09 março 2010

Tasso negocia com Cid e deixa Serra ‘a pé’ no Ceará - Postado por Océlio Teixeira

Às voltas com a necessidade de reeleger-se para o Senado, Tasso Jereissati (PSDB) negocia no Ceará um acordo com o governador Cid Gomes (PSB). Irmão do multicandidato Ciro Gomes (PSB), velho aliado de Tasso, Cid tenta empurrar o senador tucano para dentro de sua chapa reeleitoral. 

Um problema para José Serra, que ficaria sem um palanque no Ceará. O de Cid está reservado para Dilma Rousseff e, talvez, para Ciro. Um problema também para PT e PMDB, que esperavam indicar os dois candidatos a senador na chapa de Cid. O nome do PT é José Pimentel, ministro da Previdência. O do PMDB, Eunício Oliveira, deputado e ex-ministro das Comunicações. Prevalecendo Tasso, um dos dois –Pimentel ou Enício— vai sobrar. Abespinhado, o petismo cearense já fala até em lançar candidato próprio.

Presidente Estadual do PT, a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, descarta a hipótese de freqüentar o mesmo palanque de Tasso. Luizianne avisa: “Se for o caso, acho que o partido tem outros nomes para cumprir essa tarefa [de disputar o governo]”.

Há cerca de dois meses, reunido com Tasso em São Paulo, Serra encarecera ao senador que concorresse, ele próprio, ao governo cearense. Tasso refugara o apelo. Mas comprometera-se a providenciar um candidato tucano. Dissera que empinaria o nome de um empresário.

Na última sexta-feira, numa aparição na cidade cearense de Sobral, berço da família Gomes, Tasso parecia bem distante do senador de dois meses atrás. Em conversa com repórteres, Tasso recobriu Cid Gomes de elogios. Inquirido, disse que o goverandor do PSB merece ser reeleito.

Rendido às conveniências regionais de seu cacique cearense, o PSDB nacional parece já se ter conformado. Integrante do grupo de Aécio Neves, o secretário-geral do PSDB, deputado Rodrigo de Castro (MG), declarou: “Nós seguiremos o que o Tasso decidir. Ele é a liderança cearense”. Pobre Serra.

Fonte: Blog do Josias de Souza

Um comentário:

  1. Quase infinito é o espaço que divide o discurso da prática dos "chefões" da oposição. Na carta do Aécio Neves na qual anunciou ao pais a sua desistência da pré-candidatura a presidente, ele disse que era um soldado do partido e que tudo faria pelo engrandecimento da social democracia brasileira. Quando convidado a fazer uma chapa "puro sangue" (termo originariamente utilizado para equinos) negou o discurso e caiu fora. Não foi nada besta, desculpem o trocadilho.

    Agora vem o Tasso também negando o discurso que sempre fez em defesa do seu partido. Se o Tasso deseja verdadeiramente ver o Serra ungido à presidência da república o seu papel é ser candidato a governador para fortalecer o palanque do seu candidato aqui no Ceará. Só que ser contra o Lula no Ceará (assim como em todo o resto do pais) é muito arriscado, pode até significar o fim da carreira política. Daí o motivo de se rasgar o discurso e negar princípios. "Todo mundo quer carregar o banquinho quando é preciso transportar o piano". Fica provado que, pra eles, o importante é manter a "boquinha". Que se danem os ideais!

    O PT cearense está certíssimo em não aceitar o Tasso em nosso palanque, até porque temos projetos políticos muito diferentes. E temos, também, bons quadros para formarmos um palanque sem a presença do PSB. Não devemos esquecer que em 2002 o PT, com o Zé Airton, quase chegou lá, a diferença foi pouco maior que 3000 votos. Uma merreca.

    Quem perderia mais, o PT cearense sem o Cid ou o PSB cearense sem o Lula? Façam suas apostas.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.