15 novembro 2009

Não valem o que cobram - Por: Jussara Seixas

O papel da mídia tem sido questionado últimamente neste blog. De um lado tem Armando Rafael e José Sales que defendem incodicionalmente a revista VEJA, e do outro aqueles que deixam bem claro que odeiam não só a revista mas o grupo Abril. Achei interessante este artigo, pois nos lembra que mesmo com toda a mídia contra o que prevalece é a vontade do povo. Acredito que o mesmo irá se repetir nas próximas eleições presidenciais para desespero e falencia daqueles que...

A mídia está devendo porque não entregou a derrota do presidente Lula, que foi encomendada e paga. Os jornalistas se empenharam, mas faltou-lhes competência. Os anunciantes precisam rever o custo da mídia, pois ficou provado que os grandes títulos e sobrenomes dos meios de comunicação não valem o que cobram. Afinal, foi claramente demonstrado que não formam opinião e não têm credibilidade. Não conseguiram vender seu peixe podre. O presidente Lula, após 4 anos de massacre diário pela mídia escrita, radiofônica e televisiva, teve uma votação histórica. E o governo Lula teve uma avaliação de ótimo e bom de mais 53% da população pouco antes das eleições. Os anunciantes precisam pechinchar os valores cobrados pela mídia. Os acionistas devem exigir a redução desses valores pelo menos à metade.

Os políticos, empresários e famosos não devem mais sujeitar-se às chantagens da mídia, pois ela se mostrou um poder pífio. É preciso também rever os empregos e salários ou pro-labores dos jornalistas que se empenharam nessa empreitada e que se achavam formadores de opinião. Eles devem ser demitidos ou ter seus salários diminuidos, pois provaram que são incompetentes. É grande a lista dos que receberam um bom dinheiro pela empreitada sem fazer jus a ele: Eliane Cantanhede, Fernando Rodrigues, Josias de Souza, Ricardo Noblat, Merval Pereira, Miriam Leitão, Alexandre Garcia, Jô Soares, William Bonner, Fátima Bernardes, Arnaldo Jabor, Dora Kramer, Renata Lo Prete, Lucia Hypolito, Diogo Mainardi, Clóvis Rossi e outros tantos, menos conhecidos. Mostraram que são incompetentes, que não merecem seus salários nem os postos de chefia que ocupam.

Os anunciantes devem seguir o exemplo da Sul América Seguros, que sabiamente retirou o patrocínio de um pocast reacionário na Veja. Não compensa patrocinar esses incompetentes. Após 4 anos de campanha intensa eles não conseguiram vender para o povo a falsa imagem ruim que criaram do presidente Lula e do governo Lula, encomendada pela eleite aos donos dos maiores jornais, revistas, rádios e canais de TV -- Frias, Mesquista, Marinho, Civita et caterva. Os interesses de quem encomendou são tão escusos que ainda se mantêm ocultos. Eles não entregaram o que foi encomendado e pago, não cumpriram o que prometeram. Não valem o preço que cobram, estão enganando seus anunciantes e patrocinadores, como tentaram enganar o povo.

Por: João Ludgero
( Recuperado de um Rascunho postado no Blog do Crato hoje )

4 comentários:

  1. Caro João Luidgero:

    A matéria abaixo foi retirada do site do Partido dos Trabalhadores-PT: http://www.pt-pr.org.br/noticias_detalhe.asp?ID=4040

    “Propaganda de Lula chega a 5.297 veículos de comunicação

    A diferença em relação ao governo anterior é a distribuição das propagandas por muitos meios de comunicação de pequeno porte. Logo depois de tomar posse, os comerciais do petista atingiam, por exemplo, apenas 270 rádios e 21 TVs. No final do ano passado, já eram 2.597 emissoras de rádio e 297 TVs recebendo dinheiro do Planalto para divulgar mensagens da administração federal.
    Os comerciais do Palácio do Planalto atingiram no ano passado 5.297 veículos de comunicação no país. O número representa uma alta de 961% sobre os 499 meios que recebiam dinheiro para divulgar propaganda do governo de Luiz Inácio Lula da Silva em 2003, quando o petista tomou posse.

    Esse padrão de pulverização na publicidade é incomum na iniciativa privada. Segundo dados do Ibope Monitor, a Fiat anunciou em 206 meios de comunicação diferentes no ano passado. O banco Itaú, em 176. Trata-se de uma pesquisa por amostragem, mas mesmo com um desvio de 1.000% o número de veículos nos quais essas duas empresas anunciam não se aproximaria dos 5.297 escolhidos pelo governo federal”.
    --- ---
    Caro Ludgero:
    Certamente que –diferente dos veículos e profissionais de imprensa citados por você no seu artigo – os acima, que fazem propaganda de Lula MERECEM CRÉDITO.
    Ou estarei também errado nesta conclusão?

    ResponderExcluir
  2. Armando de fato o texto não e meu e de Jussara Seixas. Ante sde terminar o pequeno comentário que fiz, não sei o que ocorreu que o mesmo se auto postou.

    Peço ao Dhielson, se possível for mudar onde tem meu nome colocar o de Jussara Seixas.

    Saudações Geográficas!
    João Ludgero

    ResponderExcluir
  3. Prezado João Ludgero,

    Eu vi esse rascunho na listagem e imaginei que você tivesse tido algum problema na hora de postar, tipo uma falta de energia elétrica. Daí eu tentei preservar o texto, a fim de poupar o seu trabalho. Qualquer continuação dele é possível.

    Recebi seu comentário sobre a Jussara e já ia mudar, quando vi que você mesmo já conseguiu. Tudo certo, então.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.