26 janeiro 2011

Pombos Urbanos - Por: João Nicodemos




Este desenho em bico de pena e pigmento colorido foi uma reportagem / homenagem que José Normando fez ao primeiro grupo de rock do Cariri, no final dos anos 80, a Banda Pombos Urbanos. Criada por João Nicodemos e Carlos Rafael, teve vida curta mas grande e profunda influência naqueles anos. Uma banda com as características da boas bandas de rock: irreverência e contestação a todos os comportamentos estabelecidos pelo "status quo" daquele tempo. De certo modo suas músicas performances faziam bandas como "Camisa de Venus" parecerem escoteiros bem comportados.

Seu maior sucesso foi "Marinalva", uma história emocionante que levara a platéia ao delírio (consideradas as devidas proporções) e " Senhora dos Prazeres" com letra de José Normando e Rafael, que hoje eu não tenho coragem de cantar, nem lembrar...
Uma banda de garagem que nem garagem tinha, e que fez a diferença em seu tempo quando o rock nacional era dominado pelo bem comportado e doce "Paralamas do Sucesso" e outras peças... Era, mais uma vez, o Crato na vanguarda do Brasil (e que quase ninguém viu).

Felizes os convidados para a Ceia...
e compareceram...

-Formação inicial da POMBOS URBANOS:
Guitarra- Nicodemos
Bateria e voz - Carlos Rafael
Baixo - Sergestes Tocantins

Por: João Nicodemos

8 comentários:

  1. Muito bem, Nicodemos,

    E satisfação em LER ( já que não posso Ver ), você por aki, eheheh

    Abração,

    DM

    ResponderExcluir
  2. Um excelente resgate do grupo Pombos Urbanos, a meu ver o ÚNICO grupo de Rock verdadeiro que não só tocava, como vivia a filosofia do Rock and Roll por estas bandas. E todos de pessoas geniais, que por seus talentos diversos, tinham conhecimento além dos horizontes, gostavam não só de Rock, mas de MPB, conheciam Clássicos, e alguns até JAZZ. Eram poetas, músicos, escritores e o mais...

    Não é como essas bandinhas de rock de hoje em que aprendem 3 acordes e já acham que sabem de alguma coisa, não tendo qualquer base musical ou intelectual pra nada.

    Saudações, Pombos Urbanos. A letra de Marinalva é primorosa!

    Dihelson Mendonça

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  3. A PU foi que me levou a acreditar que poderia ser músico. Praticamente todos os ensaios eu estava por lá.
    Banda de rock que tem mais de tres acordes não é banda de rock.
    Hoje o cariri está com uma legião de bandas de rock, reggae... que por sinal são maravilhosas, autorais e com estilo.
    Falta no Crato é espaço para essa vertente musical ser valorizada pelo poder público que ao meu ver é tendencioso e seus prepostos estão equivocados, achando-se superiores por seus entediosos e exagerados acordes.
    Parabéns a Carlos Rafael, Ncodemos E Sergestes.
    Fica a saudade para com esse maravilho multartista Normando Rodrigues que tanto valorizou os movimentos culturais caririense, sem preconceito e com sabedoria.

    Tchubas.

    ResponderExcluir
  4. Rafael, precisamos por "Marinalva" no cenario musical.

    ResponderExcluir
  5. Grande Nico,

    Que lembrança boa aquela época me traz. Foi uma grande festa tocar na banda Pombos Urbanos, na efervescência daqueles maravihosos anos de pura juventude.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. estimados amigos.

    a banda teve na formação o irmão de sandro mongol, o inoxidavel marcos lubizomem, ou lubilubi.
    joselito, bembem.
    calazans. demontier na bateria.

    na verdade lem de um show que tinha um cartaz, rock no parque municipal. um cartaz preto. inesquecivel.

    tambem lembro da musica nomes, o cachorrinho tem nome, tudo tem nome. da marinalva. e outras.

    eu era um dos poucos que gostava dessa banda. fora a galera do jerry e cabelinho (critovão)e do pessoal do seminario com o saudoso reno. que montou uma banda punk.

    lembro de um show que aconteceu na quadra da col. ana couto, que o cabelinho subiu na trave e caiu desacordado.

    dos shows na campanha do lula em 1989.

    pombos urbanos, lerfa nú, e por fim na cacunda, essa formação jé era outra geração.

    gostaria de ouvir novamente esses antigos shows, gostaria de lembrar da minha adolescencia.

    no show no parque municipal, manel de jardim e claivan paiva.

    mannel pegou o microfone e desse que maninho treinador estava mastigando bosta. comendo bosta.

    da furiosa reação de maninho.

    das noitadas cm comapanhia de manel da jardim. do xá de flor na gestão de blandino. do show de joão do crato em 1995. um puta show. inesquecivel.

    quando no show de abidoral lá em barbalha manel de jardim agradeceu a gilsom magazines por dar uma enxada para tocar, não um baixo.

    do chama, quando na exposição do crato tive o prazer de ver o show do hermeto pascoal.
    acho que o secretario era rosemberg cariri. desculpe se a memoria falhar, o prefeito era antonio primo.

    dos festivais da uec, 1986 ou 87.

    da dimensão que tomou esse festival chegando a chapada do araripe, lá no aeroporto destivado.
    bom, acho que tem gente que nunca recebeu a premiação do ultimo festival.

    do show do chico scienc, pôrra, chico ciencia, maldito inglês.

    hoje vejo na tv, no meio do ano, aa atrações do expocrato. é como me dizer não volte, volte você ter raiva.

    aqui em fortaleza a uncia coisa que vi legal foi o maracatu, perto de minh casa tem o maracatu comandado por pingo de fortaleza.

    o resto é uma piada.

    sinto a falta dos reizados na praça da sé sob o comando de sei elóia, ou eloi teles. sua voz ainda permanence na minha mente, parte da minha vida foi ouvindo coisas do sertão de manha cedo. quantas vezes eu passei na radio educadora no fim da tarde, ficava no estudio com eloi teles ouvindo ao vivo ele fazendo o programa de forró.

    tinha um cara que era incrivel, hugo linard. já ia esquecendo.
    mil desculpas.

    por favor, montem um blog e deixe disponibilizado gravações dessa passado que pode e é o passado de muita gente.

    os pombos urbanos, se puder algum show de abidoral, um que aconteceu na expocrato, foi muto legal, o pachele deve ter uma fita. pode ser, ele esconde tudo pra ele.

    alguem faça uma pesquisa, encontrem esses momento gravados.

    coloqume num blog e deixe para que o mundo saiba que apesar de tudo o crato tem cultura. mesmo sem apoio de prefeito. esses momentos aconteceram.

    o show de luiz carlos salatiel, mais ou menos no ano de 1988 ou 89, soy loco por ti america.

    na showpana, não lembro com seescreve, bom aquele lugarzinho de merda burguês aconteceu muito coisa legal.

    uma das coisas que não esqueço foi quando tocaramm fogo naquela merda.

    tinha um barzinho lá na cascata.
    espere o pouco. para ativar minha memoria.

    depois de um quarto de hora consigo lembrar, wilson, um cara muito gente boa que trablho no crato tenis club. teve muita coisa legal nesse barzinho.

    nesse 6 anso de fortaelza, as unicas coisas boas que vi foi oshows no teatro josé de alecar, do irmãos eniceto, e mini show do dielsom mendonça no centro cultural do bnb, que na verdade não é um centro cultural é um banco com segurança armado, cheios de regras, um dos poucos lugares onde se encontra gente que pensa.
    ou seja nem cada idiota por lá.

    enfim.

    fica ativa a idéia.
    a do blog, abraços.

    ResponderExcluir
  7. estimados amigos.

    a banda teve na formação o irmão de sandro mongol, o inoxidavel marcos lubizomem, ou lubilubi.
    joselito, bembem.
    calazans. demontier na bateria.

    na verdade lem de um show que tinha um cartaz, rock no parque municipal. um cartaz preto. inesquecivel.

    tambem lembro da musica nomes, o cachorrinho tem nome, tudo tem nome. da marinalva. e outras.

    eu era um dos poucos que gostava dessa banda. fora a galera do jerry e cabelinho (critovão)e do pessoal do seminario com o saudoso reno. que montou uma banda punk.

    lembro de um show que aconteceu na quadra da col. ana couto, que o cabelinho subiu na trave e caiu desacordado.

    dos shows na campanha do lula em 1989.

    pombos urbanos, lerfa nú, e por fim na cacunda, essa formação jé era outra geração.

    gostaria de ouvir novamente esses antigos shows, gostaria de lembrar da minha adolescencia.

    no show no parque municipal, manel de jardim e claivan paiva.

    mannel pegou o microfone e desse que maninho treinador estava mastigando bosta. comendo bosta.

    da furiosa reação de maninho.

    das noitadas cm comapanhia de manel da jardim. do xá de flor na gestão de blandino. do show de joão do crato em 1995. um puta show. inesquecivel.

    quando no show de abidoral lá em barbalha manel de jardim agradeceu a gilsom magazines por dar uma enxada para tocar, não um baixo.

    do chama, quando na exposição do crato tive o prazer de ver o show do hermeto pascoal.
    acho que o secretario era rosemberg cariri. desculpe se a memoria falhar, o prefeito era antonio primo.

    dos festivais da uec, 1986 ou 87.

    da dimensão que tomou esse festival chegando a chapada do araripe, lá no aeroporto destivado.
    bom, acho que tem gente que nunca recebeu a premiação do ultimo festival.

    do show do chico scienc, pôrra, chico ciencia, maldito inglês.

    hoje vejo na tv, no meio do ano, aa atrações do expocrato. é como me dizer não volte, volte você ter raiva.

    aqui em fortaleza a uncia coisa que vi legal foi o maracatu, perto de minh casa tem o maracatu comandado por pingo de fortaleza.

    o resto é uma piada.

    sinto a falta dos reizados na praça da sé sob o comando de sei elóia, ou eloi teles. sua voz ainda permanence na minha mente, parte da minha vida foi ouvindo coisas do sertão de manha cedo. quantas vezes eu passei na radio educadora no fim da tarde, ficava no estudio com eloi teles ouvindo ao vivo ele fazendo o programa de forró.

    tinha um cara que era incrivel, hugo linard. já ia esquecendo.
    mil desculpas.

    por favor, montem um blog e deixe disponibilizado gravações dessa passado que pode e é o passado de muita gente.

    os pombos urbanos, se puder algum show de abidoral, um que aconteceu na expocrato, foi muto legal, o pachele deve ter uma fita. pode ser, ele esconde tudo pra ele.

    alguem faça uma pesquisa, encontrem esses momento gravados.

    coloqume num blog e deixe para que o mundo saiba que apesar de tudo o crato tem cultura. mesmo sem apoio de prefeito. esses momentos aconteceram.

    o show de luiz carlos salatiel, mais ou menos no ano de 1988 ou 89, soy loco por ti america.

    na showpana, não lembro com seescreve, bom aquele lugarzinho de merda burguês aconteceu muito coisa legal.

    uma das coisas que não esqueço foi quando tocaramm fogo naquela merda.

    tinha um barzinho lá na cascata.
    espere o pouco. para ativar minha memoria.

    depois de um quarto de hora consigo lembrar, wilson, um cara muito gente boa que trablho no crato tenis club. teve muita coisa legal nesse barzinho.

    nesse 6 anso de fortaelza, as unicas coisas boas que vi foi oshows no teatro josé de alecar, do irmãos eniceto, e mini show do dielsom mendonça no centro cultural do bnb, que na verdade não é um centro cultural é um banco com segurança armado, cheios de regras, um dos poucos lugares onde se encontra gente que pensa.
    ou seja nem cada idiota por lá.

    enfim.

    fica ativa a idéia.
    a do blog, abraços.

    ResponderExcluir
  8. O tempo em um blog como este, é mais rápido que o do relógio, ou do calendário... Tudo passa muito ligeiro...
    mas agora pude ler estes comentários e aproveito o momento para agradecer.
    A memória, ou diria, nossa história pessoal, tem um conteúdo emocional muito importante. E a história real e aquela de que nos lembramos.
    Muito bom que este desenho de J.Normando tenha beliscado nossa memória e despertado emoções!
    Este é um dos papéis da Arte, no meu entendimento.
    Com estes pedacinhos de história formamos um mosaico de fatos e memória que nos emociona.
    Abraço a todos!

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.