28 setembro 2009

CRATO - Previsão do Tempo e Almanaque - 28 de Setembro de 2009

Bom dia, amigos do Blog do Crato!

Hoje, começando mais tarde que o de costume a nossa caminhada, Dia 28 de Setembro de 2009, Segunda-Feira. Um convite especial para a população cratense é que mais tarde, às 14:030, no Teatro Municipal Salviano Saraiva, haverá uma grande reunião para a elaboração do Orçamento Participativo 2010, com o objetivo de eleger as prioridades locais a serem executadas em 2010 pelo Governo Municipal. É importante que todos possam comprarecer ao evento.

Previsão do tempo

A previsão do tempo para hoje, dia 28 de Setembro, é de Dia de Sol com algumas núvens, e não chove. A temperatura máxima de 30 graus e a mínima de 20. Informa o maior website de meteorologia do Brasil, o Climatempo.

ALMANAQUE

28 de setembro. Dia de São Wenceslau

O bondoso monarca da Boêmia, Wratislau, antes de morrer, deixou, como herdeiro do trono, seu filho Wenceslau, nascido no ano 907, na atual República Checa. Com isso, despertou em sua mulher, Draomira, a ira e a vingança, pois era ela própria que desejava assumir o governo do país. Se não fosse possível, pretendia entregá-lo a seu outro filho, Boleslau, que tinha herdado o caráter e a falta de escrúpulos da mãe, enquanto Wenceslau fora criado pela avó, Ludmila, que lhe ensinou os princípios de bondade cristã. Por isso, não passava por sua cabeça uma oposição fatal dentro do próprio lar. Assim, acabou assassinado pelo irmão, de acordo com um plano diabólico da malvada rainha. Mas antes que isso acontecesse, a mãe tomou à força o poder e começou uma grande e desumana perseguição aos cristãos. Assim, por sua maldade e impopularidade junto ao povo, foi deposta pelos representantes das províncias, que fizeram prevalecer a vontade do rei Wratislau, elevando ao trono seu filho Wenceslau. Imediatamente, seguindo o conselho da avó, Wenceslau levou de volta ao reino o cristianismo. Quando soube disso, Draomira ficou tão transtornada que contratou alguns assassinos para dar fim à vida da velha e bondosa senhora, que morreu enquanto rezava, estrangulada com o próprio véu.

Draomira sabia que ainda havia mais uma pedra em seu caminho impedindo seus planos maldosos e sua perseguição ao povo cristão. Wenceslau era um obstáculo difícil, pois, em muito pouco tempo, já tinha conquistado a confiança, a graça e a simpatia do povo, que via nele um verdadeiro líder, um exemplo a ser seguido. Dedicava-se aos mais pobres, encarcerados, doentes, viúvas e órfãos, aos quais fazia questão de ajudar e levar palavras de fé, carinho e consolo.

A popularidade de Wenceslau cresceu ainda mais quando, para evitar uma batalha com o duque Radislau, que se opunha ao seu governo cristão, propôs que, em vez de entrarem em guerra, duelassem entre si, evitando, assim, a morte da população inocente. Quem vencesse ficaria com o poder. No dia e na hora marcada, os adversários encontraram-se no campo de batalha. Radislau, imediatamente, atacou, de lança em punho. Contam os registros que, no momento em que feriria Wenceslau mortalmente, apareceram dois anjos que o mandaram parar. Radislau caiu do cavalo e, quando se levantou, já era um homem modificado. Naquele momento, pediu perdão e jurou fidelidade ao seu senhor.

Draomira e Boleslau, inconformados com a popularidade de Wenceslau, arquitetaram um plano diabólico para acabarem com sua vida. No dia 28 de setembro de 929, durante a festa de batismo de seu sobrinho, enquanto todos festejavam, Wenceslau retirou-se para a capela para rezar. Draomira sugeriu ao filho Boleslau que aquele seria o melhor momento para matar o próprio irmão. Boleslau invadiu a capela e apunhalou o irmão no altar da igreja.
Mãe e filho, porém, não tiveram tempo de saborear o poder e o trono roubado de Wenceslau, pois em poucos dias Draomira teve uma morte trágica e Boleslau foi condenado pelo imperador Oton I.

O seu corpo foi sepultado na igreja de São Vito, em Praga. Desde então, passou a ser cultuado como santo. A Hungria, a Polônia e a Boêmia têm em são Wenceslau seu protetor e padroeiro. Mais tarde, no século XVIII, a Igreja inscreveu são Wenceslau no calendário litúrgico, marcando o dia 28 de setembro para a sua festa.

Eventos históricos:

* 1871 - Entra em vigor a Lei do Ventre Livre no Brasil
* 1893 - É fundado o Futebol Clube do Porto
* 1905 - A Teoria da Relatividade de Einstein é publicada no Annalen der Physik
* 1958 - Karol Wojtyla era Ordenado Bispo (Futuro Papa João Paulo II).
* 1974 - Falha o tentativa de golpe em apoio ao presidente português António de Spínola tendo por justificativa o apelo de uma maioria silenciosa
* 1979 - Felipe González é reeleito secretário-geral do Partido Socialista Operário Espanhol e promove o abandono das idéias marxistas
* 1987 - Estréia da série Star Trek: The Next Generation
* 1988 - A China explode sua primeira bomba de nêutrons
* 2000 - Referendo da Dinamarca rejeita a adoção do Euro como moeda nacional
* 2001 - A agência Reuters adquire a empresa Bridge Information Systems

Nascimentos:

* 1792 - Johann Georg Hiedler, considerado oficialmente pelo Terceiro Reich como o avô paterno de Adolf Hitler. (m. 1857)
* 1803 - Prosper Mérimée, arqueólogo e escritor francês (m. 1870).
* 1901 - Ed Sullivan, escritor, ator, comunicador norte-americano (m. 1974).
* 1924 - Marcello Mastroianni, ator italiano (m. 1996).
* 1934 - Brigitte Bardot, atriz francesa.
* 1938 - Ben E. King, cantor norte-americano.
* 1942 - Tim Maia, cantor brasileiro. (m. 1998)
* 1950 - John Sayles, escritor e diretor de cinema americano.
* 1956 - Roberta Miranda, cantora brasileira.
* 1962 - Thereza Collor, socialite brasileira.

Falecimentos:

* 855 - Lotário I, 3º imperador do Sacro Império Romano-Germânico (n. 795)
* 1891 - Herman Melville, escritor estado-unidense (n. 1819)
* 1895 - Louis Pasteur, químico francês (n. 1822)
* 1915 - Saitō Hajime, membro do Shinsengumi.
* 1918 - Georg Simmel, sociólogo alemão (n. 1858)
* 1922 - William Seymour, pastor estadunidense, iniciador do Pentecostalismo (n. 1870)
* 1953 - Edwin Powell Hubble, astrônomo norte-americano (n. 1889)
* 1966 - André Breton, escritor francês (n. 1896)
* 1991 - Miles Davis, músico (n. 1926)

Feriados e eventos cíclicos:

* Dia Nacional da Lei do Ventre Livre - Criado por Lei Federal (Imperial) - Brasil
* Dia da Liberdade de Expressão - Brasil
* Dia do Hidrógrafo - Brasil
* São Venceslau, mártir - Santo Católico.

HOJE NA HISTÓRIA

Em 1905, a Teoria da Relatividade de Einstein era publicada

A Teoria da Relatividade em 1 página:

Amigos do Blog do Crato. Em 1905, Einstein publicava a sua teoria da relatividade, que mudaria o curso da história de forma jamais vista. Para compreender a fundo esta importante teoria da Física, seria necessário um Blog inteiro ou um curso universitário, mas para poupar os nossos leitores de tanto sofrimento, aqui vão em linhas gerais, o que ela significa:

A Teoria da Relatividade é a denominação dada ao conjunto de duas teorias científicas: Relatividade restrita (ou Especial) e Relatividade geral. Albert Einstein fotografado por Oren J. Turner em 1947. A Relatividade Especial, ou Teoria da Relatividade Restrita é uma teoria publicada em 1905 por Albert Einstein, baseada em um estudo do matemático francês Henri Poincaré. Ele trocou os conceitos independentes de espaço e tempo da Teoria de Newton pela ideia de espaço-tempo como uma entidade geométrica. O espaço-tempo na relatividade especial tem uma variedade de 4 dimensões, três espaciais e uma temporal (a quarta dimensão), nas quais noções de geometria podem ser utilizadas. O termo especial é usado porque ela é um caso especial do princípio da relatividade onde efeitos da gravidade são ignorados. Dez anos após a publicação da teoria especial, Einstein publicou a Teoria Geral da Relatividade, que é a versão especial, mas integrada com os efeitos da gravitação.

História

O princípio da relatividade foi surgindo ao longo da história da filosofia e da ciência como conseqüência da compreensão progressiva de que dois referenciais diferentes oferecem visões perfeitamente plausíveis, ainda que diferentes, de um mesmo efeito.

O princípio da relatividade foi introduzido na ciência moderna por Galileu e afirma que o movimento, ou pelo menos o movimento retilíneo uniforme, só tem algum significado quando comparado com algum outro ponto de referência. Segundo o princípio da relatividade de Galileu, não existe sistema de referência absoluto pelo qual todos os outros movimentos possam ser medidos. Galileu referia-se à posição relativa do Sol (ou sistema solar) com as estrelas de fundo. Com isso, elaborou um conjunto de transformações chamadas 'transformadas de Galileu', compostas de cinco leis para sintetizar as leis do movimento. Mas naquele tempo acreditava-se que a propagação eletromagnética, ou seja, a luz, fosse instantânea; e, portanto, Galileu e mesmo Newton não consideravam em seus cálculos que os acontecimentos observados (cronometrados) fossem dissociados dos fatos. Esse fenômeno que separava a luz do som, aqui na Terra, seria mais acentuado quando observado a grandes distâncias, e já mostrava, em fins do século XIX, a importância de estabelecer normas aplicáveis em uma teoria do tempo.

Postulados da relatividade

1. Primeiro postulado (princípio da relatividade)

As leis que governam as mudanças de estado em quaisquer sistemas físicos tomam a mesma forma em quaisquer sistemas de coordenadas inerciais.

Nas palavras de Einstein:

"...existem sistemas cartesianos de coordenadas - os chamados sistemas de inércia - relativamente aos quais as leis da mecânica (mais geralmente as leis da física) se apresentam com a forma mais simples. Podemos assim admitir a validade da seguinte proposição: se K é um sistema de inércia, qualquer outro sistema K' em movimento de translação uniforme relativamente a K, é também um sistema de inércia."

2. Segundo postulado (invariância da velocidade da luz)

A luz tem velocidade invariante igual a c em relação a qualquer sistema de coordenadas inercial. A velocidade da luz no vácuo é a mesma para todos os observadores em referenciais inerciais e não depende da velocidade da fonte que está emitindo a luz nem tampouco do observador que a está medindo. A luz não requer qualquer meio (como o éter) para se propagar. De fato, a existência do éter é mesmo contraditória com o conjunto dos fatos e com as leis da mecânica. Apesar do primeiro postulado ser quase senso comum, o segundo não é tão óbvio. Mas ele é de certa forma uma conseqüência de se utilizar o primeiro postulado ao se analisarem as equações do eletromagnetismo. Através das transformações de Lorentz pode-se demonstrar o segundo postulado. Porém, é necessário dizer que Einstein, segundo alguns, não quis basear a relatividade nas equações de Maxwell, talvez porque entendesse que a validade destas não era ilimitada. Isto decorre da existência do fóton, o que tacitamente indica que as equações de campo previstas por Maxwell não podem ser rigorosamente lineares.

Consequências da relatividade especial

A relatividade especial tem conseqüências consideradas bizarras por muitas pessoas. Esta opinião é perfeitamente compreensível, pois estas conseqüências estão relacionadas a comparações entre observadores movimentando-se a velocidades próximas à da luz, e o ser humano não tem nenhuma experiência com viagens a velocidades comparáveis à velocidade da luz. Eis algumas das consequências:

* O intervalo de tempo em um referencial em movimento em relação a um observador externo parece ser, para este, menor que o seu próprio intervalo de tempo. Explicando melhor, se um fenômeno periódico que no referencial de um dado observador inercial ocorre com um período T parece ocorrer em um período T' maior num referencial inercial movendo-se em relação a este.
* Eventos que ocorrem simultaneamente em um referencial inercial não são simultâneos em outro referencial em movimento relativo (falta de simultaniedade).
* As dimensões de objetos medidos em um referencial podem ser diferentes para um outro observador em outro referencial em movimento. Se um corpo está em movimento ao longo de um eixo, a dimensão do corpo ao longo deste eixo parecerá menor do que quando o mesmo corpo estiver parado em relação ao referencial do observador (contração dos comprimentos) .


Aparentes paradoxos da Relatividade Restrita

Gêmeos

Há aqui dois aspectos diferentes a serem considerados. O primeiro é que, no contexto da mecânica clássica, a dilatação temporal não existe, o que levaria o gêmeo que viajou na nave estranhar a disparidade dos tempos decorridos experimentados por ele e pelos que ficaram na Terra. Porém, o real paradoxo aqui é o fato de que, mesmo se aceitando a dilatação temporal, o gêmeo que viajou pelo universo a bordo da nave, sob velocidades próximas à da luz, tem todo o direito (no escopo da RR) de alegar que a Terra é que se movia com velocidade próxima à da luz. Assim, ele acha que a Terra é que deveria ter tido o seu fluxo de tempo alterado. O entendimento perfeito desse efeito, porém, só pode ocorrer se lembrar que a nave percorreu uma trajetória maior (considerando-se a trajetória no espaço-tempo) e, além do mais, ambos os referenciais em algum momento sofrem acelerações. Daí, o enquadramento perfeito só se dar no âmbito da relatividade geral (R.G.).

Fontes: Climatempo, 10emTudo, Edições Paulinas, Wikipedia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.