Na última sexta-feira, quando postei esse texto estava de sáida para Salvador para nos reunirmos com meus colegas de formatura, ocorrido há exatos 40 anos, nesse último dia 30 de julho.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.