22 fevereiro 2011

Uma anfitriã em pânico - Por Magali de Figueiredo Esmeraldo


Em 1995, nosso apartamento estava lotado de irmãos e alguns sobrinhos de Carlos, que vieram à Fortaleza para apoiar uma irmã dele que ia se submeter a uma operação de ponte de safena. A cirurgia era de risco, o que fez com que os irmãos e todos os familiares ficassem preocupados. Estávamos todos unidos em oração e torcendo para que tudo desse certo. E eu, no meu papel de anfitriã, organizava tudo a tempo e a hora para que todos se sentissem bem acolhidos e confortáveis.

Nessa época o prédio em que moramos, estava sem síndico, pois ninguém queria assumir tal missão. Sem nenhuma liderança, já que nem o subsíndico quis se responsabilizar, não foi tomado nenhuma medida para que fosse realizada a dedetização. Por mais que colocássemos isca em nossa casa, apareciam algumas baratas voadoras e outras que vinham dos esgotos do edifício.

Em determinado momento, ao entrar na despensa com a minha cunhada ao mesmo tempo, para pegarmos alguma coisa, passaram por cima de nossas cabeças duas enormes baratas voadoras vindas da varanda. Na hora, em pânico e sem pensar no meu papel de anfitriã acolhedora e educada, saí correndo e tranquei a porta da despensa deixando minha hóspede lá com as duas baratas. Corri o mais longe possível daquele local. Depois que passou o susto e as baratas já estavam mortas, envergonhada fui pedir desculpas a minha cunhada, justificando minha atitude pelo medo que tenho de baratas. Ainda bem que ela perdoou. Passado o meu constrangimento, demos boas risadas.

Por Magali de Figueiredo Esmeraldo

2 comentários:

  1. eheheheheheh essa é ótima, Magali!

    Aconteceu um aparecida comigo. Em 1999 eu fui à Fortaleza para ficar hospedado na casa de uma pessoa, que foi gentilmente me pegar na Rodoviária. O ônibus atrasou muito, que chegaria às 20:00 e acabou chegando ás 22:00, de modo que quando fomos chegar em casa, já era quase meia-noite.

    Eu estava muito apreensivo para conhever o local em que eu iria ficar, pois sempre fui acostumado com certo conforto, em ter meu próprio quarto, tudo organizado, sempre gostei de limpeza, etc e tal. Além de tudo eu tenho fobia a certos insetos, dentre os quais, a "famosa"...

    Quando cheguei até à casa da pessoa, a primeira coisa que me disse foi: "trabalhei a semana inteira para deixar a casa limpa e organizada para te receber. Fiz até uma dedetização..."

    Fiquei muito preocupado com a palavra dedetização, porque eu sei que quando se faz dedetização, até uns 3 ou 5 dias depois, ficam aparecendo bichos pela casa.

    Não deu outra!

    Quando abrimos o portão, ao acender a luz, pois bem uma barata voadora em nossa direção. Como ela também tem muito medo, o que aconteceu foi que largamos todas as malas da mão, e pernas pra que te quero...

    Depois ela disse: "Mas isso NUNCA tinha acontecido antes..."

    eeheheheheheh

    "Eu sei....rs rs"

    Abraços, Magali e obrigado por sua postagem.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Dihelson,

    Muito obrigada por ter lido esse pequeno e simples texto. Foi escrito para aliviar o stress.
    Faço tudo para que não tenha nenhuma barata no nosso apartamento: detetizo,coloco isca,deixo tudo limpo. Ainda bem que logo depois da cirurgia da minha cunhada, apareceu uma pessoa disposta a ser síndico e nunca mais faltou síndico, nem detetização. Agora o que aconteceu com você foi engraçado. Imagine se essa barata voltasse na hora do seu sono, rs rs rs.

    Abraços

    Magali

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.