09 outubro 2009

"The Economist" diz que Rio-2016 passou parte fácil e enfatiza altos custos

Reportagem da revista inglesa "The Economist" que chega às bancas nesta quinta-feira na Inglaterra dá destaque aos altos custos dos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro, e diz que a vitória da cidade brasileira na eleição do COI (Comitê Olímpico Internacional) na última semana, superando Madri, Tóquio e Chicago, foi a "parte fácil". De acordo com a publicação, a candidatura brasileira já gastou aproximadamente US$ 50 milhões, que foram usados, entre outras coisas, para financiar o apoio do ex-jogador Pelé e do escritor Paulo Coelho, entre outros. A "Economist" diz que serão necessários gastos para resolver problemas da cidade brasileira, como a construção de arenas esportivas, novos hotéis e ajuda para resolver o trânsito caótico, entre outras coisas.

A publicação questiona se os US$ 14,5 bilhões que custarão os Jogos serão utilizados de uma maneira produtiva. "Sem contar os US$ 50 bilhões de investimentos indiretos", diz trecho da matéria. A revista ainda lembra que o total gasto para a realização dos Jogos Pan-Americanos, em 2007, foi aproximadamente dez vezes maior do que o orçamento inicial.

Fonte: Folha OnLine

Um comentário:

  1. Declarações do Governador do Rio é que os custos da tão sonhada olimpíada do Rio será maior que os custos das olimpíadas da China. País com economia bem maior que a nossa. Não vi nenhum “torcedor efervescente” criticar. Também não vi nenhum comentar esta matéria. Olhe que a fonte é a mesma utilizada para rasgar elogios na semana passada e atacar quem quer que apresentasse preocupação semelhante a estas declarações. Veja os comentários que recebi quando comentei uma matéria no blog do Crato na semana passada. Quase fui “linchado” virtualmente.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.