02 abril 2009

Desde 2005, Tasso Jereissati já gastou R$ 469 mil reais do dinheiro do contribuinte para fretar Jatinhos !

Desde 2005 o senador Tasso Jereissati (PSDB- 45 -CE) já gastou R$ 469 mil do Senado, para fretar jatinhos, segundo noticia o portal Terra. O ato que regulamenta a distribuição de passagens é claro ao determinar que cada senador teria direito só a bilhetes em aviões de carreira (nada de luxuosos jatinhos). O senador tucano confirma e diz que obteve autorização especial, conforme ofícios para o então diretor-geral da Casa, Agaciel Maia. As brechas foram autorizadas pessoalmente pelo primeiro-secretário da Casa entre 2005 e 2008, Efraim Morais (DEM-PB), sem consulta à Mesa Diretora. Para complicar mais as explicações ao distinto público, Tasso tem o seu próprio avião, um jatinho Citation. O tucano se justifica que recorre a fretamentos quando o seu aéroTasso está indisponível.
.
ANTECEDENTES
.
Na campanha de 2002, quando Tasso saiu do governo do Ceará para eleger Senador, houve um episódio suspeito com empresas de táxi aéreo envolvendo sua gestão como governador. De acordo com antiga reportagem da revista ISTOÉ: No apagar das luzes de 2001, o Diário Oficial do Estado do Ceará publicou um contrato assinado por João Jaime Gomes Marinho, chefe de gabinete do então governador Tasso Jereissati (PSDB-45), e pelo dono da empresa Táxi Aéreo Fortaleza (TAF), João Ariston de Araújo (uma mão lava a outra!). O negócio, no valor de R$ 410 mil, foi feito sem licitação, e o dinheiro público serviria para pagar seis meses de aluguel de um helicóptero modelo Esquilo para quatro passageiros e um avião tipo Caravan, que comporta seis pessoas. Não bastasse a dispensa da licitação, alegando calamidade pública, a surpresa maior veio agora em abril. O mesmo Diário Oficial republicou no dia 10 de abril, sem nenhuma justificativa, o contrato triplicando o valor do aluguel para R$ 1,2 milhão (muita grana voando pelos ares). Detalhe: os novos valores estavam assinados desde o dia 7 de fevereiro, mas só foram oficializados na gestão do governador Beni Veras (PSDB-45), o vice de Tasso, que assumiu com a desincompatibilização do titular.

O contrato chamou a atenção por causa dos valores e levanta a suspeita do uso na campanha eleitoral. Mas, até hoje a imprensa cearense fica quietinha, os juízes se escondem e tudo fica calmo que nem o vento lá de cima a encontrar com as turbinas. Ache bom ou ache ruim, homem santo nem na igreja, é isto!


Fonte: Tiago Viana - Blog Rastreadores de Impurezas
Fonte: Portal Terra - www.terra.com.br


3 comentários:

  1. Vejam só como funciona a coisa: Byron Queiroz, o afilhado queridinho do Tasso, fez o que fez no BNB (o rombo, comprovado, atingiu de 7,5 bilhões de reais, além de um infindável série de arbitrariedades), foi condenado a 13 anos de prisão e teve os bens bloqueados por um juiz federal aqui do Ceará.
    Pois bem, conseguiram levar o caso para o Tribunal Regional Federal, no Recife, e após o julgamento Byron Queiroz e toda a sua quadrilha foi inocentado por unanimidade, anulando-se a decisão anterior.
    Com relação especificamente ao senhor Tasso Jereissati, foi hilária sua defesa: o Senado, prá ele, dá é prejuízo; está alí por amor à causa pública.
    Preferiu nada comentar sobre o tráfico de influência, as informações privilegiadas e as facilidades concedidas a quem lá se encontra.
    Tanto que, mesmo tendo prejuízo (como afirma) concorrerá à reeleição.
    Largar o osso ??? Nem pensar !!!

    ResponderExcluir
  2. FRETOU O AVIÃO DO AMIGUINHO
    O senador Tasso Jereissati é um desses tipos que não dá para entender e nem engolir.
    Se aqui em São Paulo temos o Maluf com U$ 22 milhões presos em Jersey, o Ceará tem os Jereissati como vergonha estadual. E pior que no caso dos cearenses é uma família inteira, eles são tantos e com tantos braços que fica difícil saber qual é o pior. Na família do Maluf os filhos pelo menos são uns quase nulos, nunca aparecem e ainda têm umas ex-esposas peruas que ficam cutucando tudo. Aliás, ex-esposas sempre foi a fraqueza que assombrou o clã Maluf, é só lembrar da ex-Pitta.
    Se há uma coisa que realmente desqualifica o PSDB como partido integro é a presença desse clã cearense. Eles pintam e bordam e nunca acontece nada com eles. Eles têm gente em todas as funções e em todos os lados.
    Daqui alguns dias alguém ainda vai descobrir que esse dinheirão que ele gastou fretando jatinhos era de uma empresa ligada a algum partidário dele, se é que ele não fretou o próprio jato ! E ninguém iria achar estranho.
    Ele justifica que teve que fretar os jatinhos porque o jato dele não estava disponível.
    Dá para acreditar? Onde estava o jato dele? É muito óbvio: um outro senador freta o dele e ele freta de outro senador. Assim, os custos do jato ficam por conta do senado.
    Isso é uma jogada que vários proprietários de jatos têm. Eles alugam o próprio jato para cobrir os custos, mas na verdade eles mesmos usam.
    É como se eu pedisse para a Folha alugar um carro para mim e, na verdade, eu alugasse o carro do meu irmão e deixasse meu carro com ele - e depois só justificaria que meu carro não estava disponível.
    Será que é possível chegar ao senado sem ser ardiloso ou cheio de truques ? Parece que não. É como fazer doutorado: não dá para fazer doutorado sem falar pelo menos uma língua estrangeira, de preferência duas. No senado é a mesma coisa : você precisa saber meter a mão em 1 milhão fluentemente; e já que sabe meter a mão em 1 milhão, vai saber meter a mão em vários milhões.
    Escrito por Duilio Ferronato às 12h54

    ResponderExcluir
  3. O Senado dá prejuízo... quanto amor ao povo. Que tal levar prejuízo doando sua fortuna para projetos sociais que beneficiem ao povo?

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.