11 março 2010

Entre Brics, PIB do Brasil superou apenas o da Rússia - Postado por Océlio Teixeira

‘Marolinha’ custou ao país R$ 186 bilhões no ano de 2009

O PIB brasileiro encolheu 0,2% no ano da (des)graça de 2009. Foi a primeira retração na economia brasileira desde 1992. O nível de investimento foi o pior dos últimos 14 anos. Tomando-se apenas o setor industrial, o recuo foi de 5,5%.

O PIBinho abaixo de zero foi um mal inevitável. Que o governo se esforça para transformar num bem. Lula ficou “satisfeito”. O ministro Guido Mantega chamou de “razoável” a taxa de -0,2%. Já cuida do PIB de 2010. Estima que heverá crescimento de 5,7%.

1. PIB de 2009 desce à crônica econômica nacional como o pior resultado em 17 anos, a quinta marca negativa da série série histórica. A última vez que a economia brasileira ficara no vermelho foi em 1992, sob Fernando Collor. Naquele ano, o PIB reacuara 0,54%.

2. A “marolinha” produzida pela crise financeira internacional custou ao Brasil algo como R$ 186 bilhões. É quanto o país teria produzido se não tivessem sido conspurcadas as previsões do PIB de 2009, que rumava para os 6% antes de ser atropelado pela crise.

3. Considerando-se o G-20, o PIB brasileiro foi o sexto melhor do G20 entre os países do grupo. O Brasil foi à foto de 2009 em pose menos constrangedora, por exemplo, que a dos EUA (queda de 2,4%) e do Japão (tombo de 5%).

4. Tomando-se apenas os Brics, porém, o Brasil ficou na penúltima colocação. Superou apenas a Rússia (tombo de 7,9%). Ficou longe da China (crescimento de 8,7%). Não chegou nem perto da Índia (crescimento de 5,6%).

5. Entre mortos e feridos, o Brasil salvou sua posição no ranking das economias mundias. Permanece como a 9ª maior economia do planeta. O Brasil já roça os calcanhares da Grã-Bretanha e da Rússia, os dois países que estão imediatamente à sua frente.

6. E quanto ao futuro? Bem, como na letra do samba, esse ano não vai ser, para a economia brasileira, igual aquele que passou. A economia roda, desde o final do ano passado, em ritmo de retomada. Cresceu 2% no último quadrimestre de 2009. Porém, a taxa de investimento ainda se encontra aquém do desejável.

7. Para que o crescimento fosse consistente, a taxa de investimento teria de ser de 25% do PIB. Hoje, está em 16,7%, a menor taa desde 2006.

Para Virene Matesco, economista da FGV Management, a economia brasileira realiza no momento um vôo de galinha:

"A galinha não voa porque não tem sustentabilidade. E com a taxa de investimento que o Brasil tem, não há como mudar esse cenário. Sem investimentos, não há como ter um crescimento sustentado".

Conclusão: o Brasil não chegou a fazer feio na crise. Nem por isso o mal, necessário e até inevitável, tranformou-se em um bem. Continuamos sendo um país à espera de ser feito.

Fonte: Blog do Josias de Souza
Foto: João Wainer/Folha

3 comentários:

  1. Océlio:

    Todo esse "barulho" (com que finalidade???) poderia ser resumido na frase que consta na matéria, transcrita abaixo:

    "Lula ficou “satisfeito”. O ministro Guido Mantega chamou de “razoável” a taxa de -0,2%."

    Ou seja, o PIB foi negativo, menor que o ano anterior, e ainda fica um bande de bestas enchendo linguiça com o fato...
    Esta a realidade - pura e transparente - do PIB brasileiro de 2009.

    Vôte...

    ResponderExcluir
  2. Mas isso não é "marolinha" ? Ta perdoado.

    rs rs rs

    Caranguejo só é peixe na enchente da Maré...

    Abraços.

    DM

    ResponderExcluir
  3. É sempre bom lembrar!

    O FHC quando assumiu o governo brasileiro em 1995 o Brasil era a 8° economia do mundo. Após 8 anos de desgoverno tucano o país descambou para a 15°. Venderam quase todo o patrimônio nacional, desviaram uma montanha de dinheiro e multiplicaram por 10 a dívida externa brasileira. Entregaram o pais literalmente quebrado. A inflação com dois dígitos (12%), o risco Brasil nas nuvens e a credibilidade do país a zero. Sem falar no câmbio (dolar acima de 3,50 reais). Quando nos referimos ao salário mínimo, que mexe diretamente com o povo, é que a coisa fica feia. O FHC recebeu o país com um SM equivalente a 86,00 dólares, após 8 anos entregou com o SM equivalente a 56,00 dólares. Em real ele recebeu com o SM valendo 120,00 reais e, após 8 anos, entregou valendo 200,00 reais, ou seja, uma média de reajuste de APENAS 10,00 reais por ANO.

    Após 7 anos de GOVERNO LULA:

    Salário Mínimo: equivalente a 260,00 dólares.
    Dívida com o FMI: zero ( Hoje somos credores do FMI)
    Risco Brasil: ninguém nem ouve mais falar nisso.
    Desemprego: um dos mais baixos dos últimos 30 anos.
    Dívida externa: uma merreca, pouco mais de 50 bilhões de dólares. Só os EEUU nos devem mais do dobro da nossa dívida externa.
    Reservas cambiais: 240 bilhões de dólares.
    Previsão de criação de vagas de emprego para este ano: 19 milhões de vagas.

    É por isso, e por muito mais, que apenas 5% da população não aprovam o governo Lula. Na sua grande maioria formados por pessoas que se beneficiavam do desgoverno FHC e hoje sonham, desesperada e equivocadamente, retornarem ao poder.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.