31 maio 2011

Notícias do Cariri -- Coluna Armando Rafael


http://1.bp.blogspot.com/-EAOnP0FHCPQ/TeCAQ92TO9I/AAAAAAAAXaI/-0uyP2A38uM/s1600/Coluna%2BArmando%2BRafael.gif


Lacuna reclamada

Estranha o fato de a conturbação Crajubar (Crato-Juazeiro-Barbalha), com cerca de 430 mil habitantes e localizada na pujante Região Metropolitana do Cariri ainda não possuir um jornal diário. Cidades bem menores, como Garanhuns (PE) e Moçoró (RN) já possuem seus jornais diários. Tal deficiência, entre nós, entretanto, já é motivo de estudos. Na última 3ª feira, 24, o professor José Anderson Sandes, do Curso de Jornalismo do Campus UFC-Cariri, em Juazeiro do Norte, fez palestra – no Solar Maria Olímpia, em Barbalha – sobre a organização e funcionamento de um jornal diário para Região Metropolitana do Cariri. Aliás, para quem não sabe, foi criado e já se encontra em funcionamento – no curso de Jornalismo do Campus-Cariri da UFC – o Grupo de Estudos Mapeamento das Práticas Comunicacionais da Região Metropolitana do Cariri. Este, aliás, foi quem promoveu o evento na cidade de Barbalha.



Juazeiro: ataques a dom Fernando, uma opera buffa!
Já dá para fazer uma análise sobre o resultado da campanha de ataques, feita por segmentos da elite de Juazeiro do Norte, contra o bispo diocesano, dom Fernando Panico. A campanha não sensibilizou o chamado “povão” daquela cidade. Qual a origem dos ataques? A venda de um terreno ao Sr. Francisco Pereira da Silva, imóvel pertencente à Paróquia de Nossa Senhora das Dores, fato ocorrido em 1995, quando dom Fernando era bispo de Oeiras-Floriano, no Piauí (ele só assumiu a Diocese de Crato em 2001). Por idas e vindas, o terreno só foi escriturado em 2010. Ao invés de esclarecer pontos questionáveis e obscuros da transação – levantados pelo Juiz Trabalhista de Juazeiro, e não pela Diocese – advogados e defensores do proprietário do terreno desviaram o foco da questão para a aleivosia insistentemente repetida: Bispo agride memória de monsenhor Murilo! Parte da mídia de Juazeiro do Norte e pequena parcela da elite embarcaram nessa canoa furada. Há quem restrinja o “movimento” a uma “campanha nuclear”, ou seja, feita por um pequeno, mas agressivo núcleo. Em tempo: opera buffa é o termo usado para descrever a versão italiana da ópera-cômica. Alguns estão chamando este factóide de Ópera das Cicinhas e Romanas... Quem é de Juazeiro conhece as personagens.


A realidade como ela é
Pois bem, no último dia 20 alguns gatos pingados planejaram uma vaia ao bispo (durante a Missa na capela do Socorro) e uma passeata de apoio à memória de Monsenhor Murilo (ver foto abaixo à esquerda, o "tamanho" da passeata). Aliás, tanto o bispo como o monsenhor, não são parte do imbroglio da escritura do terreno. Quem melhor descreveu o ambiente para essas duas manifestações foi o jornalista Fábio Tavares, na sua coluna semanal no site “Juanorte” (que faz radical e xiita oposição a dom Fernando). Confiram o que ele escreveu: “20 de maio. Cheguei à praça do Socorro antes das 6h. Havia um misto de ansiedade e indignação no ar (...). Um panfleto apócrifo, intitulado "Em Defesa do Monsenhor Murilo", circulou pela praça. Minutos depois alguém chegou pra me dizer: "Professor, existe um grupo de 10 pessoas preparadas para vaiar o bispo, caso ele venha. Perguntei quem organizava o grupo e em resposta tive a fuga do meu semi-informante. Sabíamos, eu e ele, que uma vaia de dez se transformaria em vaia de dez mil; os dez mil presentes” (Sic). Como se vê houve um planejamento sorrateiro que não contou com a adesão do povo simples, inteligente e trabalhador de Juazeiro do Norte. Ao término da Missa, – e estimulados pelo padre celebrante – ouviram-se fortes “vivas” (dadas pelos dez mil presentes) ao Padre Cícero, a dom Fernando Panico e a monsenhor Murilo!


E a vida continua...
Na última quarta-feira, o bispo de Crato abriu em Juazeiro do Norte, o 1º Seminário dos Bispos e Padres-romeiros da Mãe das Dores e do Padre Cícero. Estavam presentes os bispos de Floresta (PE), dom Adriano Ciocca Vasino e o de Petrolina (PE), dom frei Paulo Cardoso, além de dezenas de padres. Na 5ª feira, a população do Alto da Penha, em Crato, inaugurou o Centro Pastoral Dom Fernando Panico, que cuidará da infância pobre daquele populoso bairro. O bispo de Crato tem viagem marcada nos próximos dias para Dublin, Irlanda, (onde representará o Brasil num encontro católico) e, na volta, irá ao estado do Amazonas, onde visitará, -- na cidade de Canutama--, os missionários cratenses que atuam na diocese de Lábrea.


Santos brasileiros 1



No último dia 22, Irmã Dulce foi beatificada. Beatificação é a última etapa do processo de canonização. Quando é canonizada, a pessoa é declarada santo (a) da Igreja Católica. Dos milhões de brasileiros que já morreram, apenas setenta estão na fila para se tornarem santos. Desses setenta, 36 são nordestinos. E dentre os nordestinos, 3 deles estiveram no Cariri: Dom Francisco Expedito Lopes, Padre Ibiapina (foto à esquerda) e Frei Damião. Dom Expedito Lopes, nascido em Sobral, quando era bispo de Oeiras (PI) – na década 50 do século passado – gostava de visitar Crato, onde se hospedava no Seminário São José, cujo diretor era o seu amigo, monsenhor Pedro Rocha. Dom Expedito foi assassinado por um padre, em 2 de julho de 1957, quando era bispo de Garanhuns (PE).


Santos brasileiros 2
Outro candidato a santo, Padre Ibiapina, passou uma longa temporada em Crato, em 1868, quando construiu, nesta cidade, uma Casa de Caridade, a única em funcionamento dentre as muitas que ele fundou. Padre Ibiapina também nasceu em Sobral, em 1806. Percorreu o Nordeste em missões evangelizadoras e defendeu os direitos dos trabalhadores rurais. Quase 110 anos depois de sua morte, em 1992, recebeu o título de Servo de Deus. E, finalmente, outro candidato a santo, presente – várias vezes – no Cariri foi Frei Damião. Nascido na Itália, em 1898, ele chegou ao Nordeste na década de 1930. Liderou cruzadas missionárias e tornou-se um fenômeno de popularidade religiosa. Morreu em 1997, aos 99 anos, em Recife.



Casa de Mãe Joana
Pouca gente sabe, mas os vereadores de Crato mudaram o nome da Rua Presidente Kennedy para Rua Desembargador Edmilson Cruz. Mais uma vez os operosos edis cratenses deram com os burros n’água... Primeiro: já existiam duas ruas em Crato com o nome de “Desembargador Edmilson Cruz”. Uma no Parque Recreio (Cep 63118-110) e outra na Vilalta (Cep 63119-185). Segundo: nem a Coelce, nem os moradores, nem a Prefeitura obedeceram à mudança feita pelos vereadores. A antiga Rua Presidente Kennedy continua – para desmoralização da Câmara Municipal – com esta denominação nos boletos de água, luz e telefone, imposto predial, etc. Dr. Edmilson Cruz conseguiu, no entanto, empatar com Orestes Costas e Santa Luzia. Esta última também é patrona de 3 (três) ruas em Crato: no Muriti (Cep 63132-190), nas Cacimbas (63116-210) e na Batateira (Cep 63115-240). E a Câmara de Vereadores não está nem aí...
Curtas






1 - A Azul Linhas Aéreas inicia no próximo dia 15 de junho os seus voos diários – sem escalas – entre Campinas (SP) e Juazeiro do Norte. Nos voos serão utilizados jatos Embraer 190 e 195 e a viagem terá cerca de três horas de percurso.


2 – Foi lançada na última 5ª feira, 26 de maio, a pedra fundamental do futuro prédio da Faculdade Católica do Cariri, que será construído vizinho ao Campus de Ciências Agrárias UFC-Cariri, na futura Cidade Universitária Governador Miguel Arraes, no bairro Muriti (mais precisamente no local que está sendo conhecido como Vila Padre Cícero), em Crato.


3 – Parte do terreno que pertenceu ao extinto BNB-Clube de Juazeiro do Norte será destinado à construção de mais um hotel na Lagoa Seca. O nome provisório do futuro hotel será “Iu-á”. Ou seja, “juá” na língua tupi...


4 – Não são só as estradas federais que estão em frangalhos! A malha estadual tem trechos dignos de um rally de protestos! É o caso s rodovias Crato-Santa Fé e Crato-Nova Olinda. Ambas merecem inclusão nesse rally...


5 – A nova agência do Banco do Brasil, localizada na Avenida Ailton Gomes, bairro Pirajá, em Juazeiro do Norte, recebeu o nome de Agência Padre Cícero. O número da unidade no universo das agências do BB é 5989-7. É a terceira agência do Banco do Brasil na cidade de Juazeiro do Norte.


6 – Há quase dois meses o governador Cid Gomes declarou que não sabia da paralização das obras na Escola Profissionalizante de Crato. Pois é: as obras continuam paralisadas. Como também estão paralisadas as obras do Centro de Convenções do Cariri e do Ginásio Poliesportivo da Urca. Este último, aliás, não saiu do papel...

13 comentários:

  1. Florisval Sobreira Coriolano26 de maio de 2011 16:29

    Gostaria de informar ao Sr. Armando Rafael que para a rua receber determinado nome, tem que um projeto ser aprovado pela cãmara municipal e sancionada pelo sr. prefeito. E é bem verdade que no nosso municipio existem artérias com várias denominações, infelizmente uma prática bem antiga. Em alguns casos a própria comunidade toma a iniciativa de colocar o nome na rua sem ter o conhecimento que precisa de um projeto ser aprovado pela cãmara, como é determinado pela lei orgãnica do município. lembramos ainda que toda lei aprovada pela cãmara recebe a sanção do prefeito e o mesmo através da seinfra, tem a obrigação de controlar se existem ruas repetidas ou não. Sendo indentificada uma rua já existente, o executivo fica na obrigação de vetar, essa regra vale para as ruas que não existem projetos aprovados. Gostaria de lembrar ao nobre Armando Rafael que a cãmara municipal foi denominada de Palácio José Valdivino de Brito e Plenário Paulo Bezerra, qualquer outra denôminação, o autor da mesma estará denegrino os homenagiados e respectivas famílias. Mais uma vez, a mesa diretora da cãmara municipal tem a honra em convidar vossa senhoria para participar de sessão ordinária que ocorrem nas segundas e terças feira apartir das 8:00 hrs, para discutirmos problemas relacionados ao nosso município.

    ResponderExcluir
  2. carlos macedo santos26 de maio de 2011 16:45

    Esse Armando Rafael bem que deveria saber o que diz. E passar a falar a verdade nos seus comentários, ás vezes até que ele fala a verdade, más ás vezes ele se perde muito nos seus artigos. sou morador da rua dom melo e todo dia vejo os operários trabalhando na obra da escola. Rafael rapaz faça visita as obras antes de falar besteira e mentiras. Carlos Macedo Santos. morador do bairro são miguel.

    ResponderExcluir
  3. Sobre um Jornal Diário no Cariri, , na minha opinião, não há a mínima necessidade, Armando.

    Papel é coisa do passado em termos de informação rápida que o mundo necessita. Muitas vezes eu já pensei em publicar um Jornal em papel, mas isso é complicado:

    - Contratar Repórteres
    - Diagramadores
    - Editores
    - Enviar para a Impressão
    - Receber da Impressão
    - Distribuir de mão em mão, bancas de revistas...

    Isso é uma coisa tão atrasada e cara que não compensa mais.

    O mundo vive hoje na velocidade da internet. É um meio barato, atinge o mundo todo, evita aquele negócio de monopólio. Num Jornal de papel muitas vezes so serve pra colocar matéria paga pra ressaltar administrações de prefeitos a 3000 ou 10.000 pra enriquecer dono de jornal. Só pra isso que serve. 60% de um jornal é de publicidade.

    Tem Jornal de papel aqui no Cariri que a gente tem que procurar as notícias no meio das propagandas. Tem propaganda grande até na capa.

    As pessoas ainda se ligam no jornal de papel por pura tradição, mas em breve vai ter um TABLET, que e o computador o futuro ( de bem breve ), o tablet como o iPAD, permite que todo mundo leia os jornais eletrônicos com a facilidade e a velocidade do mundo moderno.

    É um caminho sem volta, que eu mesmo já anunciei aqui inúmeras vezes. taí o Diário do Nordeste querendo interiorizar os Blogs. porque quase ninguém mais lê jornal.

    outro dia publiquei aqui uma estatística da própria Folha de São paulo, onde mesmo hoje, a maioria das pessoas lê a informação da internet.

    O papel vai ficar reservado para coisas duráveis, por exemplo, Livros e determinadas Revistas. Jornal em papel nem adianta começar...

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  4. Pres. Florisval, falando em nome de Rua, você sabe que aqui no Crato tem até a Rua do Pau em Pé, e a Vila dos Periquitos".

    Será que não havia nomes melhores do que esses para colocar nas ruas ?

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  5. Esclarecimento ao leitor, Sr. Carlos Macedo Santos:

    Não resido nas imediações da futura escola profissionalizante, mas sempre passo em frente à mesma, localizada na Av. Teodorico Teles. Ontem mesmo, antes de redigir a notinha, parei e observei uns poucos operários – usando macacões na cor azul – FAZENDO A LIMPEZA DO TERRENO da escola, após vários meses que o mato e os entulhos se destacavam no terreno, onde se ergue uns pilares de concreto.

    Perguntei se a obra tinha recomeçado e fui informado de que, em breve, após a limpeza, ela poderá ser reiniciada.

    Reafirmo, pois, que não só as obras da escola profissionalizante, mas também as do Centro de Convenções do Cariri e as do ginásio poliesportivo da Urca estão paralisadas.

    Espero com isso ter dado uma resposta atenciosa e pertinente ao Sr. Carlos Macedo Santos.

    ResponderExcluir
  6. --- 1 ---

    Ao ilustríssimo Sr. Vereador Florisval Sobreira Cariolano;

    Preliminarmente, reitero meus agradecimentos pelo convite de comparecer à Câmara Municipal para assistir a uma reunião de trabalho dos edis cratenses.

    Isto posto, creio que sua educada nota – em tela – nos traz algumas conclusões:

    1 – Uma vez que cabe ao Poder Executivo Municipal vetar projetos de denominações de ruas --aprovados pela Câmara de Vereadores que redundam em duplicidade – fica claro que os nomes das artérias urbanas de Crato estão a merecer um profunda revisão. Haja vista que existem, nesta cidade, até 5 (cinco) ruas com a mesma denominação. Afora outras denominações que se repetem quatro, três e duas vezes. Como esta coluna vem demonstrando nas últimas semanas, mediante simples consulta ao CEP dos Correios.

    2 – Diagnosticado este problema, seria o caso do Sr. Prefeito vetar o projeto que mudou a denominação da Rua Imperatriz Leopoldina (que tem inicio ao lado direito da Avenida Padre Cícero – sentido Crato-Juazeiro – e dá acesso ao Parque Getúlio Vargas - Morro da Coruja, em toda a sua extensão, cuja denominação advém Lei nº. 1.774 de 10 de junho de 1998, aprovada pela Câmara de Vereadores e sancionada pelo então prefeito Raimundo Bezerra). Recentemente um vereador apresentou projeto (que foi aprovado) mudando o nome da Rua Imperatriz Leopoldina, para “Orestes Costa” (que já é nome de três ruas em . As outras duas ficam ao lado da Grendene e no bairro Granjeiro).

    (continua)

    ResponderExcluir
  7. --- 2 ---

    3 – Diante desses fatos, creio que o ideal seria a formação de uma comissão Prefeitura/Câmara Municipal para fazer um mapeamento dos nomes oficiais das ruas de Crato, cotejando com denominações informais, com as leis em duplicidade, com projetos que deve ser vetados pelo Sr. Prefeito, dentre outras anomalias. Seria um excelente serviço prestado à população cratense.

    4 – Outra medida – e esta seria da alçada da Egrégia Câmara de Vereadores de Crato – seria a aprovar um projeto de lei, dispondo de novas normas sobre a identificação de ruas, praças, monumentos, obras e edificações públicas desta cidade. Esse projeto de lei exigiria – para qualquer mudança na denominação de ruas e praças de Crato– um pedido antecipado, contendo lista com assinaturas de pelo menos cinco por cento do eleitorado.
    Esta providência já é norma na maioria das mais adiantadas cidades brasileiras, categoria na qual Crato se enquadra perfeitamente.

    Aproveito a oportunidade para reiterar ao caro vereador Florisval Sobreira Coriolano, meu apreço e respeito.

    Armando Lopes Rafael

    ResponderExcluir
  8. Dihelson:

    Pertinente suas observações sobre a criação de um jornal diário na Região Metropolitana do Cariri.
    Vou repassá-las para a comissão criada no curso de Jornalismo do Campus UFC-Cariri.
    Qualquer dia vamos tomar o café com o vereador Florisval Sobreira Coriolano.
    Abs.
    Armando

    ResponderExcluir
  9. Aristides Tavares de Figueiredo27 de maio de 2011 12:04

    Armando

    as obras da escola de ensino profissionalizante voltaram. Mas o número de pessoas trabalhando é pouco, aparentemente. Ontem ao passar de frente, havia trabalhadores e dois veículos pesados em movimento.

    O ginásio poliesportivo da URCA é que não possui um vivevente sequer. Só mato. O centro de convenções parece que ocorre a mesmíssima coisa - e ainda é pequeno, gente. Convenhamos. Por favor, convenhamos.

    ResponderExcluir
  10. Obrigado, Armando!

    Certamente que a comissão vai dizer que eu sou maluco e vai cuspir em cima do que eu falei, mas eu peço que eles leiam este comentário aqui, e sustento tudo o que disse:

    Alguns dos grandes jornais do globo já estão fechando as portas, mesmo o gigantesco "New York Times" começou a cobrar por acesso, já que poucos preferem esperar pela versão em papel, cujos custos de produção são caros e para o público, demora muito, e ao final do dia, está desatualizado, além de ser desconfortavel de ler coisa tão volumosa e imprática.

    Ou seja, pesando os Prós e os Contra, o Futuro aponta para o meio digital.

    Acrescente por gentileza também este comentário inteiro.

    Alguns jornalistas da "velha escola" tem a mania de rebater esta colocação trazendo uma comparação esdrúxula, dizendo que quando a TV surgiu, muita gente dizia a mesma coisa, que o Rádio iria acabar, e não acabou.

    Rebato essa comparação dizendo que aquele evento não pode ser comparado com este, porque naquela época, a transição era na verdade apenas um upgrade: O Rádio ganhou o vídeo, mas a transmissão ( distribuição ) utilizava o mesmo sistema de ondas hertzianas.

    A transição hoje se dá por uma completa mudança na Mídia, no meio, que passou do papel de mão em mão, para a distribuição digital global imediata.

    O jornal pode até não sofrer alterações de conteúdo e formato 9 em Tese ), mas a distribuição será em via eletrônica, rápida, acurada e com certeza, atualizadíssima.

    E o meio usado, a internet pode ser entregue ao cliente de diversas formas, adequando-se ao gosto do cliente: Formatado para um IPAD, a um Notebook, a um telefone Celular ou outros meios sequer imaginados hoje. Esse novo meio eletrônico comporta não só a informação estática, interpretada, como também o Áudio e o Vídeo que corroboram a informação, mais ou menos como a fotografia estava para os primeiros jornais de papel.

    Assim, o futuro nos reserva um sistema de distribuição de massa muito diferente do que estamos acostumados.

    Pensando nessas novas mídias, é que desde 1993, eu criei o primeiro sistema de informações digitais do Cariri, o BBS "MegaStar", que funcionou até a chegada de provedores específicos. Na primeira década do século XXI, criei o Blog do Crato, que hoje atinge 6000 a 10.000 visitas diárias, levando a informação atualizada e formatada para milhares de leitores. E é pensando nisso que estamos investindo muito no chamado JORNAL CHAPADA DO ARARIPE, - www.chapadadoararipe.com - que JÁ É UM DIÁRIO DO CARIRI, pois lá estão todos os dias, muitas informações de inúmeras cidades Caririenses.

    Continua...

    ResponderExcluir
  11. Continuando...



    Portanto, estou vendo sempre à frente de uma simples folha de papel, que finalmente, conforme disse na outra postagem, ficará reduzida a um repositório de informações dos veículos que não necessitam de tanta velocidade, ou de uma visão mais detalhada ( Como uma Revista ), e claro, os Livros, que "sempre" existirão, principalmente para os mais saudosistas, embora, os livros eletrônicos integrados a óculos 3D a laser com informações adicionais para cada parágrafo e links espalhados pela internet seja perfeitamente possível.

    Com a revolução digital, nada mais será o mesmo. Isso mudou completamente o leque de possibilidades de como a informação será entregue ao povo, inclusive mudaram os métodos de massificação, a democracia, a liberdade de compor a verdade a muitas mãos, e a própria análise dos fatos.

    O papel do "interpretador" de notícias, que quer queiram ou não sempre existe, vai ter que ser discutido, principalmente porque nesta pirâmide digital, existirão sempre os mestres, um pequeno grupo que dominará o sistema ( O grande Sistema Mundial ) e filtra o que e como cada informaçao deve ser interpretada pelos leitores.

    Portanto, muda até o sistema de dominaçao, que num princípio, parece dar mais liberdade de expressão, para logo em seguida seguir caminhos cada vez mais tortuosos do controle das massas através da informação.

    Por: Dihelson Mendonça
    Administrador do Blog do Crato e CHAPADA DO ARARIPE

    www.blogdocrato.com
    www.chapadadoararipe.com

    ResponderExcluir
  12. Vereador Florisval,

    Se não me engano, eu havia visto um comentário seu aqui para ser liberado, e eu liberei, mas não estou vendo esse comentário aqui aparecer no Blog do Crato.

    Por gentileza, escreva novamente, ou envie para o meu e-mail:

    blogdocrto@hotmail.com

    Abraço,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  13. Rotary Club de Crato disse...

    O professor Armando Rafael está de parabéns por trazer ao público essa prática do Poder legislativo do Crato que vez ou outra muda o nome de logradouros como quem troca de roupa.
    O esclarecimento do presidente da Câmara de Vereadores do Crato, não foi convincente. Pois a justificativa que essa prática é antiga, quando afirma: “no município existem artérias com várias denominações, infelizmente uma prática bem antiga.” Isso é querer justiçar um erro com outro.

    Para mudar o nome de uma Rua ou logradouro, é plausível: primeiro ouvir os seus moradores se concordam ou não com a nova denominação, depois o Poder Legislativo através de suas comissões tem a obrigação de diligenciar se na sede do município não há outra Rua ou logradouro com o nome a ser submetido à votação. Finalmente o Prefeito antes de sancionar o Projeto de Lei, também tem o dever de determinar a sua a assessoraria para fazer as necessárias diligencias a fim de certificar-se que não vai haver repetição de nome, pois se isso ocorrer deverá vetá-lo.
    Assim o fazendo os dois poderes estarão prestando um bom serviço para a organização urbana do município.
    Audir de Araújo Paiva - advogado em Crato –
    email audirpaiva@gmail.com
    Tel para contato (88) 9965 2697
    29 de maio de 2011 17:07

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.