26 janeiro 2011

A Língua e o Tempo - Postado por João Nicodemos


Diz-se que "a língua é viva", observando-se que, com o passar do tempo o idioma sofre mutações inevitáveis. O Latim que conhecemos e que uma geração anterior à minha estudou, era um Latim popular que teria sobrevivido à derrocada do Império Romano.Nossa língua brasileira, filha da Portuguesa e neta daquele Latim, sofreu recentemente mais uma modificação ortográfica. Infelizmente aprovada uma simplificação e adaptação para unificá-la a todos os países lusófonos. Sempre que ocorre uma mudança dessas, fico triste ao perceber que é promovido um empobrecimento da língua, no que diz respeito à sua grande capacidade expressiva. Gosto de nossa língua. Com ela aprendi e aprendo a expressar e conhecer o mundo. E, enquanto poeta, percebo e utilizo sua potencialidade de expressão. Notem meu esforço no poema abaixo para indicar a acentuação das palavras, para que tenham a leitura desejada.

Forma & Forma

Abobrinha, macaxeira, açafrão,

Cebolinha, manjerona e jerimum,

Berinjela com alface e almeirão,

Alcachofra com farofa e guaiamum


Escarola, mandioca e pimentão

Batatinha, rabanete com ervilha

Beterraba, acelga, manjericão

Couveflor cambuquira com lentilha


Na forma de pão faço tijolo (^)

Na forma de tijolo faço pão (^)

Se na forma sem beleza, sem consolo (´)


Faço tudo que quiser minha intenção

Pois na forma e na forma cabe tudo (^), (´)

Mas nem sempre sentimento e emoção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.