19 junho 2009

A DONA DA LUZ - Por: João Marni de Figueiredo


Sou médico há vinte e seis anos, e por trabalhar na urgência pediátrica, às vezes deparo-me com a morte.

É sempre uma experiência traumática e, derrotado, presenciar a dor da família, sobretudo a dor da mãe, é algo que não consigo aceitar como pequeno, comum, inexorável. A mãe é um ser especial, dotado de um coração diferente, maior, mais forte, porém mais raso. Uma vez grávida, passa por transformações físicas e psicológicas incríveis, tudo pelo concepto. Mais do que uma simples obediência biológica em passar seus genes adiante, o vínculo criado é tão poderoso que os casos contrários são considerados aberrações. Parido em dor, o bebê causa lágrimas de pura alegria e orgulho em sua exausta mãe! Amamentá-lo, compreender o significado de cada um de seus sinais, de gemidos a sorrisos, só cabe a ela, em todas as fases do desenvolvimento dele. Ante os perigos e as doenças, questiona a Deus, por quê não com ela? E por ocasião da perda, grita tão alto, como que tentando acordá-lo, chora tanto, declara seu amor tão sincera e piedosamente, que sensibiliza a todos em volta, numa onda de puro afeto, fidelidade e desolação!... O epitáfio da mãe de Santa Teresinha deveria representar as demais mães: “Para meus filhos, deixo o meu coração: pertenço ao céu”. Pesaroso, livrando-me das luvas, vislumbro a Imaculada. Apesar de tudo, desse caldo de sofrimento, o médico levanta-se e segue, esperançoso que momentos assim tornem-se cada vez mais raros, quando, por fim, o homem, o gestor, terá compreendido o clamor de seu povo, melhorando os indicadores de saúde!

Crato (Ce), 18 de abril de 2007.
Dr. João Marni de Figueiredo

3 comentários:

  1. Eu gostaria de parar esses meus inúmeros afazeres, para tirar esse tempinho aqui, a fim de cumprimentar o nosso querido João Marni de Figueiredo por essa "proêza" de postar a sua primeira mensagem de próprio punho sem nossa ajuda. Para muitas pessoas, é coisa complicada, visto que dos 23 convites da semana passada, apenas 3 eu vi postar aqui até agora. Mas é tão simples, né João Marni ? quando a gente se familiariza com a ferramenta, é simples e dá vontade de sair postando inúmeras coisas.

    Fique à vontade, meu caro!
    Vindo de você, só pode vir coisa BOA!

    Abração,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Sua sensibilidade me emociona, pois deixa claro que há bons homens entre nós e estão cheios de luz. Quem sabe refletindo o que recebem da "Dona da luz!

    Siga em frente, João Marni!
    Que tua amorosidade seja alento para aqueles que te procuram.

    ResponderExcluir
  3. João Marni,

    Parabéns, gostei do seu texto,
    além de bem escrito, me emocionou muito.

    Abraços

    Magali

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.