16 fevereiro 2009

Crato: Fotógrafo expõe a nudez sob novo olhar


ARTES VISUAIS

Fotos de Allan Bastos utilizam-se da anatomia dos corpos para demonstrar a repetição do real pela imagem. Exposição mostra corpos distorcidos por meio da técnica espacial da foto, utilizando luz, lentes e sensibilidade. Crato. “Repetições” surgiu da vontade de trazer um novo rumo para os ares fotográficos do Cariri. Referenciado pelo fotógrafo húngaro, radicado norte americano, André Kertész e suas fotografias de nus, o artista cratense Allan Bastos ousa ultrapassar a barreira dos corpos e propõe um novo olhar sobre a nudez. André Kertész mostrou corpos distorcidos por espelhos em um de seus trabalhos mais famosos, a série “Distorções”, de 1933. Assim como o fotógrafo americano, Allan utiliza dessas distorções, mas modifica a técnica espacial da foto apenas utilizando sua sensibilidade, suas lentes e a luz. Na mais simples definição, “Repetições” exerce o próprio poder da fotografia, o de repetir o real. A câmera olha e reproduz o que vê. Num conceito mais amplo, o artista utiliza-se da anatomia dos corpos para demonstrar essas repetições. “O nosso corpo tem dois lados e quase todos os órgãos do corpo são duplos. Essa é a divisão nervosa do corpo, é onde o seio liga-se diretamente com as pernas, o clitóris, a barriga etc. Podemos ver isso muito bem no mapa do taoísmo ou até na acupuntura”, explica Allan. Essa repetição direta é o que permeia o trabalho do artista, a intenção de lembrar que o corpo está devidamente repetido. Diferente de seus outros trabalhos onde a idéia fotográfica nascia de outras perspectivas, “Repetições” foi concebida a partir de um projeto antigo do fotógrafo, com o estudo do conceito de nu na fotografia.

Estudo do conceito

“Neste trabalho, houve o inverso de minhas fotografias. Antes a fotografia surgia e a partir dela eu buscava o conceito. Em ‘Repetições’, primeiro houve o estudo do conceito para somente depois acontecer a parte prática da fotografia”, afirma o fotógrafo. Diferente de outros fotógrafos como o próprio Kertész, Allan não destaca a identidade dos fotografados para que os espectadores possam observar apenas os corpos e fugir da prática de procurar entre as pessoas quem teria sido fotografado, provocando assim que o público encontre-se no ensaio ou procure qual seria a sua imagem repetida. Outro detalhe das fotos é a utilização da luz como forma de deformação dos corpos. Nesse sentido, Allan buscou aprimorar as fotografias através da iluminação, criando um desenho luminoso em contraste com a cor da pele do fotografado, ou seja, a foto passa a ter uma linguagem única. Durante muitos anos, Allan Bastos trabalhou com moda em suas andanças pelo Brasil, especificamente em Recife, mas desta vez o fotógrafo lança um trabalho que pode ser colocado à prova como “antimoda”, pois a exposição recorta os corpos, mas mantém as marcas de roupas em seus recortes.

Mais informações:
´Repetições´ - Allan Bastos
Local: Coletivo Malungo
Rua Tristão Gonçalves, 567 - Centro - Crato/CE
Allan Bastos: (85) 9228.8676

ELISÂNGELA SANTOS
Repórter

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.