25 agosto 2010

O cego e o tempo -- postado por Armando Lopes Rafael


Certo dia um cego estava sentado no degrau de uma calçada com um chapéu aos pés e um cartaz de papelão onde estava escrito: “Sou cego, ajudem-me, por favor”.

Um publicitário, que por aí passava, parou e reparou que no chapéu só havia alguns centavos. Abaixou-se e colocou algumas moedas, depois, sem pedir permissão ao cego, pegou o papelão, o virou do outro lado e escreveu outra frase nele.

De tardinha, o publicitário passou novamente onde estava o cego e reparou que o chapéu dele estava cheio de moedas e de notas.O cego reconheceu a pisada do homem e perguntou-lhe se tinha sido ele que tinha escrito sobre o papelão e, sobretudo, o que tinha escrito.

O publicitário respondeu: “Nada que não fosse verdade, somente escrevi a sua frase de outro jeito”. Sorriu e foi-se embora.

O cego nunca soube que no seu pedaço de papelão estava escrito: “Hoje é primavera e eu não a posso ver”

Moral:muda a tua estratégia quando as coisas não vão muito bem e verás que, depois, tudo irá melhor

Autor desconhecido
Postado por Armando Rafael

Um comentário:

  1. Parabéns, Armando!

    As estórias que contém uma lição de moral são as mais lindas, na minha opinião. Adoro fábulas e coisas do gênero.

    Um grande abraço,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.