24 setembro 2010

Nota da Polícia Federal confirma reportagem de VEJA sobre corrupção no governo do Ceará


NE - E parece que vem mais chumbo grosso aí da Revista Veja contra os irmãos Gomes...

Comunicado oficial menciona o processo que apura os mesmos fatos relatados na revista.A Superintendência da Polícia Federal no Ceará divulgou um comunicado que causou confusão no estado. Eis o seu teor:

“Fortaleza/CE: Em referência à reportagem publicada na Revista Veja, Edição nº 2183, páginas 82-83, intitulada "Integração Cearense", a Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará informa que as investigações em andamento não alcançaram qualquer autoridade federal ou estadual detentora de foro privilegiado, tampouco o Governador do Estado do Ceará, CID FERREIRA GOMES e o Deputado Federal CIRO FERREIRA GOMES; por esse motivo o processo a que a revista faz alusão tramita em 1ª instância na Justiça Federal do Ceará.”

Candidato à reeleição, o governador Cid Gomes usou a nota para desqualificar a reportagem de VEJA. O fato é que o comunicado confirma a reportagem em vez de desmenti-la, pois menciona o processo que apura os mesmos fatos relatados pela revista. Esse processo leva o número 2009. 81.00.014040 e tramita na 10° Vara da Justiça Federal do Ceará.

VEJA trouxe a público o conteúdo dos arquivos de um computador apreendido pela PF em 8 de dezembro de 2009, durante a Operação Gárgula. Nesses arquivos, o empresário Raimundo Morais Filho, detido na ocasião, descreve um esquema de corrupção chamado “Integração Cearense”, que teria atuado no Ceará de 2003 até o fim do ano passado, desviando 300 milhões de reais de verbas públicas, e envolvendo tanto o governador Cid Gomes quanto seu irmão, o deputado federal e ex-ministro da Integração Nacional Ciro Gomes, ambos filiados ao PSB.

Os documentos apreendidos pela PF no ano passado subsidiaram a realização de uma segunda operação em 23 de junho de 2010, batizada de Gárgula 2. Nela, Morais Filho teve outro mandado de prisão expedido, mas fugiu da Justiça. Naquele dia, os agentes federais realizam buscas no gabinete do primeiro-secretário da Assembléia Legislativa do Ceará, deputado Zezinho Albuquerque, articulador político do governo Cid Gomes e suspeito de ser o operador do esquema de corrupção.

Os arquivos apreendidos pela PF mencionam diretamente os irmãos Cid e Ciro Gomes. Como ambos têm direito a foro privilegiado, em razãos dos cargos que exercem, investigações sobre eles têm de ser autorizadas pelo Superior Tribunal de Justiça, no caso de Cid, e pelo Supremo Tribunal Federal, no de Ciro Gomes. Conforme esclarece a nota da PF, as investigações não alcançaram as autoridades estadual e federal. O que não impede que, no futuro, possam fazê-lo.

Fonte: Veja Online

9 comentários:

  1. O título da notícia é bem tendencioso, como tudo que é escrito por Veja. "Confirma"? Um fato é haver a investigação; outro são os resultados dela. São coisas tão parecidas quanto um porco e uma ovelja: ambos andam de quatro e têm o focinho do lado oposto à cauda. É prematuro demais afirmar isso. O que se tem de aclarar ainda mais é esse estopim de espalhafatos, polarizados por mídia de mesmo time, que tem acontecido nas biqueiras do primeiro turno. Parece até que isso nunca aconteceu quando a situação de um candidato se complica e, alarmado pela proximidade das eleições, tem de pensar em "qualquer" estratégia. Em parte, essa estratégia pode ser um tiro-no-pé, como foi no caso de José Serra (afinal, a diferença nas pesquisas entre ele e a candidata do PT subiu para trinta pontos). Vê o que aconteceu com o "vazamento que não vazou" (sobre o caso da filha do candidato tucano); a sugestão de que o crime esteja ligado com más intenções de campanha eleitoral de candidato adversário é de ingenuidade fora do comum. Isso é crime de quebra de sigilo fiscal semelhante àqueles em que também já se envolveram, como vítimas, membros de outros partidos, sem que houvesse com isso nenhuma intenção "eleitoreira", pelo menos recente. Aliás, a quebra do sigilo fiscal da filha do candidato do PSDB à presidência ocorreu em 30 de setembro de 2009 (é importante saber essa data). Alguém, por acaso, já teve acesso às informações "vazadas" através de campanha eleitoral de algum candidato? Isso, pelo menos, não salta aos olhos de quem acompanha as campanhas dos candidatos à presidência. E outra coisa: tendo vantagem palpável nas pesquisas, seria burrice maiúscula qualquer candidato usar esse artíficio. Quem assim age, armando-se de dossiês emergenciais e bastante suspeitos, só arca a consequência de passar-se por vítima de adversário que, em momento algum, levantou os punhos (isso é brigar sozinho e sair perdendo por querença própria...). Brasileiro algum pode ter a inteligência insultada por estratagema tão pobre.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Prezado Gustavo, nos não somos cegos nem surdos. Basta enviar o comentário uma única vez, amigo!

    A demora na publicação dos comentários se dá porque eles são liberados somente 2 ou 3 vezes ao DIA.

    Depois entraremos no mérito da questão.

    Abraço,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  8. Peço perdão pelo ocorrido com o número de comentários. Inicialmente houve problema com a postagem, que pensei não ter funcionado. Apareceu mensagem em inglês que afirmava não ter sido enviado o comentário. Pensei, então, que deveria ter sido por conta do tamanho da resposta. Fiquei supreso com o fato de terem sido enviadas todas elas. De qualquer maneira, excluí as mensagens repetidas.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Tudo bem, Gustavo. Sempre tem uma primeira vez. Na verdade, esse problema tem ocorrido com muitos comentarios. Tem gente que me manda 10 vezes o mesmo comentário.

    Eu recebo na primeira vez. Só se der um erro muito esquisito.

    O mais comum nesse caso aí é o tamanho do comentário. Existe um limite de tamanho. Quando extrapola, você recebe uma mensagem em inglês, embora se não for exageradamente longo, ele será publicado, por via das dúvidas, eu sempre que faço um comentário, antes de publicar eu copio para a área de transferência do Windows ( Control C ), porque se der uma zebra, eu nao perco o comentário.

    Isso é uma dica que eu gostaria de passar para todos, mas eu nao quero escrever um tópico só pra dizer isso, nossa página frontal já está muito "espremida", espero que a turma leia isso aqui.

    Abraço,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.