14 junho 2011

Lançado MOVIMENTO PELA DIVERSIDADE MUSICAL E CONTRA O MONOPÓLIO DO FORRÓ DE PLÁSTICO NO RÁDIO - Por: Dihelson Mendonça


Junte-se a nós. Viva todos os Estilos musicais !


ROCK, SAMBA, FUNK, POP, MPB, REGGAE, SALSA, INSTRUMENTAL, JAZZ, CLÁSSICOS, BAIÃO, XOTE, FREVO, MARACATU...pra você que está sufocado por tanta besteira e mesmice no Rádio Caririense!

Somente com a união de todas as pessoas que gostam da música de qualidade no Brasil, conseguiremos vencer o "Cartel da Mídia" que mantém o monopólio do forró de plástico 24 horas por dia nas estações de rádio. Estou recrutando cada pessoa de bom gosto musical, cada cidadão que odeia a baixaria representada pelas bandas de forró; Cada um que curte outros estilos, para que juntos formemos uma frente, um movimento organizado que estou denominando inicialmente de "Movimento Pela Diversidade Musical na Mídia" para as estações de rádio possam voltar a tocar estilos variados de música, rompendo esse monopólio de porcarias estabelecido. Como sabemos, o percentual de pessoas que apreciam música de qualidade é muito superior aos que gostam de música ruim, mas somente a música ruim tem espaço no Rádio, porque um grupo econômico criou e mantém há 2 décadas uma estrutura perversa que visa apenas ganhar dinheiro fácil às custas da massificação.

A ESTRUTURA DO SISTEMA

Ao contrário do que muitos pensam, o monopólio do forró de plástico na mídia não é um elemento passivo. Não caiu no gosto do povo por mero acaso. É fruto de uma estrutura cuidadosamente planejada nos anos 90 por um grupo de empresários visando o ganho de dinheiro fácil dos incautos pela exploração e pela massificação. O objetivo primordial deles é manter o forró de plástico ativo 24Hs no Rádio, impedindo outros estilos musicias e garantindo público nos eventos:


O sistema é formado basicamente por 3 elementos que trabalham de forma organizada e sincronizada:

01 - Proprietários de bandas de forró de plástico ( gravadoras ) - A coisa toda é feita visando a exploração da baixaria, da vulgaridade, do estímulo ao alcoolismo e da prostituição, com letras pobres que apelam para os instintos primitivos enquanto se investe no visual, tornando a música um fator secundário. Arte não existe. Abusa-se do mau-gosto, e garantem-se espaços nas estações de rádio com uma estrutura paga, via satélite. Como uma droga de efeito imediato e que não se mantém, é que nem mesmo aqueles que gostam desse estilo aguentam ouvir a mesma música por muito tempo. O sucesso é passageiro, como o efeito de qualquer outra droga. O lucro não é obtido na venda de CDs, que são vendidos nas lojas por um valor simbólico e são muitas vezes doados em esquinas como promoção para arrebanhar público para os shows. Usam as gravadoras apenas como elemento de produção, sendo que o lucro real vem da venda de ingressos nos shows. A tática é oposta ao modelo vigente nas grandes gravadoras do país, onde lança-se o artista para vender o produto. Aqui, a gravadora serve apenas para reforçar e amparar o sucesso. A música pode até ser gravada ao vivo, no próprio show, pois descobriu-se que o público alvo não tem intelecto suficiente para distinguir a qualidade da gravação. O objetivo é promover a participação do público, sobretudo gritando nomes de determinadas pessoas nos shows, que levarão os CDs para tocar para os amigos. Na maioria dos casos, uma mesma música é gravada por várias bandas ao mesmo tempo.

02 - Estações de Rádio - Em conluio $$$$$ com as bandas de forró de plástico para massificar a população, elas é quem preparam o GADO ( público ) para as vendas dos ingressos nos eventos garantindo a publicidade antecipada, a fim de levar a massa como gado ao matadouro ( shows ) como se fossem Zumbis. A música, segundo eles, não deve ser artigo para pensar. Pensar, Dói ! - Música seria como qualquer droga, como CRACK e COCAÍNA: Apenas para a diversão fugaz, de fácil apelo, e em associação ao movimento corporal e à sensualidade. O Rádio une-se às bandas de forró para divulgar somente o material fornecido pelos proprietários, minimizando ou vetando quaisquer outras formas musicais, garantindo assim o monopólio e a massificação e preparando o povo para o principal: a venda de ingressos em shows.

03 - Proprietários de Casas de Shows - Aqui é onde realmente desemboca o grande filão do dinheiro. Visando lucro fácil, entram na jogada, abrindo os espaços para o material que já foi divulgado e massificado por meses nas estações de Rádio e em acordo com as bandas de forró. Em época de eventos, as bandas que irão participar se intensificam nas estações de rádio, tocando principalmente as que participarão, e retirando as que não irão participar, tudo preparado cuidadosamente com meses de antecedência e garantindo a participação da massa, que estará preparada a tempo para o dia do shows. Todos lucram no negócio milionário.

RECLAMAR ADIANTA ?

01 - Desde que o forró de plástico ( como é conhecido atualmente o chamdo "forró putaria", desde a intervenção do músico Chico Cesar ) nossa tática de reclamar não tem sequer arranhado a estrutura dos organizadores de eventos, e muito menos sensibilizado qualquer dos 3 pilares do cartel da mídia, que estão agarrados ao OSSO, mas estas reclamações, por outro lado, tem feito surgir muitas bocas indignadas no seio da sociedade ( inclusive crônicas famosas, como a do Ariano Suassuna ). As inúmeras reclamações trouxeram de volta pessoas que gostam da boa música e estavam esquecidas, impotentes frente ao descaso, e foi por essas reclamações que descobrimos outros que pensam iguais a nós, que estão vendo a arte e a cultura irem para o ralo. Portanto, reclamar é bom, sempre foi bom e sempre será uma grande arma nesse movimento.

02 - A nossa estratégia de começar a ganhar os meios de comunicação tem dado certo. Diversos artistas do nordeste, e principalmente do interior do Ceará, além de formadores de opinião se reuniram e foram às estações de rádio tocar aquilo que já não mais se ouvia. Apesar do curto espaço de tempo, estamos reunindo, congregando as pessoas que gostam de outros estilos musicais, e posso dizer pelo que vejo e tenho ouvido, que a quantidade de pessoas que gostam de boa música é maior do que os que gostam de porcaria, só que eles não se manifestam tanto quanto aqueles. Os shows dos bons artistas estão gradualmente retornando, e tem tido casa lotada, prova do retorno da boa música e do funcionamento do Marketing.

03 - Mesmo em Fortaleza, o reduto do Forró de Plástico, é unanimidade que lá esse forró decadente já diminuiu e alguns apostam até que está morrendo. Ainda bem!

O NOSSO MOVIMENTO:

Minha idéia é unir todas as pessoas que gostam de música de qualidade num grande e permanente movimento em direção às artes e à cultura, a fim de quebrar o monopólio de um só estilo de música no Rádio, garantindo a diversidadeartística e cultural. Temos andado muito dispersos nos últimos anos. O inimigo se aproveitou disso e tomou conta dos meios de comunicação. Permitimos literalmente que a raposa invadisse o galinheiro, enquanto ficamos apenas olhando sem nada fazer. Nosso movimento precisa ser direcionado no sentido de ocupar os espaços novamente, dos meios de comunicação em escala Regional, Estadual e Nacional.

Esse movimento organizado, que une todas as mídias de que temos acesso, terá por meta a união de todas as pessoas de bom gosto numa imensa "Corrente do Bem", que fará cada vez mais pressão no sentido de garantir espaços de diversidade na mídia, e consequentemente, formar mais platéia e bom gosto. O nosso público é grande, só está disperso. É preciso reunir essas pessoas dos 4 cantos. A nossa força estará nessa união. Será um movimento lento, porém gradativo e permanente, que espero contar com todos aqueles que não mais aguentam tanta decadência cultural, que não aguentam mais tanta porcaria no Rádio, e que desejam ouvir novamente MÚSICA DE VERDADE. Lançamos hoje a pedra fundamental desse movimento de resgate aos grandes valores; Não apenas musicais, pois a música decadente é fruto de uma sociedade em decadência. Por isso, é preciso investir nos grandes valores que formam o ser humano, que se baseiam sobretudo, na educação, que é o grande pilar da sociedade. Que possamos unir nossas forças, e todos os recursos disponíveis no sentido de cultivarmos o melhor do ser humano, e com certeza, todo o bem virá por consequência.

Una-se a este movimento. Em breve, o lançamento do site oficial. Enquanto isso, quem quiser participar, pode me adicionar no Facebook, twitter, ou outros websites para trocarmos idéias e estratégias para o combate ao monopólio da mídia:

www.facebook.com/dihelson
www.blogdocrato.com
www.chapadadoararipe.com
www.radiochapadadoararipe.com
www.culturanocariri.com
www.cariricult.blogspot.com
www.cariricaturas.blogspot.com
www.redeblogsdoceara.blogspot.com

VIVA A DIVERSIDADE MUSICAL. ABAIXO O MONOPÓLIO !

Abraços,

Dihelson Mendonça
Músico - Compositor, Pianista, Fotógrafo, Escritor.

( data original: 07 de Junho de 2011 )

33 comentários:

  1. É bom que eu esclareça aos mais apressados, que este trabalho eu já venho desenvolvendo há vários meses, e não é um evento imediato. É fruto de meses dos nossos programas de Rádio e da receptividade do público nas ruas em relação ao que é veiculado lá, que vai de música Pop Internacional à MPB de qualidade.

    Na verdade, é o próprio público que me forneceu a idéia deste movimento, pois inúmeras pessoas me param para cumprimentar pelos programas, sem que uma conheça a outra. Então que tal reunir todas essas pessoas ?

    A indústria da Música ruim investe pesado. Investe milhões de reais todos os anos na promoção de eventos gigantescos. Quanto nós que gostamos de boa música investimos em um ano para que nosso estilo seja mais escutado, para arrebanhar adeptos, para formar público ? Quase nada!

    O mundo é de quem toma de conta. Não há como colher sem plantar. Essa não é uma campanha de um dia. É um movimento permanente, que a cada dia terá mais adeptos e que eu investirei tudo o que estiver ao meu alcance no sentido de que ele se agigante. não medirei esforços nem recursos. E com certeza, não é a luta de uma só pessoa. Somos milhões dispersos.

    E este movimento não só visa este ou aquele artista em festas específicas. Não tenho intenção básica de levar este o aquele artista local para algum evento, mas promover a

    música de qualidade em termos gerais. Desde a MPB, ao ROCK, ao JAZZ, à MÚSICA CLÁSSICA, etc.

    Não busco espaço para artistas em shows. É um movimento que pode ser espalhado por todo o país ( aliás, já está, pelos nossos colegas músicos no facebook ), o que muito me alegra.

    "You may say I´m a dreammer, but I´m not the only one"

    John Lennon

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Peço aos nobres colegas que se não puderem ajudar, por favor, não atrapalhem. Queremos a participação de todos os setores da sociedade. Dos artistas e do povo em geral que é contra o monopólio nos meios de comunicação.

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  3. Dihelson,

    Desde que comecei a circular pelo Crato mais assiduamente, ouço você falar neste assunto. A luta realmente é antiga e infrutífera...

    Despois que vim mais demoradamente para Crato me deparei na inusitada (para mim)situação de tentar ouvir música pelo rádio sem conseguir sintonizar uma única estação com música decente e agradável.

    Ou era música de igreja (gospel)com belas e entoadas vozes ou forró enlatado sempre com a mesma melodia (se é que aquilo é melodia)e com as letras sempre de duplo sentido.

    Para mim não teve umazinha sequer que meu ouvido tolerasse... Nada, nadica...

    Tô com você nessa onda!

    Abraço,

    Claude

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Claude!

    Ainda bem que você comprova o que temos observado. Você que morava em Sobral e Fortaleza, agora está diante da triste realidade aqui no Cariri, que praticamente não há uma estação de rádio que preste! - 24 horas por dia, a programação é uma só: Música para Idiotas - Forró Eletrônico, Foró de Plástico.

    É preciso que todos nós que gostamos de outros estilos musicais possamos nos unir contra essa baixaria do Rádio, que deve ter música para todos.

    Temos uma boa turma na Rádio Educadora do Cariri, Eu, José Nilton, Carlos Rafael, Paulo Ernesto, Iderval Silva ( Seu Zezé ), e estamos lutando bravamente para mudar essa realidade, e estamos trazendo as pessoas.

    Recebo inúmeros telefonemas de pessoas revoltadas com a situação do Rádio no Cariri. As pessoas não tem mais opções, procuram Música e não existe mais música.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  5. Há tempos eu não ouço as rádios locais, quando faço é pela internet e que há opções de qualidade. Concordo já não basta ter que ficar ouvindo os carros com som altíssimo com esse barulho que tentam chamar de Música, ainda tem os carros com propagandas do comércio em geral que não dão sossego, será que algum dia vamos poder ter sossego? Vivian Cardoso.

    ResponderExcluir
  6. Dihelson, Estou com você neste movimento tão importante para a nossa sociedade. Jà fui locutor na Radio Comunitária de Altaneira e sempre procurei combater esta "cultura" do "forro sem futuro" como sempre me referi nos meus programas. Desde já deixo aqui o apoio do Blog da Radio Altaneira FM. Sugiro A realização semanal de matérias relacionadas ao assunto em todos os meios de comunicação possiveis de nossa região.

    ResponderExcluir
  7. Enquanto existir radialistas recebendo jabá, esse "forró" elétrico nos azucrinará anos à frente.Faz-se necessário denunciar essa turma que não dão espaço para a boa música.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Dedé,

    Depois de anos pensando nesse problema aí, eu cheguei à conclusão que nós mesmos não podemos impedir pelo uso da força bruta ou de qualquer meio legal que o JABÁ role nas estações. Seria impossível. Isso ja foi tentado. Amigos nossos já foram enxotados de dentro de estações de rádio no Cariri.

    A única coisa que podemos fazer é investir na boa música. Como ?

    01 - Ouvindo música boa e botando para outras pessoas ouvirem. Quem escuta música boa, os filhos fatalmente gostarão de coisa boa também. Não precisa forçar, o exemplo é o melhor método.

    02 - Telefonar para as estações de rádio e pedir música de qualidade. Insistir.

    03 - Unir todas as pessoas que gostam de música de qualidade num movimento permanente. Somente a união trará a força que necessitamos.

    04 - Investir em horários pagos no Rádio, igual ao que eles fazem. Isso é importante:PATROCINAR NOSSOS ESPAÇOS. Rádio quer dinheiro. Quanto o forró de plástico investe por ano nas estações de rádio ? E quanto nós que gostamos de boa música investimos ?

    Então, tenho certeza se seguirmos esses passos, essa multidão imensa de pessoas que gostam de outros estilos, e que querem ouvir algo além de porcaria, vai começar a ter seu espaço. Não queremos destruir espaço de ninguém. Só queremos ter nosso espaço também.

    Por isso que o movimento busca a Diversidade Musical.

    Um abraço,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  9. Grande Dihelson!
    Desde já gostaria de manifestar todo meu apoio. No que puder pode contar comigo. Acho que deveríamos fazer um grande debate sobre isso com a secretaria de educação e cultura, diretores de escolas e educadores. Acho complicado debater isso fora do âmbito educacional. No mais eu, representando o Instituto Ser Fundamentos estamos disponíveis. Se achar conveniente poderíamos aprofundarmos a discussão com palestras e debates. Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Sávio,

    Obrigado pelo apoio. Você tem toda razão. precisamos conversar e aprofundar mais o tema e promover debates. Mas eu também já pensei nessa questão por exatos 20 anos, e as conclusões a que cheguei estão resumidas nas medidas do movimento, o que claro, podem ser aperfeiçoadas com a colaboração de todos. Tudo que se fizer no sentido de trazer de volta a Arte e a Cultura para as pessoas é válido como instrumento.

    Precisamos conversar.

    Um abração,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  11. Dihelson

    Estou com você nessa campanha. Onde está aquele modelo de camisa que te enviei no ano passado? Você lembra? Peguei aquele símbolo que representa a expocrato (uma foto de um jumento) e fiz um trocadilho!

    ResponderExcluir
  12. João paulo, não me lembro de ter recebido essa arte para a camisa não. Eu recebi ? Eu recebo uns 200 emails por dia, envie novamente...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Belíssima iniciativa Dihelson, você tem liderança pra estar à frente de um movimento como esse, o Walter, da ACF, Associação Cearaense de Forró, quer implantar aqui no Cariri um núcleo de defensores da boa música formado por artistas, produtores, radilaistas e todos interessados em cultura e o nosso autêntico forró, ele como produtor do Juá Forró introduziu Elba Ramalho, Alceu Valença, Geraldo Azevedo e muitas outras bandas do bom forró, em uma tentativa do secretpario de cultura de Juazeiro do Norte: Fábio Carneirinho de resgatar os nossos verdadeiros valores musicais, o mesmo também compareceu à reunião realizada por Walter, no Centro Cultural do Araripe ano passado,onde tivemos a presença de Seu Messias Holanda, Herdeiros do Rei, Hermano Moraes, e tantas figuras ilustres... a ACF quer se solidificar e é muito bom saber Dihelson que podemos contar com sua colaboração, pois embora pareça pouco, nossso esforço é válido, obrigada por contar com o nosso "CULTURA NO CARIRI" Como parceiro e comigo como aliada ta?
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  14. O Brasil é um país democrático e como tal é necessário e urgente a volta da diversidade de estilos musicais no rádio e tv. Em qualquer região do Brasil se faz música de qualidade. É inadmissível só se tocar "música sertaneja", "gospel" e esse "forró eletrônico". São esses três estilos que comandam o rádio no Brasil inteiro. O Brasil não é isso só! Felizmente.
    Quero escutar música de primeira e de todos os estilos. Há espaço para todos.
    Dihelson,conte comigo e dou total apoio a esse movimento.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  15. Grande Dihelson Mendonça, a nossa música precisa de atitudes como essa, parabéns pela iniciativa, hoje quando quero escutar alguma coisa de qualidade sintonizo sua rádio na internet ou escuto o canal de audio da Sky: MPB, Bossa Nova ou Jazz. A situação atual é apavorante, eu fico aqui pensando o que esperar de uma geração de jovens que só escutam esse forró de plástico, com letras que só fala baixaria, pior ainda é saber que estamos num país de tanta qualidade musical, mas infelizmente quem poderia levar cultura para massa no caso as rádios está nas mãos de empresários que só pensam em lucro. Ass. Milton Bezerra - Fortaleza/Arajara

    ResponderExcluir
  16. Obrigado Janinha, Arimatéa, Milton Bezerra...

    Janinha, encontrei você agora há pouco. É imprescindível que possamos juntar todas as cabeças que pensam nesse mesmo sentido. Contactar outros movimentos semelhantes que estão acontecendo no Brasil, trocar conhecimentos, estratégias, etc. Sabemos que o Chico Cesar não está ativo em algum movimento permanente, mas ele deu um grande pontapé na coisa toda, ao recusar o Forró Eletrônico na Paraíba. Aliás, é do Chico Cesar a expressão FORRÓ DE PLÁSTICO ate onde eu sei.

    Precisamos da força de todos. E qual é o melhor meio de formar platéia ? Analisando como esta estrutura do Forró chegou aonde está e analisando as suas táticas:

    01 - Percebam que cada ouvinte de forró eletronico é também um divulgador, eles escutam no carro, e com um carro numa esquina se faz publicidade por um quarteirão. Que passemos a ouvir música boa.

    02 - Eles investem em estações de Rádio. Que nós nos unamos e compremos espaços no Rádio para locutores tocarem música de qualidade.

    03 - Eles colocam pessoas para telefonar para estações de rádio forçando um sucesso que não existe. façamos a memsa coisa, telefonemos para as estações e peçamos música de qualidade. Qualquer coisa diferente do Monopólio já serve.

    Devemos lembrar que a campanha é permamente, pode durar 30 50 ou 200 anos. Não arredaremos pé.

    Não queremos destruir negócio de ninguém, queremos apenas RESPEITO, DIGNIDADE. Queremos que respeitem os nossos espaços. Estamos preparados para o que der e vier!

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  17. Cada um de nós precisa ser um soldado nessa luta. E nossa simples arma é ouvir música de qualidade, de forma que outras pessoas escutem também, NO CARRO, EM CASA, NA RUA, em todos os lugares. Enchamos o mundo de musica boa, sem ter vergonha do nosso gosto e sem se importar com as críticas dos idiotas.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  18. Será que Deus ouviu as minhas preces? Ou os Santos que restauro gostarão da música que ouviram no meu ateliê, mas agora começa a ter esperança que tudo mude para melhor por aqui, enquanto e com a música que tudo começa influenciando involuntariamente, então

    Vamos MUDAR A MÙSICA ninguém melhor do que você em este sentido todo mundo concorda, eu nem preciso dizer que estou contigo em esta.

    Abraço
    Gabí

    ResponderExcluir
  19. caro,dhielson hj a boa musica deixou de ser tocada ,e quando se ver alguem em um bar , em um carro ouvindo uma musica de qualidade os jovens dizem q diabo e isso,nao sabem ,tem ratocinio e nao raciocinio ,um cara me chamou de maluco por estar ouvindo ,, djavan,gilberto gil,opior e agravante e os estrondos por toda cidade com sons de pessimas qualidades ,um tal de forro que nem em sonho e forro e de muito mal gosto ,mas vamos denuncia lo ao ministerio publico ,no minimo o agravante de mt barulho , parabens por aderir a boa musica

    ResponderExcluir
  20. Tô nessa. E sou testemunha de sua luta, de longe, contra a mesmice musical de nossos dias. Temos que dá um tratamento de choque.

    ResponderExcluir
  21. Danilo, só uma correção:

    Eu não estou ADERINDO à música de qualidade. Minha vida inteira foi dedicada à Música. Sou Pianista de Música Clássica, Jazz e MPB há 30 anos. Já toquei por grande parte do Brasil e até no exterior. A minha passagem pelo mundo do jornalismo é momentanea, e eu nunca deixei de tocar meus concertos e shows em teatros e auditórios.

    Essa luta minha já vem desde a primeira vez em que ouvi há 20 anos, a primeira música do "Mastruz com Leite", que já era uma desgraça. Hoje é uma maravilha, comparada ao que está tocando no Rádio.

    Ministrei palestras sobre o assunto na UECE ( Universidade Estadual do ceará ), ministrei palestra no Rotary Clube, e me diversos lugares. Acho que já escrevi mais de 50 crônicas sobre o assunto.

    Então, acho que a palavra "aderir" não é uma boa para este caso, porque eu "aderi" há 20 anos...

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  22. entao ,vc ja trouxe no sangue a boa musica meus parabens,o aderir que falei e so um certo fato em expressar ,mas seu aderir ja veio na alma..

    ResponderExcluir
  23. Gabi, você desde sempre é uma das pessoas principais num movimento como esse. Você já divulga sem MEDO nem vergonha o seu bom Gosto. É disso que precisamos. Que as pessoas de bom gosto musical Saiam do Armário. Que não tenham medo de ouvir música na frente dos tolos que não sabem apreciar.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  24. Valeu, Daniel. Continue ouvindo sua boa música mais do que nunca, sem se importar com as vaias dos tolos. Só criaremos platéia se juntos não tivermos medo de expor nosso gosto. os idiotas não tem o menor receio de ouvir música ruim alta nos carros e nos bares. Porquê deveríamos ter medo deles ?

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  25. Abração, Zé Nilton, você não só é adepto, como é um companheiro de chapa, com seu programa de MPB que muito me orgulha. Um dos ( ou O ) melhor programa de Rádio do Cariri, meu mestre!

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  26. Estou contigo, mago das artes. Iniciativa como esta, merece plena adesão pelas pessoas de bom gosto. Divugarei ao máximo por essa terra dos altos coqueiros.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  27. Meus queridos amigos de bom gosto musical. Em breve estaremos lançando a nossa associação, e as parcerias com Universidades, Clubes, e o nosso website oficial. vamos fazer palestras, vamos contactar outros grupos, outras pessoas e vamos traçar estratégias para ganharmos mais espaços na mídia radiofônica.

    Esse é um movimento permanente, não se resume a uma época, e só terminará quando garantirmos que nas estações de rádio haverá espaços para todos os estilos de música, bem como os cidadãos de bem não forem molestados como Forró Eletrônico e outros tipos de porcarias.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  28. Querido Dihelson,como já lhe disse uma vez, temos que reunir-mos para debater esse e outros assuntos,mas esse propriamente dito,temos que lutar com todas as armas,conte comigo para o que der e vier,parabéns e concordo com você,basta do forró de plástico,quem quizer escutar, que escute, mas nós não podemos ser induzido e obrigado a ouvir essa droga para não dizer outra coisa.

    Um forte abraço

    Jacques Boris

    ResponderExcluir
  29. Amigo Jacques,

    Você é um dos mais valorosos soldados nessa luta.

    Obrigado, e um abração, meu amigo.
    Já precisamos tomar um cafezinho novamente coma turma...

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  30. Aproveito para lhe dizer que copiei a matéria e coloquei no Cariricaturas,temos que lutar para não fazer-mos nossos ouvidos de pinico.

    Abração

    Jacques Boris

    ResponderExcluir
  31. Vamos colaborar todos e escrever um projeto de espaço de música, artes e cultura que seja adeguado as exigências da cidade com as devidas precauções e de bom gosto.
    Abraço.
    Gabí

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.