05 dezembro 2010

Conheça a “Granja do Torto”, o mais modesto dentre os 3 palácios utilizados pelo Presidente da República

Fonte: Veja on line


“Esconderijo” de Dilma, Granja do Torto tem até lago artificial

Por Marina Dias e Gabriel Castro

Conforto não falta na Granja do Torto: os 37 hectares incluem lago artificial, córrego artificial, piscina, campo de futebol, quadra poliesportiva, churrasqueira, heliporto e uma área de mata nativa. Quando ocupou a Presidência da República, de 1979 a 1985, o general João Figueiredo não escondia seu hobby predileto: cavalgar por horas seguidas na Granja do Torto, uma das residências oficiais do presidente. Esse era um dos desesperos de seus assessores, que tinham dificuldade em acompanhar o chefe.
Vinte e cinco anos depois, o local volta a servir de abrigo para um gaúcho de adoção. Uma gaúcha, aliás. A atual moradora do local não cria cavalos. Nem galinhas, como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dilma Rousseff prefere os cachorros: com ela, também se mudaram para lá o labrador Nego e a vira-lata Fafá. As instalações agora ainda abrigam um berço. Gabriel, o neto da presidente eleita, tem onde dormir quando for visitar a avó.
Aos poucos, o lugar vai ganhando a cara da nova presidente. Os amplos jardins da casa já tiveram o desenho de uma estrela petista em seu gramado – obra da primeira-dama Marisa Leticia. Mas o arranjo foi desfeito após suscitar críticas dos adversários. Distante 12 quilômetros do Palácio do Planalto, a residência fica a poucos metros da divisa com o Parque Nacional de Brasília, que abriga tucanos, lobos guará e micos.

Funcionários
Na Granja do Torto, a presidente eleita terá um séquito completo de funcionários, 24 horas por dia. A Presidência da República alega razões de segurança para não revelar a quantidade de serviçais à disposição de Dilma. Mas são tantos que possuem até alojamento e refeitório próprios, num prédio separado da casa principal.
A segurança da área é feita pelo Batalhão da Guarda Presidencial. Os soldados trocam de turno a cada duas horas. Do lado de fora da guarita, jornalistas tem à disposição um abrigo com mesas, cadeiras, água e banheiros. Em menos de um mês, Dilma tomará posse no cargo e poderá optar pelo Palácio da Alvorada, mais luxuoso e a apenas 4 quilômetros do local de trabalho - mas sem a privacidade e a configuração campestre da atual moradia. O dilema é o mesmo que enfrentou Lula, que também viveu na Granja do Torto durante a transição. Uma escolha quase tão difícil quanto a da equipe ministerial.

7 comentários:

  1. Pois é, Armando. Tudo sustentado com o dinheiro do contribuinte, mas afinal, sempre foi assim mesmo, e sempre será...

    Nos tempos do Império, quem sustentava os Imperadores, só pela minha curiosidade e ignorância ?

    Abração,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo Dihelson:
    Você me proporciona uma ótima oportunidade para divulgar uma verdade histórica, reconhecida (Deus tá vendo a peleja) até pelo mais xiita antimonárquico.
    Embora o Orçamento Geral do Império tivesse crescido 10 vezes entre 1841 e 1889, a dotação da Casa Imperial se manteve a mesma, isto é: 800 contos de réis anuais.
    800 contos de réis anual significava 67 contos de réis mensais que os republicanos diziam que era uma afronta, pois servia para sustentar uma família. Pois bem a segunda medida do presidente “provisório” Deodoro Fonseca foi aumentar o salário do Presidente da República para 120 contos de réis por mês, quase o dobro do que recebia a família de Dom Pedro II.

    ResponderExcluir
  3. Vale ressaltar que o destinado ao Imperador Dom Pedro II e sua família ainda servia para beneficiar pessoas de talento que viriam a prestar serviços ao Brasil. Por exemplo: o músico Carlos Gomes estudou aqui e na Europa, auxiliado com a dotação pessoal que recebia Dom Pedro II. Também o pintor Victor Meireles foi ajudado pelo Imperador. A Família Imperial repartia o que recebia entre pessoas necessitadas do Rio de Janeiro e de outras cidades do Brasil. Durante a Guerra do Paraguai, Dom Pedro II destinou um quarto de ser orçamento pessoal em beneficio das despesas com a guerra...

    ResponderExcluir
  4. Nos dias atuais, como foi detalhado numa postagem minha outro dia, neste blog, a República sustenta 6 famílias presidenciais: José Sarney, Collor de Melo, Itamar Franco, FHC, Lula e dona Dilma. Cada ex-presidente recebe um salário de mais de R$ 16 mil reais por mês, e tem direito a dois veículos Ômega CD, avaliados no mercado em R$ 180 mil cada, e mais despesa de combustível e da manutenção, na estimativa também foi levada em conta a depreciação do valor do carro no período. Os ex-presidentes têm direito ainda a 8 assessores, aí incluídos dois motoristas, dois seguranças e quatro assessores especiais que custam a nação por ano mais de 4 milhões de reais. É mole ou quer mais?

    ResponderExcluir
  5. De acordo com estimativa feita pelo jornal “Congresso em Foco”, cada um deles consome, por ano, cerca de R$ 800 mil em assessoramento, segurança e transportes pagos com dinheiro público. O valor seria suficiente, por exemplo, para bancar pelo menos 1.489 famílias atendidas pelo principal programa social do governo Lula, o Bolsa Família, ao longo de 12 meses. A comparação leva em conta o valor máximo distribuído hoje pelo governo federal a famílias de renda per capita mensal inferior a R$ 120 que mantêm até três crianças e dois adolescentes na escola. Nesse caso, os beneficiários podem sacar o máximo de R$ 172 ao mês. O benefício básico, porém, é de R$ 58.

    ResponderExcluir
  6. Mas voltando ao foco principal. É verdade que também a família real é sustentada pelo contribuinte. Mas é só uma família. E esta não cria emprego, não usa de trafico de influência, pois não depende de conchavos políticos para manter sua posição.
    Já os presidentes...
    Quando postei a matéria sobre os exageros de mordomias dos presidentes da República teve um amigo que me disse: “Ninguém tem o menor interesse pelas coisas do Império”.
    Ledo engano. O amigo está mal informado. O museu mais visitado do Brasil é o Museu Imperial de Petrópolis, que recebe, em média, mil visitantes por dia.
    Já o museu da República, no Rio de Janeiro, recebe em média 20 visitantes ao dia...

    ResponderExcluir
  7. Armando, você que pesquisa muito, saberia nos dizer quanto os Estados Unidos, da França e outros países gastam com as famílias dos Ex-Presidentes também ?

    Obrigado.

    DM

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.