22 setembro 2009

"O gerador de lero-lero". Postado por Darlan Reis Jr.

Amigos e amigas, leiam esse curioso texto de Jorge Furtado:

" “A montagem de uma falácia”, texto de Maria Sylvia de Carvalho Franco, professora titular dos Departamentos de Filosofia da Unicamp e da USP, publicado no jornal “O Estado de São Paulo” no último domingo (1), contestando a idéia proferida pelo senador José Sarney de que a imprensa não representa o povo, me fez pensar sobre o poder da filosofia.

De fato, em Filosofia está sempre presente um homem (=sujeito humano) que se esforça por compreender e produzir uma interpretação (=leitura) da realidade que está diante de si, seja ela humana ou natural. Na realidade, o ponto de partida da filosofia são problemas e não textos. Tamanho poder até assusta. As interpretações comumente aceitas pelo homem constituem inicialmente o embasamento de todo o conhecimento. Essas interpretações foram adquiridas, enriquecidas e repassadas de geração em geração. Informações correm e voltam e morrem na praia, mas de alguma forma, chegam.
O conceito da Falácia Narrativa foi (até onde sei) introduzido por Nassim Nicholas Taleb (2) e pode ser descrito como uma tendência que temos de construir narrativas que se conformem a fatos observados. Frequentemente, essas histórias correspondem a uma simplificação exagerada da cadeia de causas e efeitos que está por trás dos eventos históricos (no significado mais amplo do termo). Trata-se de uma característica aparentemente inofensiva, fruto da nossa tendência a racionalizar os eventos do mundo.
A partir da Filosofia surge a Ciência, pois o Homem reorganiza as inquietações que assolam o campo das idéias e utiliza-se de experimentos para interagir com a sua própria realidade. Ocorreram inicialmente através da observação dos fenômenos naturais e sofreram influência das relações humanas estabelecidas até a formação da sociedade, isto em conformidade com os padrões de comportamentos éticos ou morais tidos como aceitáveis em determinada época por um determinado grupo ou determinada relação humana.
Eu escrevi o primeiro parágrafo deste texto. Os três parágrafos seguintes foram compostos por frases escolhidas aleatoriamente em dez diferentes páginas da internet, via Google. Escrevi a palavra “filosofia” seguida de um número qualquer (77, 98, 145), cliquei em “estou com sorte”, entrei no primeiro texto disponível na página e escolhi uma frase qualquer, geralmente a primeira ou segunda frase do texto. Juntei tudo e pronto, virou este texto aí de cima, que não quer dizer absolutamente nada, mas tem seus momentos de brilho."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.