04 junho 2010

Nem no último pau-de-arara - por Luiz Henrique Campos (*)

Vista parcial da Avenida Padre Cícero entre Crato e Juazeiro do Norte

(Artigo publicado no jornal O POVO, edição desta 6ª feira, dia 4)

Já estive várias vezes na região do Cariri a trabalho ou desfrutando descompromissadamente da hospitalidade daquela gente. Há duas semanas, porém, ao acompanhar a visita do pré-candidato à Presidência da República, José Serra (PSDB), me chamou a atenção o aspecto da transformação econômica pela qual passam as cidades de Juazeiro do Norte e Crato, mais especificamente.

Ao passear pelas ruas, ou em conversa com comerciantes, é nítida a diferença de perspectivas para aquelas cidades se comparada aos últimos cinco ou 10 anos. Se antes, Juazeiro, por exemplo, carecia de uma melhor estrutura de serviços básicos, hoje é exemplo de um polo regional de desenvolvimento que consegue aglutinar em torno de si diversas cidades do Ceará, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

Prova dessa importância regional, é que, segundo a prefeitura, por dia, param em média na cidade, cerca de 200 topics oriundas de diversos municípios destes estados. O aeroporto de Juazeiro, por exemplo, já tem uma movimentação de carga que chega a superar a de capitais da região Norte do País. Para este ano ainda, está prevista a chegada de pelo menos três unidades de uma grande rede de varejo. Sem contar o boom da construção civil no município.

O mais interessante é que essa movimentação tem se dado de forma tão rápida que até entre gestores e lideranças da região não há consenso sobre o que estaria acontecendo para dar celeridade a essa onda de desenvolvimento. Para uns, seria o turismo religioso; alguns apontam a revitalização do comércio alavancado pela indústria calçadista de pequenas empresas; enquanto outros creditam à chegada das universidades.

Tudo é uma conjunção de fatores que incluiria ainda o bom momento da economia nordestina. Mas prefiro ficar com uma feirante do mercado público, que na sua sabedoria popular, disse que ninguém tem explicação para o que está acontecendo em Juazeiro e Crato. O melhor é que em termos de futuro ainda há muito a ser explorado, o que nos leva a crer que a máxima de se deixar a região no último pau-de-arara já é coisa ultrapassada.

(*) Luiz Henrique Campos é jornalista

7 comentários:

  1. Simples, não só na região do cariri, mas em todas as regiões do país há crescimento. Mistério...!!!par os que não querem ver.

    ResponderExcluir
  2. O crescimento do Cariri é uma consequencia do crescimento do Brasil. A situação caririense talvez seja um pouco mais acima da média nacional pelo turismo, que está se moldando e encontrando soluções até então não encontradas por aqui. A inclusão de Nova Olinda, e consequentemente a região do Cariri, como um dos destinos indultores do turismo no Brasil, está transformando a nossa região em um foco de investimentos. Precisamos ainda de muito para crescer turisticamente, mas isso está sendo feito e certamente colheremos mais ainda disso.
    Vamos nessa Cariri!

    ResponderExcluir
  3. O nosso caro Calazans opinou:
    “...não só na região do cariri, mas em todas as regiões do país há crescimento” (sic))

    Que é isso meirmão... Bate na madeira três vezes, pois o crescimento” do Brasil no ano passado só foi 2,2%.
    Infimo, pífio, mais nanico do que Tandor na frente de Padre Frederico!
    Segundo dados divulgados pelo Governo do Ceará (Para conferir: http://www.ceara.gov.br/index.php/sala-de-imprensa/noticias/1283-industria-e-servicos-levam-economia-a-crescer-892-no-1o-trimestre), “O desempenho da economia cearense registrou um crescimento de 8,92% no primeiro trimestre de 2010 em relação ao mesmo período do ano passado. Os setores da indústria geral, com 9,21%, e dos serviços, que fechou em 8,47%, foram os responsáveis pela boa performance do Produto Interno Bruto (PIB), a preço de mercado, nos primeiros três meses deste ano. Na indústria, o destaque foi para a construção, com 17.33%. Já no setor de serviços, o comércio, que registrou 16,04%, teve o melhor desempenho. É importante destacar também que o segmento dos transportes teve um incremento de 10,47%.

    ResponderExcluir
  4. Velho Calá:
    Agora ruim mesmo foi em 2009.
    Teve gente postando - aqui neste blog - que o “Bolsa-Família” diminuiu o desemprego. Risível? Mas postaram mesmo...

    Graças a Deus, segundo até os dados oficiais, cresceram mais do que o Brasil: Paraná (8,7%),Minas Gerais (3,0%), do Espírito Santo (2,9%) e Ceará (2,3%), todos com taxas de expansão acima da média nacional.
    Ainda tiveram crescimento menor: São Paulo (principal parque fabril do país) e Santa Catarina (ambos com 2,1%), o Pará (1,2%), o Rio de Janeiro (0,9%), o Rio Grande do Sul e a Bahia (ambos com 0,8%) também registraram pequeno aumento na produção.
    Na rua da amargura: Pernambuco (-0,7%) e Goiás (-10,3%)

    ResponderExcluir
  5. Eu que já tenho 18 anos fora do cariri acredito que a região poderia está num patamar acima.
    É salutar e me enche de orgulho esse desenvolvimento e as perspectivas econômicas são grandiosas.
    Precisa-se de uma representação política mais vigorosa e ágil tanto em Fortaleza como em Brasília.
    Outro fator que se faz necessário é o incentivo por parte do governo estadual para o turismo ecológico. Quem região do Brasil tem as belezas da chapada do Araripe? Mas com um porém: um turismo sustentável, sem agressão a natureza e ao povo que vive e que depende da floresta.

    ResponderExcluir
  6. Já pensou se ao invés de crescer, um país fosse DIMINUINDO ? Eu não conheço Nenhum país do mundo que diminua. Todos crescem.

    Essa é a tendência natural de qualquer região mesmo. Daqui a 100, 200 ou 1000 anos será muito maior.

    Abraços.

    DM

    ResponderExcluir
  7. É mesmo. Nem no último pau-de-Arara. Mas com todas as mazelas, eu não abro mão do Cariri e principalmente do crato.

    DM

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.