10 novembro 2009

Em dia de depoimento, oposição anuncia abandono da CPI da Petrobras

A oposição vai anunciar nesta terça-feira o abandono em definitivo da CPI da Petrobras. Embora senadores governistas tenham marcado para hoje o depoimento do presidente da estatal, Sérgio Gabrielli, parlamentares do DEM e PSDB se articulam para deixar a comissão sem participar do depoimento dele à comissão --no qual vai apresentar detalhes sobre a gestão da Petrobras. Além de abandonar a CPI, a oposição vai encaminhar denúncias contra a estatal ao Ministério Público Federal. "Não há mais disposição de comparecer a sessão alguma dessa CPI. Amanhã vamos anunciar representações ao Ministério Público na linha de denúncia e farsa que se constituiu essa comissão", adiantou ontem à Folha Online o senador Álvaro Dias (PSDB-PR).

A oposição acusa o governo de "blindar" as investigações, impedindo a aprovação de requerimentos de interesse do DEM e PSDB. Por esse motivo, os oposicionistas afirmam que não têm mais motivo para permanecer na comissão uma vez que não têm voz nas investigações.

"O governo desrespeitou a oposição, mas tenta desmoralizar um instituto fundamental ao Parlamento que é a comissão parlamentar de inquérito. Não superamos nem a primeira etapa da CPI porque fomos impedidos", disse o tucano. Os senadores oposicionistas acusam o governo de impedir as investigações, marcando depoimentos de acordo com a sua conveniência. A polêmica começou depois que o senador João Pedro (PT-AM), presidente da CPI, marcou o depoimento de um diretor da Petrobras há duas semanas sem o conhecimento da oposição --que reivindicava uma reunião administrativa para a análise de requerimentos.

Ao lado do senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), Dias anunciou que não compactuaria com uma "farsa" e anunciou a saída da reunião. A oposição se irritou mais ainda depois de constatar que o diretor Barbosa Filho, convidado para depor, enviou outros representantes da Petrobras no seu lugar para prestar esclarecimentos sobre a estatal.

Governistas

A base aliada governista, porém, promete dar prosseguimento às investigações na CPI da Petrobras mesmo se a oposição sacramentar a saída da comissão. Relator da CPI, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) vem afirmando que os governistas têm número suficiente de parlamentares para aprovar o relatório final da CPI mesmo se o DEM ou o PSDB abandonarem a comissão. Ao contrário do que afirma a oposição, Jucá disse na semana passada estar disposto a prosseguir com as investigações sobre a estatal. O relator afirmou que seus próximos passos na relatoria serão discutir, na comissão, temas como controle de patrocínios da estatal, mudanças na legislação para empresas mistas e o pré-sal. Nos bastidores, no entanto, a oposição afirma que Jucá vai acelerar os trabalhos para encerrar as investigações na CPI da Petrobras o mais rápido possível. Dias afirmou que não há, da parte da oposição, preocupação com os rumos da CPI porque o governo não está disposto a incluir os pedidos do DEM e PSDB.

"O final foi escrito antes do seu início. Nós tentamos investigar, mas não nos deram oportunidade. A CPI foi a submissão absoluta ao Executivo", afirmou Dias.

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.