16 abril 2010

Psicologia no Cotidiano Ψ GAY Ψ Por João César Mousinho De Queiroz.


Conquanto a cultura contemporânea em geral tenha herdado o termo diretamente do inglês (gay = "alegre, jovial"), o vernáculo inglês colheu-o do francês arcaico (gui, com o mesmo significado) e este, por seu turno, obteve-o do latim tardio (gaiu, com semelhante significado). Assim, a etimologia remonta o termo atual a três transições cultural-linguísticas: do latim tardio ao francês; do francês (arcaico) ao inglês; do inglês às demais culturas atuais.
A palavra originariamente não tinha conotação sexual necessária. Era usada para designar uma pessoa espontânea, alegre, entusiástica, feliz, e, nesse sentido, pode ser encontrada em diversas literaturas americanas, sobretudo as anteriores à década de 1920. No entanto o significado preliminar da palavra gay mudou drasticamente nos EUA, vindo a assumir o significado primordial atual, que, com a difusão da cultura estadunidense, tem sido amplamente utilizado.
O termo gay, já marcado pela conotação sexual, ao ser difundido pelos países lusófonos, era utilizado principalmente de forma pejorativa contra homens gays. Contudo, a utilização da palavra pelos próprios homossexuais, a se referirem a si mesmos, fez com que a conotação negativa fosse amenizada. Em outras palavras, os homossexuais apropriaram-se da palavra, na busca de retirar-lhe, assim, a carga insultuosa.

Existem muitos sinônimos desta palavra no idioma português. No entanto, o uso dessas palavras é desaconselhado por serem consideradas de uso chulo e/ou de fundo preconceituoso. Considera-se o maior representante da música na gay scene o cantor Boy George que redefiniu o estilo nos anos 80.
Atualmente, tal representatividade é atribuída ao grupo americano Scissor Sisters que vêm dando uma nova roupagem à música pop, recebendo elogios em todas as publicações especializadas de música. Existem diversos cantores de todos os gêneros musicais que são assumidamente homossexuais (ou bissexuais) ou que, em algum momento, das suas vidas tiveram relacionamentos com pessoas do mesmo sexo. Cita-se, como exemplo, George Michael. As cantoras Cher e Madonna, ao terem tornando visível manifestações homossexuais tanto masculinas como femininas em seus shows e ensaios fotográficos, são também uma marca na "cultura gay contemporânea".

No Brasil, diversos artistas são abertamente homossexuais ou bissexuais: Ana Carolina, cantora que se diz abertamente bissexual. Além dela, podem-se citar casos como o de Cazuza, ex-vocalista da banda Barão Vermelho e Cássia Eller, cantora de rock. Em sua música "Iguais", Isabella Taviani, mostra o amor incondicional de duas mulheres, que, indepentemente dos direitos civis e o preconceito da sociedade, lutam para ficar juntas.

Fontes:Livros, Artigos.
São Paulo 16/04/10 Artigo XVII – Psicólogo Clínico Forense. www.sosdrogasealcool.org

2 comentários:

  1. olá João Cesar muito bom o artigo

    ResponderExcluir
  2. Mais um artigo esclarecedor da diferença entre Gay e Homossexual.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.