03 outubro 2009

CRATO - Semace interdita Sítio Fundão para reformas - Reportagem: Antonio Vicelmo


Clique para Ampliar

BARRAGEM NO SÍTIO Fundão, entre pedras naturais do local que ainda preserva flora de valor inigualável (Foto: ANTÔNIO VICELMO).

Crato. O Sítio Fundão, reserva ecológica comprada pelo Governo do Estado, foi interditado temporariamente. O chefe do escritório da Superintendência Regional do Meio Ambiente (Semace), João Josa de Melo Neto, justificou que "devido ao período chuvoso pelo qual passou o município do Crato neste ano, as trilhas existentes na localidade foram tomadas pela vegetação, prejudicando o percurso antes visitado por escolas, universidades, organizações não-governamentais, turistas, estudiosos e outros interessados".

Desta forma, segundo Josa, o sítio ficará temporariamente interditado até que sejam concluídas as melhorias necessárias para a reestruturação de suas trilhas e segurança do local. Dentre as ações que serão gerenciadas, segundo a Semace, estão a instalação de energia elétrica, a abertura de novos caminhos e a contratação de empresa de segurança, por licitação. Além disso, o parque também contará com o apoio da Companhia de Polícia Militar Ambiental (CPMA), como forma de colaborar com a preservação e fiscalização do espaço verde.

Ao longo dos anos, o parque chamou a atenção dos ecologistas por sua flora e fauna exuberantes, por resguardar em sua vegetação resquícios de mata atlântica. "Além da relevância ecológica, o sítio agrega valores históricos e culturais conservados graças ao seu antigo proprietário, Sr. Jéferson de Franca Alencar", disse ele, referindo-se a acervos como o engenho todo de madeira e a casa de taipa com dois andares (únicos na região), as barragens feitas pelos escravos, além da flora e da fauna inigualáveis. Porém, mesmo mantido pelo antigo proprietário, todo o acervo deverá passar por restauração, conforme prevê o projeto definido do Governo do Estado.

De acordo com a Semace, todos estes equipamentos serão restaurados. O projeto contempla a nova sede do escritório da Semace no Cariri, unidade da Polícia Militar Ambiental (CPMA), além da restauração do engenho velho e da casa principal, que será transformada em centro de visitação.

O decreto de desapropriação da área data de 8 de fevereiro passado, mas só foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 11 daquele mês. No dia 14 de março deste ano, o Governo do Estado criou o Parque Estadual do Sítio Fundão, uma área de 93 metros quadrados, 520 hectares em unidade de conservação de proteção integral.

O Sítio Fundão integra parte do Geotope Batateiras, do Geopark Araripe, que também é uma outra ação de preservação ambiental do contexto geológico e paleontológico da Bacia Sedimentar do Araripe.

A proposta original de transformação do sítio em parque foi apresentada pela primeira em maio de 2005. O projeto inclui a instalação de nove geotopes, ou seja, nove pontos de observação para os visitantes, que estão localizados nos municípios de Santana do Cariri, Nova Olinda, Juazeiro do Norte e Missão Velha. Além destes, estão previstos 59 geocites, em outras cidades do Cariri, como Crato, Barbalha, Milagres, Abaiara, Mauriti, Jardim, Santana do Cariri, Nova Olinda, Juazeiro do Norte e Missão Velha.

Mais informações
Superintendência Estadual do Meio Ambiente, Escritório no Crato
Rua Soriano Albuquerque
(88) 3102.1288


ANTÔNIO VICELMO
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaborador do Jornal Chapada do Araripe

Um comentário:

  1. Taí um assunto importante para a apreciação e manifestação dos conselhos de Meio Ambiente e de Cultura do Crato!
    Estão brincando com o nosso patrimônio e a nossa história. Se não os defendermos, não serão os recém-chegados á nossa terra que o farão, pois sem sentimento de pertença não lhes será despertada a necessária vigilância.
    O que muito tenho visto é que alguns abastados de outras regiões aqui se instalam (e mesmo os daqui, no caso abastados e abestados), compram prédios antigos e importantes para a memória e a identidade do povo, os destroem e fazem estacionamento ou prédios de apartamentos.
    O caso recente mais grave e imoral foi a demolição do prédio onde funcionava a lanchonete Cinelândia. Ignorância! Ambição! Crime! A cidade tem que crescer, se desenvolver, sim. Mas não destruindo o seu patrimônio arquitetônico e ecológico-ambiental. Existem muitas e vastas áreas. O Crato possui um território imenso...

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.