13 outubro 2009

Garoto de dois anos tem QI igual ao de Einstein


Nada de "Gugu-Dadá" para as Crianças !

NE - Por certo, os pais desse garoto da reportagem abaixo não ficaram perdendo tempo falando errado com a criança e dizendo "Gugu-Dada" para ele. Aliás, o maior desserviço educacional que os pais podem fazer é não ensinar os filhos a falar corretamente logo que eles emitem os primeiros sons. Os pais, Idiotamente, ficam repetindo as palavras erradas dos filhos, e estes ficam sem saber qual o som correto a ser seguido. É por isso que tem tanta gente que demora mais para aprender a falar. Eu sou da opinião de que os filhos tão logo entendam de algo, possam ser estimulados a ouvir música clássica, Jazz, MPB, e serem despertados para o conhecimento científico, e para a leitura das enciclopédias. Sem querer puxar a brasa para minha sardinha, mas agradeço a meu pai por ter feito isso comigo, despertado o amor pela ciência e o conhecimento, de modo que na quinta-série primária, eu já sabia resolver raiz quadrada e equações do segundo grau, além de traçá-las no gráfico cartesiano. Isso me facilitou muito na vida escolar posterior e abriu novos caminhos para o meu pensamento, do que se eu tivesse ficado como os outros garotos da época, na base do "Gugu-Dadá-Neném".

Eis uma matéria muito interessante de um desses garotos-prodígio, com QI de Einstein, publicada na Folha de São Paulo, que merece atenção:

Um garoto de dois anos e cinco meses, morador de Reading, a 40km de Londres, obteve em um teste de QI (coeficiente de inteligência) uma pontuação equivalente à dos físicos Albert Einstein e Stephen Hawking. Os testes de vocabulário e com números comprovaram que Oscar Wrigley faz parte dos 2% da população com QI mais alto. Com isso, Wrigley se tornou o mais jovem garoto a fazer parte da Mensa, a sociedade que reúne pessoas com QI alto. O membro mais jovem da Mensa é a garota Elise Tan Roberts, de Edmonton, no norte de Londres, aceita no início deste ano à idade de dois anos e quatro meses.

Joe Wrigley, o pai do garoto, disse à BBC que através da Mensa espera poder encontrar outros pais de crianças com QI alto que os "ajudem" com a criação do filho. Por ora, ele afirmou, o menino - que é muito jovem para frequentar a escola - será educado em casa. A mãe de Oscar, Hannah, disse que, no início, pensou que seu filho era apenas "uma criança muito inteligente", mas que, aos 18 meses, o garoto já se sobressaía. "Aos 18 meses eles devem conhecer por volta de 20 palavras. Nós começamos a fazer uma lista e paramos no número 600. Eram resmas e resmas de papel", disse.

Fonte: Folha OnLine

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.