21 agosto 2010

Livros destacam os fatos históricos do Cariri - Reportagem: Elizangela Santos


ESCRITORES DO CARIRI realizaram lançamentos coletivo das obras sobre esta região cearense - ELIZÂNGELA SANTOS - A Lira Nordestina foi o tema do livro "Arcanos do Verso: trajetórias da literatura de cordel", de Rosilene Alves.

Juazeiro do Norte. A saga da tipografia que se tornou a maior produtora de livretos de cordel do País, a Lira Nordestina, é contada pela professora e pesquisadora, Rosilene Alves de Melo, que lançou livro recentemente na região. O trabalho entrou no rol de lançamentos também do evento "Cariri Cangaço", realizado em várias cidades da região. Junto, houve a apresentação e lançamentos dos livros "Pacto dos Coronéis", da escritora Vilma Maciel, e "Guaribas", do pesquisador Mano Grangeiro, organizador, e da poetisa Rosário Lustosa.

"Arcanos do Verso: trajetórias da literatura de cordel" traz um apanhado sobre a antiga Tipografia São Francisco, hoje Lira Nordestina, de 1926 a 1982, ano em que a editora encerrou suas atividades, ao vender seus equipamentos e acervo literário para o Governo do Estado. A autora narra os seus primeiros momentos ao chegar em Juazeiro, o encantamento. O auge, a resistência e a importância da gráfica dentro de um contexto histórico e literário. A "casa das palavras", como bem traduz o jornalista Gilmar de Carvalho, que teve à frente por longos e áureos anos, o seu criador, José Bernardo da Silva, chegou a produção de 50 mil cordéis por semana, para atender a demanda do público voraz consumidor das informações simplesmente poetizadas e gravadas pelos artesãos da poesia popular. Isso ocorreu na década de 50. Segundo Rosilene, isso significou a interiorização da indústria artesanal de folhetos com a revelação de Juazeiro como polo dessa produção, centralizada desde as primeiras décadas do século XX em Recife. Para ela, o sucesso do comércio da literatura de cordel serviu de estímulo para instalação de tipografias especializadas, um negócio que passou a ser lucrativo. E junto com esse trabalho, veio a participação dos grandes xilógrafos, com obras de relevância cultural. A escritora destaca nove anos de pesquisa num trabalho que recebeu importantes premiações, como o Prêmio Sílvio Romero, como melhor monografia sobre cultura tradicional popular no âmbito nacional. Para Gilmar de Carvalho, fez com que se gerasse uma expectativa na publicação do trabalho. Para ele, o livro consegue quebrar a barreira do ineditismo.

Já "Pacto dos Coronéis" e "Guaribas" trazem momentos da história do Cariri em que entra a rota do cangaceirismo e coronelismo no sertão. O professor Daniel Walker, apresentador da obra de Vilma, destaca a importância do médico Floro Bartholomeu, braço direito do Padre Cícero, como idealizador do processo. No livreto "Guaribas", pela primeira vez traz narrativa em versos da tragédia.

Cultura

"A Tipografia São Francisco foi local de passagem de poetas. É Ponto de Cultura"
Rosilene Alves de Melo
Pesquisadora

MAIS INFORMAÇÕES
Secretaria de Cultural do Crato, Centro Cultural Araripe
Região do Cariri
(88) 3523.2365

Elizângela Santos
Repórter do Jornal Diário do Nordeste

Colaboradora do Blog do Crato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.