02 março 2010

'Lula sabe que Cuba jamais torturou', diz Fidel - Por: Samuel P. Teles

 

N.E.: Como ditador, esse Fidel é um ótimo piadista.

Num instante em que Lula tenta virar a página escrita na semana passada, em Cuba, o ditador aposentado Fidel Castro cuidou de redigir mais um capítulo. Fidel manifestou-se em nota. No texto, remexeu o caldo que mistura a visita de Lula e a morte do dissidente cubano Orlando Zapata. Acusado de “cúmplice” pelos opositores do regime de Havana, o presidente brasileiro foi defendido por Fidel. Divulgada na TV estatal cubana, a nota companheira realça, a certa altura: "Lula sabe, há muitos anos, que em nosso país jamais se torturou alguém, jamais se ordenou o assassinato de um adversário, jamais se mentiu para o povo".

Zapata sucumbiu após 85 dias de greve de fome. Feneceu na terça-feira da semana passada, horas antes da chegada de Lula a Havana. Instado a comentar o episódio, Lula lamentou que “uma pessoa se deixe morrer” por greve de fome, expediente que já adotou e desrecomenda. Não pingou dos lábios de Lula nenhuma palavra que soasse a desaprovação à falta de democracia em Cuba. O silêncio custou a Lula declarações acerbas dos dissidentes que permanecem em Cuba e um protesto barulhento de exilados, no consulado brasileiro de Miami. Inveja pura, segundo Fidel: "Alguns invejosos de seu prestígio e de sua glória, ou pior ainda, os que estão a serviço do Império, o criticaram por visitar Cuba. Utilizaram para isso as calúnias que há meio século usam contra Cuba".

No estágio seguinte de sua fatídica viagem, Lula voou para El Salvador. Ali, levou aos microfones uma declaração que agora ecoa como aprovação prévia à nota de Fidel: "Não podemos julgar um país ou a atividade de um governante em função da atitude de um cidadão que decide fazer uma greve de fome". O que dizer? Com um defensor do porte de Fidel, Lula já não precisa de agressores. Depois de converter o romantismo de de Sierra Maestra num pesadelo de cinco décadas, o protoditador, metido em agasalho Adidas, decidiu matar o tempo como ficcionista. Seus opositores, em trilha inversa, como que convertem Manuel Bandeira em realidade, adaptando-lhe a poesia:

Vou-me embora de Pasárgada
Sou inimigo do rei
Não tenho nada que quero
E sei que jamais terei
Vou-me embora de Pasárgada
Aqui não sou feliz
A cana é muito dura
E os ditadores são senis...

Fonte: Blog do Josias de Souza

Por: Samuel P. Teles

4 comentários:

  1. Ao fugir da ilha-prisão para os EUA,uma irmã do ditador Fidel referindo-se a este disse:

    - No faltará el actor que hay en el
    (Não faltará o ator que existe nele) em Fidel.

    Fidel Castro não é somente o maior torturador de presos de consciência da atualidade.
    Fidel Castro é o maior mentiroso, o mais hipócrita e o mais dissimulado ditador que já existiu no continente americano.

    E ainda existe gente que finge acreditar nesse farsante...

    Até onde vai a vilania da humanidade...

    ResponderExcluir
  2. Meu caro Armando.

    Já já chega os defensores desse assassino. Eles tem faro apurado. É só esperar.

    Defendem o indefensável.

    ResponderExcluir
  3. A irmã dos sanguinários da dinastia Castro que fugiu da opressão cubana é Juanita Castro.
    Ela mora em Miami há mais de 30 anos e diz que só volta a Cuba quando a dupla Fidel-Raul for defestrada do poder...

    ResponderExcluir
  4. A notícia abaixo está sendo divulgada nos jornais de todo o mundo que circulam nesta 4ª feira:

    "Dois médicos do Governo cubano, que examinaram o jornalista dissidente e psicólogo Guillermo Fariñas, que está há seis dias sem beber água, em greve de fome em sua casa, recomendaram sua hospitalização imediata. Fariñas, de 48 anos, já esteve preso três vezes por suas atividades e iniciou o protesto na quarta-feira passada, depois da morte, um dia antes, do também grevista e preso político Orlando Zapata".

    Vem novos mártires por aí...

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.