04 janeiro 2011

Afinal qual foi a primeira mulher? – Por Carlos Eduardo Esmeraldo

Jornais, Rádio e Televisão apregoam que agora nós temos a primeira mulher como Presidente da República. Que nada! Somente agora é que resolvemos mostrar a cara, nos despir de nosso encardido machismo e assumir definitivamente que há muito vivemos num reino do matriarcado. O que os meios de comunicação social deveriam propagar é que agora não temos mais necessidade de usar intermediários. A maioria dos brasileiros, cansada dos “paus mandados” resolveu colocar as coisas nos seus devidos lugares.

Antes de uma mulher assumir pessoalmente pela primeira vez o cargo da Presidência da República, nós tivemos um número bastante elevado de mulheres que igualmente mandaram nesse país. Lembremo-nos de algumas daquelas senhoras que, nos últimos sessenta anos comandaram nossos destinos, quase sempre às caladas da noite: Darcy Vargas, Carmela Dutra, Sarah Kubitschek, Eloá Quadros, Maria Tereza Goulart, Iolanda Costa e Silva, Scila Médici, Dulce Figueiredo, Marly Sarney, Rosana Collor, Ruth Cardoso e Marisa Letícia. Aos respectivos maridos, a quem nós apelidávamos de Presidentes da República cabiam sempre a última palavra: “A pois tá certo, minha querida.”

A propósito desse assunto, havia na época do Regime Militar um prefeito de uma capital que além da sua própria mulher, recebia ordens da mulher do governador. Certo dia, um jornalista quis saber dele se era verdade que ele fazia tudo que a mulher do governador mandava. “É sim, se ela mandar eu faço e, antes que ela mande eu já estou fazendo.”

Agora eu acredito que assumimos de fato nossa real condição, pois uma mulher foi eleita pelo povo brasileiro como a primeira Presidenta da República. Espero que ela use a sensibilidade da qual toda mulher é possuidora para olhar pelos pobres, e reduzir ainda mais as enormes desigualdades sociais e conduzir nosso país para dias melhores ainda.

Por Carlos Eduardo Esmeraldo

7 comentários:

  1. Carlos,

    Por ser mulher, aceito humildemente sua revelação (risos) a propósito de que é real o fato de que "atrás de um grande homem existe sempre uma grande mulher".

    A mulher que sabiamente se mantém na discreta condição de "conselheira e pacificadora", mas que tem garra e se faz presença por trás das cortinas da sabedoria.

    Esperemos que a nação esteja bem entregue a essa mulher eleita pelo povo e que ela possa mostrar ao país a verdadeira força que tem.

    Abraço,

    Claude

    ResponderExcluir
  2. Claude

    Agradeço a contribuição dada no sentido de complementar o presente texto. Todos nós desejamos que tudo dê certo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Aqui no Crato saiu uma matéria no mínimo estapafúrdia, no Jornal do Cariri, se não me falha a memória, colocando D. Bárbara de Alencar como a Primeira PRESIDENTA do Brasil...imagine só...

    Abraço,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  4. Caro Dihelson

    É que nós cratenses pensamos que vivemos no centro do universo. Daqui a qualquer dia vai surgir alguém para dizer que Maria Caboréca vai ser canonizada antes do Padre cícero.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Eheheheheh quase morro de rir, Carlos. D. Maria caboré, eheheheh pois é.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  6. Carlos... Parabéns pela matéria.
    Você com certeza tem uma sensibilidade divina em compreender a força da mulher.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Prezada Maria Otilia

    Muito obrigado por suas palavras de incentivo. Na verdade convivo há 38 anos com uma mulher de extraordinária sensiblilidade.
    Abraços

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.